Bem-vindo, Visitante
Username: Password: Memorizar
  • Página:
  • 1

TÓPICO: "A maldição do rio", saga "Os castros",#4 ebook gr

"A maldição do rio", saga "Os castros",#4 ebook gr há 3 semanas 6 dias #87766

  • terduraes
  • terduraes's Avatar
  • DESLIGADO
  • Senior Boarder
  • Escritora e poeta
  • Mensagens: 46
"A maldição do rio", saga "Os castros", #4, gratuito para download

Lembras-te de ter falado na lenda do rio? Uma mulher há muito, muito tempo, perdeu o marido e subiu à fonte da Virtude chorá-lo até desde então. Foi assim que de um rio calmo passou a revoltoso, o seu corpo nunca foi encaminhado para os Deuses por isso perturba o Homem.

- Porque me contas isso?

- A lenda diz que um encantado e um humano terão de quebrar essa maldição.

#ebook #gratuito #literatura #teresadurães #fantasia #fantástico #lendas #lusitanos #literaturaportuguesa #lendasportuguesas #ebookgratis #ebookgratuito #ebookportuguês #ebookportugues #ebookportugues #literaturafantastica #literaturafantástica #mitologiaportuguesa #mitologia #saga #sagaoscastros

www.kobo.com/pt/pt/ebook/a-maldicao-do-rio
"O fantástico não está fora do real, mas no sítio do real que de tão visível não se vê.", Vergílio Ferreira
O adminstrador desactivou a escrita pública.
  • Página:
  • 1
Moderadores: adrianepiscitelli
Time to create page: 0.457 seconds

Últimas Opiniões

  • A Ilustre Casa de Ramires
    NOTA: Este comentário contém spoilers (*** não leia se pretender ainda ler o livro ***) Após 2 ou ...
  • 28.06.2020 09:42
  • Imortal (José Rodrigues dos Santos)
    Acabei (finalmente) de ler o mais recente livro de José Rodrigues dos Santos - Imortal que trata de um ...
  • 01.06.2020 23:30
  • O Túmulo do Mestre
    Ótimo livro para se ler num fim de semana! Li-o em duas tardes. Os capítulos não são grandes, pelo ...
  • 19.04.2020 19:03

Uma Pequena Palavra...

"Era uma vez uma mulher cujo ofício era contar histórias. Andava por todo o lado oferecendo a sua mercadoria, relatos de aventuras, de suspense, de horror ou de luxúria, tudo a um preço justo. Num meio dia de agosto encontrava-se no centro de uma praça quando viu avançar na sua direção um homem (...) És tu a que conta histórias?, perguntou o estrangeiro. (...) Então vende-me um passado, porque o meu está cheio de sangue e de lamentos e não me serve para percorrer a vida."
Isabel Allende
in Eva Luna