Nolita e a Cruz Medieval

FaceBook  Twitter  

 

 

  

Autora: Maria Jorge
Série: Os Arqueólogos (Vol. 1)
Edição: Out/2012
Páginas: 264
ISBN: 9789895548804
Editora: QuidNovi

 

 

Quando a Nolita recebe o convite da sua amiga e arqueóloga Lara para participar numas escavações que decorrem no castelo de Almourol está longe de imaginar o que irá acontecer.
Uma cruz de ouro e pedras preciosas proveniente das escavações, que à primeira vista parece ser um simples objeto de metal, esconde poderes inimagináveis e vai levá-la a embarcar numa emocionante aventura pelo mundo medieval.

Mas, no passado, em plena Reconquista e tempo de guerra entre cristãos e muçulmanos, a existência de Nolita vai ser posta em causa e só os seus amigos conseguirão salvá-la e trazê-la sã e salva para o presente.

Sobre a série:
Os Arqueólogos é uma coleção juvenil que alia acontecimentos históricos, lendas e ficção.
Nolita, a heroína, e os seus amigos arqueólogos viajam ao passado para salvar a História de Portugal e impedir que o seu curso seja alterado.
São aventuras ao jeito de Indiana Jones, cheias de histórias arqueológicas e com muita ação, suspense, mistério, perigo e humor.

Autora:

O fascínio pela História e pelo modo de vida dos nossos antepassados levaram Maria Jorge a conhecer castelos e monumentos e a «viajar» por outras épocas. Os Arqueólogos é a forma de a autora aliar a história à escrita, duas atividades que a têm acompanhado ao longo da vida.

Saiba mais no blogue osarqueologos-mariajorge.blogspot.pt e na página do Facebook.

Comentários  

 
+2 #1 Sebastião Barata 2012-11-09 23:41
Este primeiro volume da série "Os Arqueólogos" deixa antever que estamos perante um projeto de grande interesse para os adolescentes portugueses. Tem aventura, suspense, perigo e segredos para desvendar, tudo coisas que atraem a atenção deste grupo etário.
Para além disso, ajuda-os a conhecer a história do nosso país e a gostar dos nossos heróis do passado. É o caso deste volume, que nos fala da reconquista do território aos mouros e do importante papel desempenhado pelos Templários. A ação começa no castelo de Almourol e termina no Convento de Cristo em Tomar. Parte de um grupo de arqueólogos que faziam um trabalho de campo no castelo viram-se, de repente e inesperadamente , transportados para o ano de 1190 e envolvidos no cerco de Al-Mansur ao convento/fortal eza de Tomar. Valeram-lhes os colegas que ficaram no século XXI para os ajudar a regressar.
A trama está muito bem construída, sem pontas soltas, embora com algumas imprecisões detetáveis por um adulto habitué dos livros de ficção científica, mas aceitáveis para a idade dos destinatários.
Em resumo, um bom livro que promete boas sequelas e merece ser incluído no Plano Nacional de Leitura, ao lado de outros bem menos interessantes.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • O Bibliotecário
    Trabalho numa biblioteca, e talvez por isso ofereceram-me esse livro. Tem um nome aliciante e uma ...
  • 14.09.2018 11:06
  • A Terra de Naumãn
    Quem disse que em Portugal não se faz boa ficção científica? Este novo romance de H. G. Cancela ...
  • 01.09.2018 10:34
  • Mariana Vitória de Bourbon – A rainha discreta
    Eu, que até sei bastante sobre a História de Portugal e me interesso pelo tema, confesso que não sabia ...
  • 20.08.2018 22:14

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

 "Há mais do que uma maneira de queimar um livro. E o mundo está cheio de pessoas que correm de um lado para o outro com fósforos acesos".
Ray Bradbury in Fahrenheit 451