Contos Arrepiantes da História de Portugal – Descobrimentos Desgraçados

Autores: Rui Correia e António F. Nabais
Ilustração: Hélio Falcão
Género: Juvenil
Coleção: Contos Arrepiantes da História de Portugal (Vol. 2)
Edição: Out/2020
Páginas: 80
ISBN: 9789897840111
Editora: Nuvem de Tinta

 

Os Descobrimentos Portugueses foram tão admiráveis como desgraçados. Não acreditam?
Portugal. Esse país miudinho que, durante os séculos XV e XVI, comandou as terras, os mares, as gentes e as estrelas. Como foi possível que, em poucas décadas, um país afundado em crise se tivesse tornado uma potência mundial tão grande que chegou a repartir o mundo todo com Castela («Tu ficas com esta metade, que eu fico com a outra»)? Portugal possui uma história feita de medo, cobardia, violência, crueldade, sofrimento, ganância, ambição, garra, curiosidade, coragem, ciência, engenho e muito, muito heroísmo. Que vida a nossa. As páginas dos Descobrimentos Portugueses são tão admiráveis como desgraçadas. Mas talvez por isso mesmo valha a pena conhecer cada uma delas.
Depois de Idade Média Medonha, o segundo volume da coleção Contos Arrepiantes da História de Portugal.

Volume anteriores desta coleção:
Idade Média Medonha

Autor – Rui Correia

Autor:

Rui Correia Global Teacher Prize 2019. Olá. Adoro histórias. Não sei se gosto mais que mas contem ou de as contar eu. Sei montes delas. Se calhar, é por isso que sou professor de História. Adoro ter as pessoas presas às minhas histórias. Conto sempre muitas nas minhas aulas. Umas fazem rir e outras fazem chorar. Mas creio que é para isso mesmo que as histórias servem. Para percebermos melhor quem somos. Há quem julgue que a História só serve para conhecer o passado. Eu não acho nada disso. Acho que quanto mais sabemos de História, melhor percebemos tudo o que se passa hoje. É como crescer. Quando lemos estas histórias, percebemos que Portugal também teve uma infância. E que nem sempre foi feliz.

Autor – António F. Nabais

Autor:

António F. Nabais. Viva! Entre outros problemas, sou professor de Português e de Latim. Um dos meus maiores desejos é viajar no tempo, porque sempre senti curiosidade em perceber o que pensavam e sentiam as pessoas de outras épocas. Até hoje, que se saiba, ainda só inventaram duas máquinas de viajar no tempo: a leitura e a escrita. Quando me convidaram para escrever este livro, pensava que já sabia muito; confirmei que, afinal, ainda tinha muito para aprender. O trabalho que tive para escrever este livro foi um prazer. Não fiquei a saber tudo sobre as pessoas que conheci, porque uma viagem não é suficiente para isso, mas hei de lá voltar.

0 comentários
0 likes
Anterior: Almanaque da História de PortugalSeguinte: Holocausto – Lançamento

Comentar

Siga-nos no Facebook
Facebook Pagelike Widget
Últimos Livros Comentados
Tópicos recentes