Um Presente Muito Especial

 

 

Subtítulo: A história de uma família que viveu um milagre de amor
Autora: Joanne Huist Smith
Edição: Nov/2014
Páginas: 208
ISBN: 9789896682842
Editora: Nascente

 

 

 

A história real de uma família que reencontrou a sua essência, com a ajuda de amigos muito especiais.
Depois da morte inesperada do marido, Joanne sente-se incapaz de retomar a sua vida e de ser o exemplo de força que os seus filhos, Ben, Nick e Megan, precisam mais do que nunca. Com a aproximação da quadra natalícia, tudo parece ainda mais duro de suportar.
Mas, 12 dias antes do Natal, um presente é deixado misteriosamente à porta de casa, acompanhado de um cartão com a assinatura «Os vossos verdadeiros amigos». No dia a seguir, um novo presente, no dia seguinte mais um presente, e assim acontece, até à véspera de Natal.

Estes 12 presentes irão tornar-se uma dádiva de grandeza incomparável e acabam por dar origem a um milagre: a reaproximação entre mãe e filhos e o fortalecimento dos seus laços de amor.

Leia os primeiros capítulos aqui.

Mais informações no site da edição original em inglês. Leia aqui.

Autora:

Joanne Huist Smith nasceu no Ohio, EUA. Após uma vida dedicada à família - três filhos e dois netos -, obteve a licenciatura em Inglês em 1996 e, em 1997, começou a trabalhar como jornalista no jornal da sua terra natal. Atualmente reformada, Joanne é apaixonada pela escrita e pela leitura. A sua autobiografia Um Presente Muito Especial tem sido aclamada em todos os países onde já foi publicada.

Veja aqui o booktrailer:

Comentários  

 
#2 Helena 2015-03-23 22:31
Um conto de Natal que li fora de época. Contudo, não há época para se celebrar a alegria de viver, a generosidade, a solidariedade e a união familiar. Em suma, o Amor que nos liga ao próximo e tantas vezes esquecido na vertigem de rotinas deste ritmo de vida acelerado que nos impõem e que aceitamos sem questionar. Quantas e quantas vezes, um sorriso, uma gentileza ou uma sugestão não fazem toda a diferença para quem a recebe e não nos custa nada. Nem reparamos que somos impacientes, bruscos e um pouco intolerantes no nosso dia-a-dia e o acto de dar fica arredado das nossas prioridades.

Um daqueles livros que, banalmente, desvalorizamos como de auto-ajuda, como se não precisássemos de ajuda para refletir e mudar sempre e quando possível.

Singelos e inesperados presentes, diariamente entregues nos treze dias que antecedem o Natal, obrigam uma família enlutada, mais destroçada pela proximidade da época, a uma distração que gradualmente faz a mudança.

Realista e com uma escrita corrente e fluída, lê-se num ápice. Um pouco de ternura e compaixão. Um bálsamo para corações sensíveis e abnegados.
 
 
#1 Maria Manuel Sousa 2015-01-25 19:39
Passado na época natalícia, este livro transporta-nos para casa e para a família de Joanne que perdeu o marido de forma inesperada.
É então que, nos 12 dias antecedentes ao Natal, recebe um presente diariamente. Junto com cada presente, um simples cartão assinado "os vossos verdadeiros amigos".
Sem saber quem os oferece e porquê, a família acaba por se juntar à volta deles e começa a reagir à dor.
Baseado numa história verídica, acompanhamos o renascer de uma família magoada e ferida após uma perda inesperada. E vemos como um gesto simples fez com que se reencontrasse e recomeçasse a viver.
Um relato muito bem escrito, sem ser lamechas. Adorei e recomendo.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Hugo Chávez, o colapso da Venezuela
    Gosto de estar bem informado e não fazer juízos sem conhecimento de causa. O governo da Venezuela tem ...
  • 02.09.2019 14:09
  • Autobiografia
    "Autobiografia" , o novo romance de José Luís Peixoto, é o 3º livro que leio deste autor. Os anteriores ...
  • 18.08.2019 17:41
  • A Dama do Quimono Branco
    Com este volume, termina a saga do Samurai Negro, constituída por uma trilogia de romances históricos ...
  • 29.07.2019 17:54

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Como um dia alguém me ensinou, os bons amigos são como os livros, nunca partem de vez. Sempre ficam no nosso coração."
Alberto S. Santos, in Para lá de Bagdad