O Meu Pé de Laranja Lima

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: José Mauro de Vasconcelos
Coleção: Obras de José Mauro de Vasconcelos (Vol. 1)
Edição: Mai/2015
Páginas: 208
ISBN: 9789898491886
Editora: Booksmile

 

 


Esta é a história comovente de Zezé, um menino de seis anos nascido no seio de uma família muito pobre. Zezé é inteligente, sensível e criativo, mas muito endiabrado. Carente do afeto que não encontra junto do pai e da mãe, mais preocupados em sobreviver a cada dia, o menino perde-se nas ruas, onde só lhe dá para inventar travessuras.

Tendo aprendido demasiado cedo a dor e a tristeza, Zezé acaba por usar o mundo da sua imaginação para fugir da realidade da vida: toma por confidente um pé de laranja lima, a que chama Xururuca e ao qual revela os seus sonhos e desejos. Será nesta fantasia que Zezé vai encontrar a alegria de viver e a força para vencer as suas adversidades.
O Meu Pé de Laranja Lima é a obra maior de José Mauro de Vasconcelos, um dos grandes nomes da literatura brasileira. Um livro autobiográfico que urge descobrir, ou reencontrar, e que é aclamado como um dos mais importantes livros juvenis em língua portuguesa.

Lê as primeiras páginas aqui.

Faixa etária: a partir dos 12 anos

Outros volumes incluídos nesta coleção:
Vamos Aquecer o Sol (a continuação de O Meu Pé de Laranja Lima)
Rosinha Minha Canoa (o primeiro grande êxito do autor, vencedor do Prémio Jabuti de Romance)

Autor:

José Mauro de Vasconcelos nasceu no Rio de Janeiro em 1920 e faleceu em São Paulo em 1984.
Descendente de portugueses, o autor teve vários empregos durante a adolescência, viajando depois por todo o Brasil e por vários países europeus.
O seu primeiro grande êxito foi Rosinha, Minha Canoa (1962). Em 1968 publicou o seu livro mais conhecido, O Meu Pé de Laranja Lima, que já foi adaptado para televisão, cinema e teatro.
Pelo conjunto da sua obra é hoje considerado um autor clássico da literatura juvenil brasileira do século XX.

Vê aqui o booktrailer:

Comentários  

 
#1 João Teixeira 2015-06-03 18:40
A primeira vez que tomei contacto com este livro, foi quando tinha 10 anos e a minha professora de Língua Portuguesa me recomendou a sua leitura. Ao chegar a casa e ao ler as primeiras páginas, fez-me imensa confusão o facto de o livro estar escrito em Português do Brasil (o que até é estranho, pois estava habituado a ler os "quadrinhos" da Mônica...), o que me levou a desistir de o ler até ao fim. Felizmente que agora já estou crescido e os livros em Português do Brasil já não me fazem confusão nenhuma. Se bem que talvez na altura o tivesse lido com outra sensibilidade, lê-lo agora foi bastante mais interessante.

No geral, gostei muito deste livro, por nele ser retratada de forma bastante realista a vida de uma família brasileira muito pobre, em meados do século XX. De quebrar o coração é a descrição do Natal da família, logo no início do livro. No entanto, o coração volta logo a recompor-se graças às diabruras do nosso Zézé e, principalmente, graças a um dos sentimentos mais nobres que existem: a Amizade.

Gostei deste livro por ser ternurento sem ser delicodoce, por nos sensibilizar sem ser melodramático e puxar facilmente à lágrima e, finalmente, porque se trata de uma história autobiográfica do autor.

8 em 10 estrelas
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • A Morte do Papa
    Depois de ter lido todos os livros anteriores de Nuno Nepomuceno, este foi o primeiro em que tive ...
  • 24.02.2020 00:22
  • Pão de Açúcar
    Faz agora em fevereiro catorze anos que se deu um acontecimento que apaixonou o País e deixou os ...
  • 02.02.2020 22:44
  • Budapeste
    Este livro fala de uma profissão que muitos podem considerar ficção, mas é muito real e mais vulgar do ...
  • 18.01.2020 23:22

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Como um dia alguém me ensinou, os bons amigos são como os livros, nunca partem de vez. Sempre ficam no nosso coração."
Alberto S. Santos, in Para lá de Bagdad