As Histórias do Renato, Um Menino Muito Chato

FaceBook  Twitter  


Vol. 1 - O Quarto da Trapalhada
Autor: António Gomes de Almeida
Edição: Jul/2005
Páginas: 12
ISBN: 9789728490713
Editora: Roma Editora

 
Vol. 2 - Dentes Bonitos
Autor: António Gomes de Almeida
Edição: Jul/2005
Páginas: 12
ISBN: 9789728490720
Editora: Roma Editora



Vol. 3 - Vermelho, Amarelo e Verde
Autor:
António Gomes de Almeida
Edição: 2005
Páginas: 12
ISBN: 9789728490737
Editora: Roma Editora



Vol. 4 - O Tique-Taque
Autor:
António Gomes de Almeida
Edição: Jul/2005
Páginas: 12
ISBN: 9789728490744
Editora: Roma Editora


As histórias do Renato, um menino muito chato.
Uma maneira divertida de ensinar e aprender! Inclui objectos e animais para destacar e armar.

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Pão de Açúcar
    Faz agora em fevereiro catorze anos que se deu um acontecimento que apaixonou o País e deixou os ...
  • 02.02.2020 22:44
  • Budapeste
    Este livro fala de uma profissão que muitos podem considerar ficção, mas é muito real e mais vulgar do ...
  • 18.01.2020 23:22
  • A Luz de Pequim
    Apesar de ter vários livros do autor na estante, ainda não tinha tido a oportunidade de ler qualquer ...
  • 15.01.2020 13:56

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Algumas obras morrem porque nada valem; estas, por morrerem logo, são natimortas. Outras têm o dia breve que lhes confere a sua expressão de um estado de espírito passageiro ou de uma moda da sociedade; morrem na infância. Outras, de maior escopo, coexistem com uma época inteira do país, em cuja língua foram escritas, e, passada essa época, elas também passam; morrem na puberdade da fama e não alcançam mais do que a adolescência na vida perene da glória. Outras ainda, como exprimem coisas fundamentais da mentalidade do seu país, ou da civilização, a que ele pertence, duram tanto quanto dura aquela civilização; essas alcançam a idade adulta da glória universal. Mas outras duram além da civilização, cujos sentimentos expressam. Essas atingem aquela maturidade de vida que é tão mortal como os Deuses, que começam mas não acabam, como acontece com o Tempo."
Fernando Pessoa, in Heróstrato