Ah!

– Está um caniche em cima daquele poste de electricidade mulher!
– Está nada! Os cães não voam homem!
– Está, está!
– Oras, eu lá acredito nisso.
– Então olha, olha só!
– Ah! Pois está! Impossível!
– Temos de tirar o bicho dali coitado!
– Ó homem, eu quero é saber como é que ele foi ali parar!
– Oras mulher, isso é simples, não tem nada que saber!
– Ai é? Ai tu achas, por acaso, que é normal aparecerem cães no cimo dos postes, ó meu grande anormal?
– Mas olha que o bicho foi inteligente, nunca me tinha lembrado desta!
– Mas o que é que tu estás para aí a dizer, meu grande burro?
– Então não se vê logo porque é que ele está ali. Só há uma explicação.
– E diz-me lá tu então, já que estás armado em inteligente quando não serves para nada, seu emplastro ambulante, como é que o bicho ali foi parar?
– Obviamente porque foi mais inteligente do que eu e escolheu um bom sitio para fugir à besta da mulher dele. Ali em cima nem a deve ouvir, quanto mais aturar. E como todas as mulheres têm medo das alturas, sabe que ela ali nunca se dará ao trabalho de o ir chatear!
– Ó homem, tu até metes nojo! Tu vai já na minha frente, meu antro de fedor, meu desgraçado, mas tu vais ver, tu vais ver só…
– Cão inteligente… tu é que a sabes toda… Não devia ter chamado os bombeiros! Desculpa lá amigo!

0 comentários
0 likes
Anterior: Amo-te loucamente meu amorSeguinte: Equador

Comentar