Os Maias

FaceBook  Twitter  

 


Autor:
Eça de Queirós
Género: Romance / Juvenil
Coleção: Tesouros da Literatura
Edição: Jul/2017
Páginas: 640
ISBN: 9789897074639
Editora: Fábula

 

 

Uma obra-prima da literatura portuguesa, que se tornou um clássico consagrado a nível mundial.
A ação d’Os Maias passa-se em Lisboa, na segunda metade do século XIX. Neste livro, Eça de Queirós conta a história de três gerações da família Maia, dando especial enfoque à relação amorosa de Carlos da Maia e Maria Eduarda.
Esta obra é também um pretexto para o autor fazer uma crítica e análise à situação decadente do país (a nível político e cultural) e à alta burguesia lisboeta oitocentista.

N’Os Maias estão patentes os componentes fundamentais da grandiosidade literária de Eça de Queirós: o estilo de narração e descrição alicerçado numa observação perspicaz, o humor, o realismo e a crítica mordaz.
Esta edição apresenta uma revisão cuidadosa de atualização e uniformização do texto, sendo respeitado o novo acordo ortográfico.

Idade-alvo: A partir dos 15 anos.

Extrato disponível aqui.

A Coleção Tesouros da Literatura, da qual este livro faz parte, oferece uma cuidada seleção de obras fundamentais da Literatura Universal, muitas das quais são recomendadas pelas Metas Curriculares de Português e pelo Plano Nacional de Leitura.

Autor:

José Maria Eça de Queiroz nasceu a 25 de novembro de 1845 na Póvoa de Varzim. Com 16 anos foi para Coimbra estudar Direito, tendo aí sido amigo de Antero de Quental. Os seus primeiros trabalhos, publicados publicados em fascículos na revista "Gazeta de Portugal", apareceram como coleção, publicada depois da sua morte, sob o título Prosas Bárbaras. Em 1869 e 1870, Eça de Queirós viajou ao Egito e visitou o canal do Suez que estava a ser construído, o que inspirou diversos dos seus trabalhos, entre os quais o Mistério da Estrada de Sintra, de 1870, e A Relíquia, apenas publicado em 1887. Em 1871 foi um dos participantes das chamadas Conferências do Casino. Mais tarde, foi trabalhar em Leiria como administrador municipal, onde escreveu a sua primeira novela realista da vida portuguesa, O Crime do Padre Amaro, que apareceu em 1875. Eça de Queirós passou os anos mais produtivos de sua vida em Inglaterra, como cônsul de Portugal em Newcastle e em Bristol. Escreveu então alguns dos seus trabalhos mais importantes, como A Capital. As suas obras mais conhecidas, Os Maias e O Mandarim, foram escritas em Bristol e Paris, respetivamente. O seu último livro foi A Ilustre Casa de Ramires, sobre um fidalgo do séc XIX com problemas para se reconciliar com a grandeza de sua linhagem. Foi também o autor da Correspondência de Fradique Mendes e A Capital, obra cuja elaboração foi concluída pelo filho e publicada, postumamente, em 1925. Fradique Mendes, aventureiro fictício imaginado por Eça e Ramalho Ortigão, aparece também no Mistério da Estrada de Sintra.
Faleceu em 1900 em Paris. Os seus trabalhos foram traduzidos em aproximadamente 20 línguas.

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Nenhum Olhar
    Gostei da análise do Sebastião Barata.
  • 09.04.2020 08:06
  • Deixem Passar o Homem Invisível
    Dez anos depois de ter vencido o Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLB 2009, regressa em nova ...
  • 25.03.2020 23:36
  • O Caçador de Brinquedos
    Se gosta de ficção científica, não deixe de ler este livro! João Barreiros é considerado um dos ...
  • 12.03.2020 16:59

Últimos Tópicos

    • Frecha
    • - Frecha, toda a magia tem um preço, sabes disso. Tens a certeza que queres...
    • há 1 semana 1 dia
    • Espaço para livros
    • Uma maneira simples e barata é embrulhá-los em rolo autoaderente, daquele que...
    • há 2 meses 5 dias
    • Melhores Livros De Romance
    • Obrigado pela partilha! Diversos desses livros têm nomes diferentes na edição...
    • há 2 meses 1 semana

Uma Pequena Palavra...

"É preciso ter chorado para imortalizar o riso no livro, na estrofe, na sentença, na palavra."
Camilo Castelo Branco in A mulher fatal