Eleanor & Park

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: Rainbow Rowell
Edição: Jan/2015
Páginas: 336
ISBN: 9789897101229
Editora: Chá das Cinco

 

 

 

Eleanor é uma miúda nova na escola, vinda de outra cidade. A sua vida familiar é um caos; sendo gorda e ruiva, e com a sua forma esquisita de se vestir, atrai a atenção de todos em seu redor, nem sempre pelos melhores motivos.
Park é um rapaz meio coreano. Não é propriamente popular, mas vestido de negro e sempre isolado na música através dos seus fones e livros, conseguiu tornar-se invisível. Tudo começa por ser diferente quando Park acede a que Eleanor se sente ao lado dele no autocarro da escola.

A princípio nem sequer se falam, mas pouco a pouco começam por se envolver numa genuína relação de amizade e cumplicidade que mudará as suas vidas. E contra o mundo, o amor nasce. Porque o amor é um superpoder.

Autora:

Rainbow Rowell vive em Omaha, Nebraska, com o marido e os dois filhos. Por vezes escreve sobre os adultos, e outras vezes sobre jovens, mas aborda sempre pessoas tagarelas, que erram e fazem asneiras e que se apaixonam. Quando não está a escrever, Rainbow lê banda desenhada, planeia viagens ao Disney World e argumenta sobre coisas que na verdade não são muito relevantes no grande esquema do mundo.

Saba mais em www.rainbowrowell.com

Comentários  

 
#2 Joana Cardoso 2015-04-03 21:03
Este é um dos romances mais fofinhos entre adolescentes que eu li até hoje. Além disso, é também uma história com, digamos, história. Pode-se dizer que o livro não se foca apenas na relação entre estas duas personagens, mas em tudo o que faz parte da vida delas.

Esta é uma história simples, escrita de uma maneira simples. Não existem subterfúgios ao longo da história. As coisas são como são e a autora vai-nos apresentando as diversas informações e acontecimentos de uma forma clara e directa.

Gostei bastante do ambiente da história, em que os walkmans ainda mandavam no mercado e não havia telemóveis. Lembro-me bastante bem de ainda gravar as minhas playlist em cassetes e de combinar uma hora ao telefone com as minhas amigas para podermos falar, apesar de isto já ter sido nos anos 90 e não nos anos 80.

Quanto às personagens, achei-as adoráveis. A Eleanor é uma rapariga cheia de força que faz o melhor que pode com a sua situação familiar. Como é óbvio, tudo aquilo por que passa não deixa de a afectar, levando a que se torne numa pessoa insegura e algo fechada. Contudo, é também alguém que nunca baixa os braços e a cabeça e se esforça por seguir em frente. Já o Park acaba por ter a vida familiar ideal, em que os pais se amam e estão lá para os filhos, sempre que é preciso. Por um lado, isso também mexe com Park, porque, de certa forma, o impede de perceber quem é e agir de acordo com isso.

Terem-se conhecido foi a melhor coisa que poderia ter acontecido a ambos. A sua relação desenvolve-se através de pequenas acções que, no início, nem sequer precisam de palavras, até ao momento em que estão tão embrenhados um no outro, que nada mais interessa. A maneira como a relação de ambos os afecta é positiva. Aos poucos, Eleanor começou a aceitar-se melhor a si mesma e a perceber que realmente pode existir amor entre dois indivíduos sem que haja necessidade de se magoarem. Já Park encontrou em Eleanor a força para começar a fazer aquilo que quer e assim começar a traçar a sua personalidade.

Quanto às outras personagens, é triste ver como uma relação dominada pela força pode ser tão destrutiva, tanto para os adultos como para as crianças. Os irmãos de Eleanor parecem ser bastante inteligentes e engraçados, mas vivem num mundo constante de medo, o que acaba por os transformar. Já a mãe de Eleanor parece ser uma pessoa que perdeu imenso do seu brilho e custa-me ver que não é capaz de se erguer contra as adversidades e estar lá para os seus filhos. Relativamente à família de Park, os pais amam-se profundamente e isso é fácil de ver. Percebe-se ainda que a mãe de Park tem um coração enorme e se preocupa demais com os filhos. Gostei de ver como a sua atitude mudou para com Eleanor, a partir do momento em que se apercebe como as coisas realmente são. Já o pai de Park é alguém bastante recto e que acha que tudo tem que ser feito à sua maneira. Apesar disso, acaba por vir a apoiar incondicionalme nte o filho, quando ele realmente precisa desse apoio.

A maneira como a história acaba não é propriamente fácil, nem bonita. Eleanor acaba por ter que dizer adeus, devido aos perigos que corre, e Park ajuda-a, porque, apesar de precisar dela, Eleanor é mais importante do que ele próprio. Foi uma despedida triste, mas com esperança, o que me faz acreditar que Eleanor e Park ainda terão direito a um final feliz.
 
 
#1 Maria Manuel Sousa 2015-03-10 23:18
Quando peguei neste livro, já tinha lido alguns comentários e tinha as expectativas muito altas. Talvez por isso, o livro não me surpreendeu. É um bom livro, mas não o melhor que li, pelo menos nos últimos tempos.
Eleanor é nova na cidade e na escola. No primeiro contacto com Park, ele estranha a miúda ruiva com roupas diferentes que se senta a seu lado. Apesar de, inicialmente, não falarem, eles começam a pouco e pouco a relacionarem-se . A partir daí, a estória evolui e com ela os olhares, toques, sentimentos. É um romance em que tudo leva o seu tempo, fora dos estereótipos actuais, muito bem escrito e que nos leva a pensar no quanto as regras que nos são impostas, afectam a nossa vida de alguma forma.
No geral, gostei muito do livro, excepção para o final que o imaginava completamente diferente....
Quer saber porquê? Leia, também vai ser surpreendida(o) .
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Hugo Chávez, o colapso da Venezuela
    Gosto de estar bem informado e não fazer juízos sem conhecimento de causa. O governo da Venezuela tem ...
  • 02.09.2019 14:09
  • Autobiografia
    "Autobiografia" , o novo romance de José Luís Peixoto, é o 3º livro que leio deste autor. Os anteriores ...
  • 18.08.2019 17:41
  • A Dama do Quimono Branco
    Com este volume, termina a saga do Samurai Negro, constituída por uma trilogia de romances históricos ...
  • 29.07.2019 17:54

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Um livro é um brinquedo feito com letras. Ler é brincar."
Rubem Alves