O Clube dos Cientistas 8: De Cabelos em Pé

FaceBook  Twitter  

 


Autora:
Maria Francisca Macedo
Ilustração: Sara Paz
Coleção: O Clube dos Cientistas (Vol. 8)
Género: Infantil
Edição: Set/2018
Páginas: 96
ISBN: 9789897077258
Editora: Booksmile

  



Gostas de ler? Adoras aventuras e fazer experiências? O Clube dos Cientistas é a coleção para ti!

A Catarina, o Chico e o Carlos são três irmãos curiosos, fascinados pela ciência e sempre em busca de mistérios. Vais divertir-te a ler as suas histórias empolgantes e cheias de ação! Se fores como eles, não vais resistir a ler o Caderno de Experiências até ao fim e pôr mãos à obra.

A Catarina e a sua colega Ana andam muito entusiasmadas, pois este ano é a turma delas a organizar a festa de Halloween. Mas algo inesperado acontece. As decorações que tinham angariado para a festa, e que se encontravam guardadas na arrecadação da escola? DESAPARECERAM!
A única pista que encontram no local é uma lata de sumo de mirtilo. Será que vai ser suficiente para o clube conseguir descobrir o que aconteceu?
Junta-te ao Clube dos Cientistas e vem resolver este mistério de pôr os Cabelos em Pé!

Idade-Alvo: A partir dos 7 anos

Extrato disponível aqui.

Desta coleção no Segredo dos Livros:
O Clube dos Cientistas 7: Levanta Voo
O Clube dos Cientistas 6: A Barragem Assombrada
O Clube dos Cientistas 5: Perigo na Floresta
O Clube dos Cientistas 1:Os Contrabandistas de Cristais

Autora:

Maria Francisca Macedo nasceu em 1988 e cresceu entre a cidade e o campo. Sempre foi aventureira e curiosa. Desde pequena que é apaixonada por ciências, experiências e animais, mas também por histórias e mundos fantásticos. Num canto do seu quarto chegou a ter todo o tipo de animais improváveis: rãs e girinos, caracóis gigantes, patos, codornizes, coelhos e muitos outros! Sempre com o objetivo de os investigar e percebê-los melhor. Foi também no seu quarto que a cadela e a gata da família escolheram ter ninhadas, imagine-se! Seguiu o curso de Biologia, que era o que fazia mais sentido. Mas, quando percebeu que os verdadeiros apaixonados por experiências, perguntas e histórias eram as crianças, mudou de curso e tornou-se professora do Ensino Básico, em 2011. No sentido de dar asas à sua imaginação, tem procurado cursos de escrita criativa, de ilustração e de literatura infantil.
Para além de dar aulas, vai (sempre que lhe é pedido!) às escolas e bibliotecas encontrar-se com alunos e professores para fazer experiências e estimular a leitura, a ciência e a criatividade. Graças a este projeto, foi distinguida pelo GLOBAL TEACHER PRIZE 2018, com uma Menção Honrosa pelo elevado contributo para a Educação e Sustentabilidade Social.

Autora:

Sara Paz formou-se em Design Visual pelo IADE em 2003. Há 6 anos que trabalha como freelance em todas as áreas do design gráfico, desde criação de logotipos, ilustração de livros, elaboração de cartazes e com especial dedicação à área da educação, criando infografias e ilustração científica para manuais escolares.
Trabalhou para a editora angolana Visão do Grupo Media Nova até 2010, paginando e estando a cargo da imagem gráfica de duas publicações periódicas. Trabalhou ainda como infografista para a Texto Editores e em pequenas agências de design.

Saiba mais em sarapazdesign.wordpress.com

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • 25 de Abril, Corte e Costura
    Este livro é exatamente o que eu esperava dele: uma sucessão de quadros em que se ridiculariza a ...
  • 28.04.2019 21:03
  • A Aluna Americana
    Este é o mais recente romance de João Pedro Marques, autor de, entre outros, "Uma Fazenda em África" ...
  • 25.04.2019 20:42
  • O Último Cabalista de Lisboa
    Consegui, finalmente, ler este livro que foi o primeiro romance de Richard Zimler. Publicado em 1996 ...
  • 07.04.2019 23:56

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Algumas obras morrem porque nada valem; estas, por morrerem logo, são natimortas. Outras têm o dia breve que lhes confere a sua expressão de um estado de espírito passageiro ou de uma moda da sociedade; morrem na infância. Outras, de maior escopo, coexistem com uma época inteira do país, em cuja língua foram escritas, e, passada essa época, elas também passam; morrem na puberdade da fama e não alcançam mais do que a adolescência na vida perene da glória. Outras ainda, como exprimem coisas fundamentais da mentalidade do seu país, ou da civilização, a que ele pertence, duram tanto quanto dura aquela civilização; essas alcançam a idade adulta da glória universal. Mas outras duram além da civilização, cujos sentimentos expressam. Essas atingem aquela maturidade de vida que é tão mortal como os Deuses, que começam mas não acabam, como acontece com o Tempo."
Fernando Pessoa, in Heróstrato