A Flauta Maravilhosa

Autor: António Mota
Ilustração: Catarina Correia Marques
Género: Infantil
Edição: Jul/2020
Páginas: 32
ISBN: 9789892348421
Editora: ASA

 

 

Num dia de muito calor, dois sequiosos viajantes encontram finalmente um laranjal para poderem matar a sede. A guardá-lo está um rapaz que se prontifica a ajudá-los apesar das ordens do patrão. Em troca, recebe uma flauta que dizem ser maravilhosa… e assim começa esta história tradicional, recontada por António Mota.

Obra recomendada pelo Plano Nacional de Leitura.

Deste autor no Segredo dos Livros:
A Ovelha Estrelinha e o Gato Chiribi
Se Eu Fosse Muito Forte
Os Negócios do Macaco
O Livro das Lengalengas 2
O Agosto Que Nunca Esqueci
No Meio do Nada
Se eu Fosse Muito Alto
Quando o Regato Secou
Pinguim
Lá de Cima, Cá de Baixo
Onde Tudo Aconteceu
A Casa da Janela Azul
Trocas e Baldrocas
Histórias às Cores
O Anel Mágico

Autor – António Mota

Autor:

António Mota nasceu em Vilarelho, Ovil, concelho de Baião, em 1957. Em 1979 publicou o seu primeiro livro, intitulado A Aldeia das Flores, e não mais parou de escrever. É atualmente um dos autores mais lidos e premiados da literatura infantojuvenil portuguesa, tendo cerca de noventa títulos publicados, e a sua vasta obra foi, em grande parte, selecionada pelo Plano Nacional de Leitura.
Recebeu vários prémios, dos quais se destacam o Prémio da Associação Portuguesa de Escritores (1983), para O Rapaz de Louredo, o Prémio Gulbenkian de Literatura para Crianças e Jovens (1990), para Pedro Alecrim, o Prémio António Botto (1996), para A Casa das Bengalas, e o Grande Prémio Gulbenkian de Literatura para Crianças e Jovens, categoria «Livro Ilustrado» (2004), para Se Eu Fosse Muito Magrinho (com ilustrações de André Letria). Em 2008, foi agraciado pela Presidência da República com a Ordem da Instrução Pública. Em 2014, foi nomeado para o prémio ALMA por ser «um dos mais prolíficos escritores portugueses para a infância e juventude» e por a sua obra ter «a singular qualidade de ser ao mesmo tempo intemporal e universal». A nomeação repetiu-se na edição de 2015 deste que é um dos mais importantes prémios internacionais na área da literatura infantojuvenil.

0 comentários
0 likes
Anterior: Três Retratos – Salazar, Cunhal, SoaresSeguinte: A Árvore dos Rebuçados

Comentar