O Conto da Ilha Desconhecida

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: José Saramago
Género: Infantil
Coleção: Reino das Letras
Edição: Out/2017
Páginas: 64
ISBN: 9789720717788
Editora: Porto Editora

 

 

Um homem foi bater à porta do rei e disse-lhe, Dá-me um barco.
Situada num tempo e num espaço indeterminados, a história do homem que queria um barco para ir à procura da ilha desconhecida promete ser a história de todos os homens que lutam contra as convenções em busca dos seus sonhos e de si próprios.

A Coleção Reino das Letras nasce da vontade de aliar a magia das melhores histórias de todos os tempos à leitura sempre renovada que delas podemos fazer. No Reino das Letras, o rei chama-se Sonho e a rainha Imaginação.

Idade-alvo: 9 aos 12 anos (Leitura recomendada para o 8º ano de escolaridade pelo PNL).

Deste autor no Segredo dos Livros:
O Ano da Morte de Ricardo Reis
Claraboia
Caim
O lagarto

Autor:

José Saramago nasceu em 1922, na aldeia de Azinhaga.
As noites passadas na biblioteca pública do Palácio Galveias, em Lisboa, foram fundamentais para a sua formação. «E foi aí, sem ajudas nem conselhos, apenas guiado pela curiosidade e pela vontade de aprender, que o meu gosto pela leitura se desenvolveu e apurou.»
Em 1947 publicou o seu primeiro livro que intitulou A Viúva, mas que, por razões editoriais, viria a sair com o título de Terra do Pecado. Seis anos depois, em 1953, terminaria o romance Claraboia, publicado apenas após a sua morte.
No final dos anos 50 tornou-se responsável pela produção na Editorial Estúdios Cor, função que conjugaria com a de tradutor, a partir de 1955, e de crítico literário. Regressa à escrita em 1966 com Os Poemas Possíveis.
Em 1971 assumiu funções de editorialista no Diário de Lisboa e em abril de 1975 é nomeado diretor-adjunto do Diário de Notícias.
No princípio de 1976 instala-se no Lavre para documentar o seu projeto de escrever sobre os camponeses sem terra. Assim nasceu o romance Levantado do Chão e o modo de narrar que caracteriza a sua ficção novelesca. Até 2010, ano da sua morte, a 18 de junho, em Lanzarote, José Saramago construiu uma obra incontornável na literatura portuguesa e universal, com títulos que vão de Memorial do Convento a Caim, passando por O Ano da Morte de Ricardo Reis, O Evangelho segundo Jesus Cristo, Ensaio sobre a Cegueira, Todos os Nomes ou A Viagem do Elefante, sendo autor de mais de 40 obras traduzidas em todo o mundo.
No ano de 2007 foi criada em Lisboa uma Fundação com o seu nome, que trabalha pela difusão da literatura, pela defesa dos direitos humanos e do meio ambiente, tomando como documento orientador a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Desde 2012 a Fundação José Saramago tem a sua sede na Casa dos Bicos, em Lisboa.
José Saramago recebeu o Prémio Camões em 1995 e o Prémio Nobel de Literatura em 1998.

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Limões na Madrugada
    Carla M. Soares fez uma pausa nos romances históricos (que espero não passe de uma breve pausa) para ...
  • 02.12.2017 13:57
  • Ramalho Eanes: O Último General
    Para comentar este livro, tenho de distinguir o tema e a fidelidade à realidade histórica, da forma como ...
  • 28.11.2017 22:57
  • Bala Santa
    A nova edição foi o pretexto para, finalmente, conseguir arranjar tempo para ler este livro do saudoso ...
  • 24.11.2017 17:01

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Como um dia alguém me ensinou, os bons amigos são como os livros, nunca partem de vez. Sempre ficam no nosso coração."
Alberto S. Santos, in Para lá de Bagdad