Bem-vindo, Visitante
Username: Password: Memorizar
  • Página:
  • 1

TÓPICO: Mais dois lançamentos da Ésquilo

Mais dois lançamentos da Ésquilo há 9 anos 8 meses #27804

  • vibarao
  • vibarao's Avatar
  • DESLIGADO
  • Administrator
  • Mensagens: 6991
  • Thank you received: 61
O lançamento das obras «Os Pecados da Rainha Santa Isabel» de António Cândido Franco e «Iraque — O Pranto de Ishtar» de Maria Lucília Meleiro terá lugar na livraria Leya na CEBUCHHOLZ (antiga Livraria Buchholz), Rua Duque Palmela, 4 (ao Marquês de Pombal), Lisboa, na segunda-feira, dia 6 de Dezembro, às 19H00.
A apresentação de «Os Pecados da Rainha Santa Isabel» estará a cargo da Prof.ª Doutora Annabela Rita, directora do CLEPUL, Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
«Iraque — O Pranto de Ishtar» será apresentada pelo Prof. Doutor Fernando Pinto do Amaral, comissário do Plano Nacional de Leitura.


O livro «Os Pecados da Rainha Santa Isabel» está no Segredo dos Livros e já despertou a atenção de vários membros do nosso Clube de Leitores.

Sobre o livro «Iraque — O Pranto de Ishtar», seguem-se algumas notas:



"Iraque, o Pranto de Ishtar" é um romance histórico de lugar que tem como ponto de partida o recente conflito no Iraque, os horrores da guerra, a violência e a devastação. Um jovem soldado norte-americano e um arqueólogo italiano a trabalhar no Museu de Bagdade descobrem uma temível organização secreta, que opera ao mais alto nível, sempre na sombra, mas em perfeita consonância com a realidade incómoda da guerra, e que parece ter nas suas mãos o destino do conflito.
Partindo de factos reais e dos testemunhos pungentes dos que participaram nos acontecimentos, a narrativa flui entrelaçando os factos com mitos fundadores da Ásia Central e de todo o território iraquiano; o Dilúvio, o Jardim do Éden, a Arca da Aliança, as Sete Torres de Shaytan e o aparecimento na Terra dos Nefilim, uma raça de semideuses infernais ligada à tradição dos Anjos Caídos, que são fonte de inspiração para um monstruoso plano destinado a destruir o mundo, para erguer dos seus escombros uma Nova Ordem mundial, transformando o conflito na luta eterna entre o Bem e o Mal, a morte e a Vida e o desejo humano de imortalidade e de Absoluto.

Autora:
Maria Lucília Meleiro é natural de Lisboa e licenciada em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Fez pós-graduações e mestrados em Desenvolvimento Pessoal e Social, com uma tese sobre Desenvolvimento e Imaginação, e em Literatura Inglesa, com uma tese sobre Thomas Browne.
Foi professora de Inglês e de Alemão durante alguns anos, no Ensino Secundário, e a sua obra divide-se entre o ensaio, a ficção e a poesia. É membro da direcção do centro de Estudos Arqueológicos e Etnológicos (C.E.A.E.) e participa regularmente em Seminários Internacionais de Arqueologia.
Publicou em 1994 A Mitologia dos Povos Germânicos, um ensaio sobre a cultura e os mitos germânicos, obra bem recebida pela crítica e pelas universidades portuguesas e estrangeiras.
Em 2002 publicou, com a chancela da editorial Presença, o seu primeiro romance histórico A Rosa de Alexandria, uma biografia ficcionada da rainha helenística Arsínoe Filadelfa, que reinou no Egipto durante o período lágida, antepassada ilustre da célebre Cleópatra.
Participou nas Antologias luso-brasileiras Um Rio de Contos e o Prisma de Muitas Cores – Poesia de Amor. Iraque – o Pranto de Ishtar, é o seu segundo romance histórico localizado no Próximo e Médio Oriente. Em pleno cenário de guerra, organizações sem rosto actuam a coberto de mitos milenares, que remontam à origem do homem e da própria civilização, determinando de forma inexorável o curso dos acontecimentos. É a luta entre o Bem e o Mal, a Vida e a Morte e o sonho do homem atingir a Imortalidade e o Absoluto.
Última Edição: há 9 anos 8 meses por vibarao.
O adminstrador desactivou a escrita pública.
  • Página:
  • 1
Moderadores: fbeatriz
Time to create page: 0.474 seconds

Uma Pequena Palavra...

"É preciso ter chorado para imortalizar o riso no livro, na estrofe, na sentença, na palavra."
Camilo Castelo Branco in A mulher fatal