Essencialismo: Aprenda a Fazer Menos mas Melhor

 

 

Autor: Greg McKeown
Edição: Set/2014
Páginas: 272
ISBN: 9789896682590
Editora: Vogais

 

 

 

Quantas vezes já reagiu a um pedido dizendo que sim, sem pensar devidamente no assunto?
Considera que está constantemente atarefado, mas não é produtivo?
Costuma aceder aos pedidos dos outros apenas para agradar ou evitar problemas?
Sente que o seu tempo é muitas vezes condicionado às agendas de outras pessoas?
SE RESPONDEU SIM A PELO MENOS UMA DESTAS PERGUNTAS, A SOLUÇÃO PARA SI É O ESSENCIALISMO. Desenvolvido por Greg McKeown, especialista em liderança e estratégia, o Essencialismo é a solução para controlar todas as suas escolhas, identificar as tarefas verdadeiramente importantes na sua vida e fazer menos, mas melhor.

Em Essencialismo, Greg McKeown usa a experiência que obteve e as ideias que criou a partir da colaboração com os líderes de algumas das empresas mais inovadoras no mundo (Facebook, Google, Apple, Twitter, LinkedIn) para mostrar como é possível fazer sempre, e apenas, as coisas certas, tornando-se mais produtivo e bem-sucedido no trabalho, e ganhando tempo para a sua vida pessoal.
Seguindo os conselhos simples e práticos deste livro conseguirá simplificar a sua vida, o seu pensamento e os seus objetivos, aprendendo a rejeitar as tarefas que são supérfluas e apenas o distraem do essencial. No fim, voltará a decidir por si as suas prioridades e eliminará os principais obstáculos para o êxito, tanto no trabalho como em casa.

Leia as primeiras páginas aqui.

Autor:

Greg McKeown é consultor do Grupo Wiseman, onde coordena workshops e formações em liderança, estratégia e inteligência coletiva. É licenciado em jornalismo e possui um MBA pela Universidade de Stanford. Nos últimos anos tem-se dedicado ao Essencialismo, dando conferências e aulas em universidades e empresas em todo o mundo para divulgar a importância de viver e liderar como um Essencialista.
Deu conferências em algumas das empresas tecnológicas mais inovadoras do mundo (Apple, Google, Facebook, Pixar, Twitter ou LinkedIn) e é um dos escritores mais populares da Harvard Business Review. Nascido em Londres, Greg McKeown vive hoje no Sillicon Valley com a mulher e os quatro filhos.

Saiba mais em www.gregmckeown.com

Veja aqui o booktrailer:

Comentários  

 
#1 Sebastião Barata 2014-10-30 23:46
A mensagem deste livro resume-se a quatro palavras: Aprenda a dizer NÃO. Parece-lhe pouco? Acha que é fácil? Leia e verá que é a decisão mais difícil de tomar, tanto por quem manda, como por quem obedece.

Todos temos a experiência, seja na vida profissional, seja na privada, de nos sentirmos atolados em serviço e não termos forma de nos livrarmos da sobrecarga de trabalho. Parece que, quanto mais trabalhamos, mais é o trabalho que falta fazer. E o pior é que perdemos a maior parte do nosso precioso tempo a fazer tarefas que pouco ou nenhum proveito nos trazem. Provavelmente, a maior parte do trabalho que somos forçados a fazer não nos dá qualquer prazer fazê-lo, porque não gostamos, não somos os mais habilitados ou devia ser feito por outros que não nós. Tudo isto junto deixa-nos a cabeça "à razão de juros", enche-nos de stresse e é altamente desmotivante.
Transportemos este raciocínio para as empresas. Quantas empresas desperdiçam dinheiro, tempo e recursos a produzir produtos ou serviços que ninguém vai comprar ou só vai conseguir vender com prejuízo? É convicção generalizada que, para ganhar muito, é preciso produzir muito. Quantos mais produtos e mais variados tivermos, mais vendemos e maior será o nosso lucro. Muitas vezes, dexamo-nos embalar pela ambição e só damos conta de que o mercado se divorciou de nós quando vemos os produtos a começarem a atafulhar prateleiras e armazéns. Afinal, não estávamos a produzir o que os clientes precisavam naquele momento e outros souberam prever a evolução do mercado e antecipar-se à mudança. Mais valia termos produzido menos, mas ser o que o cliente esperava de nós.

Como resolver o problema? Seguindo os conselhos deste livro: sermos capazes de nos concentrar no que é essencial para nós em cada momento; centrarmo-nos no que é a nossa missão e não invadirmos o espaço alheio; termos a coragem de dizer não, quando o patrão, o familiar ou o amigo nos tentam aliciar para fazer algo que não nos compete fazer. Em suma, fazer menos, mas melhor. É a teoria do Essencialismo.
Diz o autor que iremos ser muito mais apreciados pelos superiores, colegas e subordinados (os pelos familiares e amigos na vida privada) se optarmos por fazer poucas coisas bem feitas, em vez de muitas, mas mal feitas. Não é sendo o "faz-tudo" da empresa, sempre disposto a dizer sim a tudo, que o nosso trabalho vai ser apreciado. Seremos valorizados sim por fazer o nosso trabalho com qualidade, de forma a gerar o máximo de valor acrescentado. Seremos admirados porque não falhamos, porque somos merecedores de confiança, porque o que sai das nossas mãos é da maior qualidade.
Sei que, muitas vezes, é difícil dizer não, com medo de revelar falta de disponibilidade , de sermos considerados preguiçosos, de pensarmos que nos vão considerar incompetentes, de não sermos promovidos ou, quem sabe, seja motivo para despedimento. Mas estes receios não têm razão de ser, pelo que fica dito atrás. Aliás, o essencial para nós nesse momento pode ser mudar de vida, deixar esse emprego que nos consome.
E também é muito importante: ao tornarmo-nos essencialistas, ganharemos muito mais tempo livre para nos dedicarmos a outras coisas que, em muitos momentos são o essencial que estamos a perder, como o acompanhamento dos filhos, passear, fazer desporto, sair com o nosso marido ou a nossa esposa, gozar as férias e as folgas a que temos direito.

"A vida de um Essencialista é uma vida vivida sem remorso. Se tiver identificado corretamente o que, de facto, importa, se investir nisso o seu tempo e a sua energia, então é difícil ter remorsos das escolhas que faz. Torna-se orgulhoso da vida que escolheu viver." Pág. 255.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Hugo Chávez, o colapso da Venezuela
    Gosto de estar bem informado e não fazer juízos sem conhecimento de causa. O governo da Venezuela tem ...
  • 02.09.2019 14:09
  • Autobiografia
    "Autobiografia" , o novo romance de José Luís Peixoto, é o 3º livro que leio deste autor. Os anteriores ...
  • 18.08.2019 17:41
  • A Dama do Quimono Branco
    Com este volume, termina a saga do Samurai Negro, constituída por uma trilogia de romances históricos ...
  • 29.07.2019 17:54

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

Descobri que a leitura é uma forma servil de sonhar. Se tenho de sonhar, porque não sonhar os meus próprios sonhos?"
Fernando Pessoa