Um Atalho no Tempo

FaceBook  Twitter  

 

 

 

Autora: Madeleine L’Engle
Série: Viajantes no Tempo (Vol. 1)
Edição: Set/2013
Páginas: 240
ISBN: 9789897410949
Editora: Oficina do Livro

 

 

Um dos mais fascinantes clássicos de todos os tempos
Quando a história começa, as personagens principais, Meg Merry e o seu irmão mais novo, Charles Wallace, vivem com a mãe e os irmãos, Sandy e Dennys. Meg tem dificuldade em adaptar-se à escola e sente a falta do pai, um cientista, que desapareceu há mais de um ano enquanto efetuava uma experiência que envolvia viajar no tempo.

Um ser estranho de outro mundo visita o lar dos Murry e fornece uma pista importante sobre o paradeiro do Sr. Murry. Meg, Charles Wallace e o amigo Calvin O’Keefe começam então uma viagem perigosa no tempo e no espaço para salvarem o Sr. Murry. São assistidos pelas estranhas visitas dos Murry, a Sra. Quéisso, a Sra. Quem e a Sra. Qual. As crianças veem-se em breve no centro de uma luta entre o bem e o mal, que ameaça destruir a liberdade e a individualidade. Pelo caminho, desenvolvem força, coragem e capacidades que não sabiam ter. Para Meg, em especial, a viagem é mais do que uma aventura ou uma missão para ajudar os outros: é também uma viagem de autodescoberta que muda as suas ideias sobre si própria e as pessoas que a rodeiam.

Autora:

Madeleine L’Engle nasceu em Nova Iorque. Um Atalho no Tempo, o primeiro da série Viajantes no Tempo, é o seu livro mais famoso, que recebeu o Newbery Award em 1963. Com muita sensibilidade e mestria, criou uma saga multidimensional, que ultrapassa todas as barreiras da realidade, numa aventura épica e mitológica. Madeleine faleceu em 2007, no Connecticut, deixando mais de sessenta títulos para adultos e jovens, entre eles mais quatro volumes das aventuras dos irmãos Murry e seus amigos.

Saiba mais em www.madeleinelengle.com

Comentários  

 
#1 Catia Silva 2013-10-01 09:18
Não tinha conhecimento desta escritora, nem da existência deste clássico. O livro agarrou-me logo na primeira página. Foi interessante “sentir” o que estava a ler. O cenário que estava a ser descrito naquelas páginas estava também a acontecer à minha volta.
Um romance juvenil, repleto de aventuras, muito interessante e com imensas informações que ajudam os mais jovens a aprender sobre novos temas que de outra forma não iriam procurar.
Gostei muito das personagens, como são descritas e as suas personalidades, como vão evoluindo com o decorrer da ação. É o caso da Meg que, no início, se auto descreve como sendo uma jovem muito insegura e revoltada com as outras pessoas, por causa do desaparecimento do pai. Mas, no final, depois de tantas aventuras passadas na companhia do seu irmão Charles Wallace e do seu novo amigo Dennis, torna-se mais segura de si, com mais segurança, devido ao facto ao seu pai ter confiando nas suas capacidade e de a ter feito “crescer”, com a ajuda do amor.
Estes três jovens vão viver a aventura da vida deles, vão viajar no tempo, para irem salvar o pai da Meg e do Charles Wallace. A história faz referência a uma “luta” que já dura a muitos séculos, uma luta contra uma força Negra, que é batalhada por grandes personalidades, como é o caso de Jesus, Leonardo da Vinci, Miguel Ângelo, Shakespeare, Bach, Pasteur, madame Curie, Einstein, Schweitzer, Gandhi, Buda, Beethoven, Rembrandt, Euclides e Copérnico. É interessante e importante falar aos jovens sobre estas notabilidades, para os fazer questionar quem são, o que fizeram e porque é que são tão importantes e fazê-los procurar as suas obras e interessarem-se por novas formas de arte e clássicos musicais.
Achei interessante como a escritora encontrou uma forma divertida e ligeira de abordar temas que as crianças e adolescentes dos nossos dias devem achar que são uma grande “seca”.
Aqui ficam algumas frases históricas, que aparecem no livro e que ensinam os mais novos a conhecer as origens de frases que não conheciam.
“Auf frischer tata ertappt “ (Alemão) e “In flagrante delicto” (Latim) – Apanhado com a boca na botija.
“Ab honesto virun bonum nihil deterret” (Séneca) – Não há nada que detenha um homem bom de fazer a coisa honrada.
“Justitiae soror fides” (Latim) – A fé é irmã da justiça.
“Le coeur a ses raisons que la raison ne connaît point” - Pascal (Francês) – O coração tem razões que a razão desconhece.
“Come t’ è picciol fallo amaro morso” – Dante (Italiano) – Que dores penosas um pequeno defeito te causa.
“Un asno viejo sabe más que un potro” – A. Perez (Espanhol) – Burro velho sabe mais do que potro novo.
“Finxernut animi, raro et perpauca loquentis”- Horacio – Os atos falam mais alto do que as palavras.
“Vitam impendere vera” – Apostar a própria vida pela verdade.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Crash
    Depois de ter lido "Arranha-Céus" de J. G. Ballard, um romance que me deixou a pensar seriamente nos ...
  • 10.07.2019 22:32
  • Amantes de Buenos Aires
    Amantes de Buenos Aires, o novo romance de Alberto S. Santos, baseia-se numa história real e segue a ...
  • 08.07.2019 16:24
  • 25 de Abril, Corte e Costura
    Este livro é exatamente o que eu esperava dele: uma sucessão de quadros em que se ridiculariza a ...
  • 28.04.2019 21:03

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Era uma vez uma mulher cujo ofício era contar histórias. Andava por todo o lado oferecendo a sua mercadoria, relatos de aventuras, de suspense, de horror ou de luxúria, tudo a um preço justo. Num meio dia de agosto encontrava-se no centro de uma praça quando viu avançar na sua direção um homem (...) És tu a que conta histórias?, perguntou o estrangeiro. (...) Então vende-me um passado, porque o meu está cheio de sangue e de lamentos e não me serve para percorrer a vida."
Isabel Allende
in Eva Luna