Bem-vindo, Visitante
Username: Password: Memorizar
  • Página:
  • 1

TÓPICO: Ebook gratuito - 7 espadas acima (texto poético)

Ebook gratuito - 7 espadas acima (texto poético) há 1 ano 1 semana #87709

  • terduraes
  • terduraes's Avatar
  • DESLIGADO
  • Senior Boarder
  • Escritora e poeta
  • Mensagens: 40
7espadasacima.jpg


Acabei de escrever o meu último livro. O nome é “7 espadas acima” e é texto poético. Os dois últimos romances que lancei anteriormente foram escritos em 2015 e 2016 e ficaram guardados no meu computador até verem luz.

Como os últimos, está na loja kobo.com para download gratuito. Na amazon.com tenho de fixar um preço mínimo.

Sinopse:

“Sei que te esperarei na próxima noite quando o mundo adormecer suavemente. Então, poderemos viver umas horas na confidência das estrelas, no segredo dos animais noturnos escondidos sob o luar, ténue luz guardadora das confidências dos amantes. Tenho tanto para te dizer e tão pouco tempo para partilhar. Queria-te comigo nos raios solares onde poderíamos correr descalços sobre a terra sentido o passado para além da História. Talvez nos encontrássemos num tempo anterior a todos os tempos, antes de todas as coisas, no tempo das espadas forjadas pelos Deuses, 7 espadas acima das colinas, 7 espadas acima dos vales. Agarraríamos as mãos numa dança louca, eu que não gosto de dançar, dançaríamos a dança estonteante das flores cantantes, dos sobreiros e castanheiros. E descansaríamos no cair da noite quando as corujas brancas se preparam para a caçada e lançam os seus gritos de predadores. Seríamos felizes”

Podem através do link fazer do download gratuito:


Boa leitura!
"O fantástico não está fora do real, mas no sítio do real que de tão visível não se vê.", Vergílio Ferreira
O adminstrador desactivou a escrita pública.
  • Página:
  • 1
Moderadores: adrianepiscitelli
Time to create page: 0.491 seconds

Uma Pequena Palavra...

"Quem escreve lembra-me o afogado que desesperado esbraceja para vir à tona. O escritor é isso que faz. Dentro de si, por uma razão qualquer, escasseia o ar. Então, ofegante, arruma o pensamento de acordo com o que as palavras lhe permitem, e assim respira e alivia a sua angústia."
Nuno Lobo Antunes