Que boa queda!

Valha-me Deus, mas será que nunca vou conseguir andar nestes sapatos maravilhosos e sexys sem estar sempre com medo de cair? Grande sexy me saíste tu ó caramela!

Pumba… upps, caí mesmo, maldita calçada! Ai que vergonha, Deus queira que ninguém tenha visto, nem vou olhar à volta, deixa-me manter um ar minimamente apresentável! Upa…

Tão? Mas… que raio… que é isto?

– Desculpe minha senhora, mas precisa de ajuda? Quer que a ampare ou a leve a casa? parece-me perdida, aleijou-se?

– Eu? Mas…

Ai valha-nos Deus, que é isto? Mas que raio se passou comigo? Não, isto eu estou é a dormir, mas.. estou bem acordada… mas estou velha!! Velha, velha e velha!!!! Que aconteceram ás minhas curvas, ao meu cabelo longo e loiro, ao meu ar sedutor e misterioso? O que é esta barriga e as mamas que me chegam quase ao umbigo? Tirem-me deste pesadelo!

Estou ridícula com esta roupa neste corpo, mas e o que é que este me traz vestido? Andou noutro mundo ou quê?

Naaa, passa-se alguma coisa, enlouqueci de certeza, eu bem disse que andava a trabalhar demais e que não estava a aguentar…

– Olhe, deixe estar, eu estou bem, a sério. Já agora, pode-me dizer só que dia é hoje? É que com o tombo baralhei-me um pouco!

– Minha senhora, é dia 5 de Outubro de 2057, o grande dia das comemorações da integração deste território na nação planetária! Ia participar era?

– Comemorações? Integração planetária?

Eu decididamente relouquei! E de vez! Nem o Xanax, Zolof e demais me vão valer desta…

– A senhora acompanhe-me até ao espaço zero, aí tratarão de a ajudar!

– Espaço zero?

Ai ó pá, eu passei-me ou esta gente está louca, neste país ninguém ajuda ninguém, só se for para pagar mais ao Estado! Mas e eu? E reparando bem, que raio aconteceu aqui? Isto não estava assim quando caí! Mas.. será que me aconteceu alguma coisa? Fui raptada por extra-terrestres e libertaram-me agora 50 anos depois, só pode!

– Olhe, senhor, diga-me uma coisa, essa história de planetária é porque já somos amigos dos extra-terrestres? Eles andam por aí?

– Decididamente a senhora precisa de ajuda, não tem um neto a quem chamar? A sua pulseira de emergência? Trá-la consigo certo?

– Pulseira?

Ai, isto está capa vez pior. E neto??!? Mas estou assim tão velha e feia? Ai que desta é que foi, não, tirem-me deste filme, eu até já nem me importo dos saltos mas tirem-me deste filme… mas até que tu és giro… as roupitas são estranhas mas és bem bom…

– Olhe, acompanhe-me sim?

– Ok, vamos lá então (vamos ver no que dá!).

– Tenha cuidado com o piso que este material inovador não está ainda firme!

Pumm

Hum? Caí de novo foi? Telefonem se querem falar, já chega de quedas! Mas, olha, que aconteceu ao jeitoso?

E eu? Ai que óptimo devo ter desmaiado e sonhado, afinal está tudo na mesma, boa como sempre!

– Precisa de ajuda?

– Diga? (Humm, grande queda!) Sim, por favor.

– Vamos sentarmo-nos um pouco?

1 comentários
0 likes
Anterior: Se tivesse sido…Seguinte: A minha avó desconhecida…

Comentários

  • Sebastião Barata

    Dezembro 16, 2007 às 17:40
    Responder

    Gosto deste texto: é alegre e dispõe bem.

Comentar

Siga-nos no Facebook
Facebook Pagelike Widget
Últimos Livros Comentados
Tópicos recentes