Ainda pode apresentar a sua sugestão para PALAVRA DO ANO

FaceBook  Twitter  

Hoje, dia 30 de novembro, é o último dia para apresentar a sua sugestão para a PALAVRA DO ANO® 2017. Amanhã, dia 1 de dezembro, serão anunciadas as 10 candidatas a PALAVRA DO ANO® 2017, cuja votação esatrá aberta durante todo o mês de dezembro. A vencedora será anunciada no dia 4 de janeiro.

Termina hoje o período de propostas para a PALAVRA DO ANO® 2017. Todas as sugestões que foram feitas pelos portugueses, ao longo dos meses, através do site www.palavradoano.pt, foram ponderadas com o trabalho de observação e acompanhamento da realidade da língua portuguesa feito pela Porto Editora, tanto nos meios de comunicação e redes sociais, como no registo de consultas nos dicionários online e mobile.

Amanhã será divulgada a lista de 10 candidatas e a PALAVRA DO ANO ® 2017 será conhecida a 4 de janeiro de 2018. De recordar que, nos anos anteriores, o público português elegeu as seguintes palavras: "esmiuçar" (2009), "vuvuzela" (2010), "austeridade" (2011), "entroikado" (2012), "bombeiro" (2013), "corrupção" (2014), "refugiado" (2015) e "geringonça" (2016).

Esta é a nona edição de uma iniciativa com a marca registada da Porto Editora que tem como principal objetivo sublinhar a riqueza lexical e o dinamismo criativo da língua portuguesa, património vivo e precioso de todos os que nela se expressam, acentuando, assim, a importância das palavras e dos seus significados na produção individual e social dos sentidos com que vamos interpretando e construindo a própria vida.

Últimas Opiniões

  • A Morte do Papa
    Depois de ter lido todos os livros anteriores de Nuno Nepomuceno, este foi o primeiro em que tive ...
  • 24.02.2020 00:22
  • Pão de Açúcar
    Faz agora em fevereiro catorze anos que se deu um acontecimento que apaixonou o País e deixou os ...
  • 02.02.2020 22:44
  • Budapeste
    Este livro fala de uma profissão que muitos podem considerar ficção, mas é muito real e mais vulgar do ...
  • 18.01.2020 23:22

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Era uma vez uma mulher cujo ofício era contar histórias. Andava por todo o lado oferecendo a sua mercadoria, relatos de aventuras, de suspense, de horror ou de luxúria, tudo a um preço justo. Num meio dia de agosto encontrava-se no centro de uma praça quando viu avançar na sua direção um homem (...) És tu a que conta histórias?, perguntou o estrangeiro. (...) Então vende-me um passado, porque o meu está cheio de sangue e de lamentos e não me serve para percorrer a vida."
Isabel Allende
in Eva Luna