As apostas do Grupo 20|20 Editora para este semestre

FaceBook  Twitter  

O ano de 2017 foi novamente um ano de crescimento para a 20|20 Editora que, em poucos anos, se tornou no 5º maior grupo editorial português. O ano de 2018 chega agora recheado de novos desafios e excelentes livros. Seguem, então, algumas das apostas para os primeiros meses deste ano.

Muitos foram os livros bem-sucedidos editados ao longo dos últimos 12 meses sob as seis chancelas do Grupo – Booksmile, Elsinore, Fábula, Nascente, Topseller e Vogais – e da distribuída Cavalo de Ferro, com destaque no catálogo de adulto para Escrito na Água, de Paula Hawkins, livro de ficção mais vendido em Portugal em 2017, tendo ocupando o 1º lugar do Top durante 17 semanas consecutivas. No catálogo infantojuvenil foi O Diário de um Banana: Põe-te a Milhas!, de Jeff Kinney, quem mais brilhou, ao chegar, inclusive, a liderar o Top absoluto de vendas em Portugal.
Vejamos as principais apostas para o semestre em curso.

ELSINORE (Ficção Literária)

Dos Estados Unidos à Indonésia, da Argentina a Israel, não esquecendo Espanha, França e o Reino Unido, o mundo inteiro cabe dentro das páginas dos lançamentos do primeiro semestre da Elsinore. Literatura de hoje e do agora, que parte em busca de novos territórios literários e de ensaios que tentam compreender os dias que atravessamos. Ficções e não ficções de Daniel Mendelsohn, Eka Kurniawan, João Reis, Julie Lekstrom Himes, Maggie O' Farrell, Marina Perezagua, Michel Rio, Paul Beatty, Samanta Schweblin, Viet Thanh Nguyen e Zeruya Shalev. No final do ano, a muito aguardada autobiografia de David Lynch.

FEVEREIRO
A Tempestade - Contos Reunidos, de Marina Perezagua
Foi através do conto que Marina Perezagua se revelou nas letras espanholas, conquistando automaticamente um singular lugar na ficção contemporânea. Esta antologia reúne contos dos livros Criaturas Abisales (2011) e Leche (2013). Nascida em Sevilha, em 1978, Marina Perezagua é autora ainda dos romances Yoro e Don Quijote de Manhattan.
Homem-Tigre, de Eka Kurniawan
Nascido na Indonésia, em 1975, e autor de romances e antologias de contos, Eka Kurniawan é uma das mais recentes e fulgurantes revelações da literatura mundial. Com a tradução inglesa das suas obras, o seu peculiar universo literário chegou a um número ainda mais vasto de leitores, num êxito acompanhado pela crítica. Homem-Tigre integrou a longlist do prestigiado Man Booker Internacional Prize, em 2016, e tem vindo a ser traduzido um pouco por todo o mundo. Trata-se do segundo romance de Eka Kurniawan, publicado na Indonésia em 2004 e com tradução inglesa em 2015. Passado numa pequena cidade costeira da Indonésia, Homem-Tigre conta a história de duas famílias. No centro do enredo está Margio, um homem comum a tantos outros, exceto no facto de esconder dentro de si um tigre branco. As intrigas e as traições entre as duas famílias vão agitar este ser mágico, rumo a um final arrebatador. Lírico, experimental, político e jocosamente escandaloso, Homem-Tigre é um dos romances mais marcantes dos últimos anos.

MARÇO
A Dança do Rapaz Branco, de Paul Beatty
Romance de estreia de Paul Beatty, autor do consagrado O Vendido, vencedor do Man Booker Prize de 2016. Neste primeiro romance do escritor norte-americano já estão presentes os ingredientes que o têm evidenciado no contexto da Literatura de Língua Inglesa: escrita versátil, do erudito ao calão, humor subtil e inesperado, e uma atenção especial aos temas da raça e da condição afro-americana. Num passe de dança, um rapaz muda-se de Santa Monica para Los Angeles e do anonimato para a fama. Mas como se sabe, a boa música e a boa dança não duram para sempre.

ABRIL
A Devastação do Silêncio, de João Reis
O terceiro romance de João Reis, o segundo publicado pela Elsinore, é passado na Primeira Guerra Mundial, da qual se assinala, em 2018, o centenário do armistício. O romance não é uma recriação da presença portuguesa no conflito, nem da batalha mais famosa em que o Corpo Expedicionário Português esteve envolvido. Mas evoca o ambiente da Grande Guerra, tendo como protagonistas alguns sobreviventes de um batalhão português desbaratado pelos alemães. Mordaz, irónico e torrencial, A Devastação do Silêncio é uma deambulação pela humanidade que até nas situações limite, como a guerra, emerge.
O Gato, o Anku e o Maori, de Michel Rio
O mais recente livro de uma das mais surpreendentes vozes da literatura francesa atual. Nascido na Bretanha, em 1945, Michel Rio é autor de uma vasta obra, já distinguida com vários prémios. O Gato, o Anku e o Maori, ilustrado por Marie Belorgey, conta as aventuras burlescas de Jules Joseph Chamsou, gato de curiosidade infinita.
I am I am I am, de Maggie O' Farrel
Não foi uma, nem duas, nem três, mas 17 visões da morte que a escritora Maggie O’Farrell colecionou até agora. Do parto às complicações da idade, sem esquecer as doenças crónicas, a vida ensinou-lhe a ouvir o corpo, a relativizar a desgraça e a ter esperança no futuro. Ensinou-lhe, também, que para falar na primeira pessoa o melhor é esquecer a ficção. Foi o que fez. Ao fim de sete romances, a escritora irlandesa, nascida em 1972 e vencedora de uma edição do Costa Book Awards, abriu o livro das suas memórias. Em 17 capítulos trata de outras tantas partes do corpo que estiveram na origem de um susto e de um sobressalto (sistema circulatório, pescoço, crânio, intestinos, etc.). A vida como ela é. 

MAIO
Mikhail e Margarita, de Julie Lekstrom Himes
Um romance sobre um romance. De um lado, a história por detrás de um dos grandes clássicos do século XX, Margarida e o Mestre, de Mikhail Bulgakov. Do outro, o ambiente político e a perseguição aos escritores na URSS. Uma história apaixonante sobre personagens de papel e de carne e osso.
Pássaros na Boca, de Samanta Schweblin
Nova edição, a primeira na Elsinore, da mais popular recolha de contos de Samanta Schweblin, escritora argentina nascida em 1978. Herdeira dos grandes contistas do seu país, nomeadamente Jorge Luis Borges e Julio Cortázar, os seus contos são histórias moldadas por quotidianos inquietos e delirantes, onde o inesperado e o fantástico quebram a rotina do dia a dia.

JUNHO
The Refugees, de Viet Thanh Nguyen
Depois do sucesso de O Simpatizante, a estreia mais aclamada dos últimos tempos, distinguida com o Pulitzer Prize for Fiction, entre outros galardões, Viet Thanh Nguyen regressa com um volume de contos. O que interessa ao escritor norte-americano de ascendência vietnamita são as personagens divididas entre dois mundos, duas culturas, dois destinos. Como ele.
Uma Odisseia - Um Pai, um Filho e um Épico, de Daniel Mendelsohn
Um livro surpreendente sobre a união (e oposição) entre pai e filho. Quando o pai de Daniel Mendelsohn, matemático reformado de 81 anos, se inscreveu no seu curso sobre a Odisseia, de Homero, este especialista em estudos clássicos estava longe de imaginar o quanto ia aprender sobre a sua família. Segredos revelados por um épico.
Dor, de Zeruya Shalev
Sexto romance de Zeruya Shalev, nome destacado da literatura israelita atual. Uma história de família que espelha a longa viagem de um país.

E no segundo semestre…
Vinte e Uma lições para o século XXI, de Yuval Noah Harari
O muito aguardado novo ensaio de Yuval Noah Harari, autor dos best-sellers mundiais Sapiens e Homo Deus. Depois de ter olhado para o passado e tentado antever o que reserva o futuro, o historiador israelita foca-se nos desafios do presente. Em vários capítulos, Yuval Harari aborda temas como a imigração ou o terrorismo, assim como a vida contemporânea.
Room to Dream: A Life, de David Lynch
A muito aguardada autobiografia do realizador norte-americano. Como os seus filmes, este livro também não cabe numa sinopse.

CAVALO DE FERRO (Ficção Literária)

Ao entrar no imenso mar da literatura a Cavalo de Ferro construíu o seu catálogo. Grandes livros, clássicos intemporais, obras-primas, títulos que nunca foram publicados em Portugal. Em alguns casos, rasurados pelo tempo, revelam-se autênticas novidades, espantos editorais, deslumbres literários. De todas as proveniências e em todos os géneros, teremos, no primeiro semestre de 2018, romances, contos e ensaios de Joseph Roth, Shirley Jackson, Julio Cortázar, Elias Canetti, Czesław Miłosz, Dino Buzzati ou Magda Szabó.

JANEIRO
Confissão de um Assassino - Relato de uma noite, de Joseph Roth
Um dos romances mais famosos de Joseph Roth, jornalista e escritor austríaco, nascido em 1894 e falecido em 1939. Judeu, combateu na Primeira Guerra Mundial e denunciou os avanços sanguinários do regime nazi. Nas suas obras encontramos um admirável fresco da Europa das primeiras décadas do século XX. Como diz o subtítulo, Confissão de um Assassino é o relato de uma noite, de uma fuga, de um crime.

FEVEREIRO
A Maldição de Hill House, de Shirley Jackson
Publicado em 1959, A Maldição de Hill House é uma revisitação (e atualização) das histórias de fantasmas. De resto, nos seus contos e romances, a escritora norte-americana (1916-1965) sempre procurou ambientes e personagens assombrados.

MARÇO
As Dezassete Pequenas Histórias, de AA. VV.
Antologia de 17 contos de autores sul-americanos, numa parceria com o Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa.
Os Prémios, de Julio Cortázar
Publicado originalmente em 1960, Os Prémios é o primeiro romance de Julio Cortázar e, em muitos aspetos, um verdadeiro percursor de O Jogo do Mundo – Rayuela, lançado três anos mais tarde. Tem como protagonistas os vencedores de uma lotaria que recebem como prémio uma viagem num cruzeiro sem destino conhecido. O mistério adensa-se ainda mais, a meio da viagem, quando os passageiros são informados de que houve um problema no navio e que não podem sair de uma área de segurança. Encarando o problema como um jogo, todos tentam perceber o que aconteceu, ao mesmo tempo que o passado (os pequenos dramas quotidianos) e o futuro (as ânsias por cumprir) emergem com uma força incontrolável. Até agora inédito em Portugal.

ABRIL
A Língua Resgatada - História de uma Juventude, de Elias Canetti
Dando sequência à publicação em Portugal das obras de Elias Canetti, a Cavalo de Ferro edita a monumental autobiografia de Elias Canetti, Prémio Nobel de Literatura em 1981. Três volumes a lançar em 2018: A Língua Resgatada - História de uma Juventude e O Archote na Orelha - História de uma vida 1921-1931, ambos no primeiro semestre, e O Jogo de Olhares - História de Vida 1931 – 1937, no segundo.
A Mente Aprisionada, de Czesław Miłosz
«O tema em discussão é a vulnerabilidade da mente do século XX perante as doutrinas sociopolíticas e a sua predisposição para aceitar o terror do totalitarismo em nome de um futuro hipotético. Assim sendo, o livro transcende limitações de tempo e lugar ao explorar as causas mais profundas do atual anseio por uma qualquer certeza, por mais ilusória que seja.». Eis como Czesław Miłosz apresentava este seu livro escrito logo em 1951/52. Um estudo visionário sobre a violência política e ideológica.
60 contos, de Dino Buzzati
Recolha clássica dos melhores contos de Dino Buzzatti. Inclui histórias curtas nunca publicadas em Portugal.

MAIO
A Lã e a Neve, de Ferreira de Castro
Continuação da publicação da obra de Ferreira de Castro, um dos mais destacados escritores portugueses do século XX. Publica-se agora A Lã e a Neve, lançado inicialmente em 1947. Um poderoso retrato dos habitantes da Serra da Estrela durante a II Guerra Mundial.

JUNHO
Rua Katalin, de Magda Szabó
Toda a delicadeza e genialidade da escritora húngara, nascida em 1917 e falecida em 2007, em mais um romance inesquecível. Rua Katalin, de 1962, foi lançado antes de A Porta e da proibição de publicar a que Magda Szabó foi sujeita pelo regime comunista. Retrata as vidas desfeitas pela Segunda Guerra Mundial e o ambiente que se seguiu ao conflito.
O Archote na Orelha - História de uma vida 1921-1931, de Elias Canetti
Segundo volume da autobiografia de Elias Canetti.

TOPSELLER (Ficção)

Thrillers, Ficção Romântica e Erótica e Literatura Fantástica. Um cocktail de géneros para todos os gostos e sentidos. Eis alguns dos destaques dos primeiros meses do ano onde novos autores se apresentam aos leitores portugueses e séries bem-sucedidas conhecem novos títulos.
A GRANDE APOSTA: Da mesma equipa internacional (editora e marketing) que trabalhou as obras A Rapariga no Comboio e Escrito na Água, de Paula Hawkins, chega a Portugal Anatomia de Um Escândalo, de Sarah Vaughan. Esta será a grande aposta da Topseller para o primeiro semestre.

JANEIRO
Julianne Donaldson, autora num género apreciado sobretudo pelo público feminino, o romance feminino de época, estreia-se nas livrarias nacionais, em janeiro, com Verão em Edenbrooke. Com uma excelente classificação de 4.8 na Amazon, e 4,34 no Goodreads, este livro oferece ao leitor, como descreveu a Publishers Weekly, «Uma história que irá aquecer os corações».
Às livrarias chega também Quase Adulta, de Jami Attenberg.

FEVEREIRO
Em fevereiro, Sabrina Jeffries apresenta-se igualmente aos leitores nacionais. Autora bestseller norte-americana, conta com mais de 50 romances e contos publicados, 9 milhões de livros vendidos em 20 línguas. Estreia-se agora em Portugal com A Verdade sobre o Lorde Stoneville.
E, porque este é o mês dos namorados, Melissa Pimentel traz-nos uma história romântica e divertida: Procura-se Homem (sem Compromisso).
Do romance ao erotismo, O Prof, de Vi Keeland, está de volta para aumentar a temperatura da leitura.
Do romance para o thriller, C.L Taylor, autora de A Fuga, regressa com Desaparecido: No Rasto de Billy, enquanto K.L. Slater, autora de A Salvo Comigo, repete presença com Sem Rasto.
Na Topseller#Bliss, uma das autoras preferidas do público jovem adulto, Jenny Han, traz-nos um novo romance, o último da série Todos os Rapazes que Amei: Agora e para Sempre.
Emily Barr, autora de A Única Memória de Flora Banks, está de regresso com uma história, tocante e dramática, passada nas ruas do Brasil. «Para conseguirmos realizar sonhos, perceber quem somos e estarmos em paz com o mundo, podemos ter de percorrer caminhos tortuosos. Mas com sorte (muita sorte!), chegamos lá!»

MARÇO
Da mesma equipa internacional (editora e marketing) que trabalhou as obras A Rapariga no Comboio e Escrito na Água, de Paula Hawkins, chega a Portugal Anatomia de Um Escândalo, de Sarah Vaughan. Esta será a grande aposta da Topseller para o primeiro semestre. Elogiado pela crítica que teve previamente acesso ao texto, Vaughan oferece-nos uma perspetiva fascinante sobre as maquinações escondidas num escândalo político e sobre o conflito entre justiça e privilégio. Um romance notável arrebatador.
A Rapariga Alemã marca nova estreia em Portugal, agora de Armando Lucas Correa, jornalista espanhol multipremiado e editor da versão espanhola da revista People. Esta é a história emocionante de duas raparigas, cujas vidas, separadas por mais de 50 anos de história, se encontram marcadas pelo peso da memória e pelo impacto de dois dos eventos mais traumáticos da história moderna: a 2.ª Guerra Mundial e o 11 de setembro.
Ainda em Março, chegam às livrarias Batman: Vigilante Noturno, da DC Icons Series, e Às Cegas: Num Mundo Enlouquecido em Quem Podes Confiar?, de Josh Malerman, ambos de literatura fantástica.

ABRIL
O islandês Ragnar Jónasson regressa com um novo thriller, Blackout, depois dos já publicados Noite Cega e Neve Cega. Ginny Moon, livro de estreia de Benjamin Ludwig, chega a Portugal com múltiplos elogios da crítica internacional (Amazon Best Book of May 2017). Uma história tocante sobre a jornada de uma jovem especial em busca da mãe biológica.
Ainda em Abril, eis alguns titulos que vão chegar às livrarias: Wicked Grind, J. Kenner, The Rogue Not Taken, de Sarah MacLean (Romance) e Sem Saída, de Taylor Adams (Thriller). Julie Buxbaum, Anna Snoekstra, Nick Clark Windo, Valerie Bowman são alguns dos autores que terão, também, obras publicadas.
Na Topseller#Bliss, chega às livrarias o segundo volume de The Call, de Peadar O'Guilin.

MAIO
Ainda a tempo das férias de verão, ótimas para pôr a leitura em dia, chega o mais recente livro de Matt Haig, Humans, o elogiado autor de Como Parar Tempo, obra que chegará ao cinema com Benedict Cumberbatch como protagonista. Depois de A Próxima Vítima e O Olhar da Mente, o sueco Hakan Nesser regressa com The Return.
Com presença prevista para a Feira do Livro de Lisboa, a dinamarquesa Sara Blædel traz consigo um entusiasmante thriller: The Night Women.
Chris Carter, Philippa Greggory, Cass Green, Mark Lawrence, Jean E. Pendziwol, Karin Tidbeck, Susanne Jansson, Laura Marshall e Barbara Taylor Bradford, são alguns dos autores publicados até ao final de Julho e que, entre ação e muita emoção, vão preencher os dias e noites com excelentes histórias.

VOGAIS (Não-ficção)

JANEIRO
Pensar como Nelson Mandela, de Adam Smith
Um dos mais respeitados líderes dos tempos modernos, Nelson Mandela inspirou gerações de políticos, pensadores e cidadãos comuns um pouco por todo o mundo. No ano do centenário da sua morte, a Vogais edita Pensar como Nelson Mandela, um livro que reúne os seus ideais e filosofias, revelando como estes podem ser aplicados a todas as áreas da vida. Vai ficar a saber o que Nelson Mandela e conhecer a história extraordinária da vida e obra de Mandela, que o fez chegar ao epíteto de pai da moderna nação sul-africana.

FEVEREIRO
Amon: O Meu Avô Poderia Ter-me Matado, de Jennifer Teege com Nikola Sellmair
Há uma infinidade de pequenas e tocantes histórias dentro da grande História da II Guerra Mundial, mas poucas tão surpreendentes como a que Jennifer Teege conta neste livro. Um dia, na Biblioteca Central de Hamburgo, Jennifer deparou-se com um livro que captou de imediato a sua atenção. Chama-se A História de vida de Monika Göth, filha do comandante do campo de concentração de A Lista de Schindler. Era uma curiosa coincidência, já que a sua mãe também se chamava Monika e Jennifer, antes de ser adotada, também usava o apelido de Göth. Anos antes, a sua mãe, incapaz de criar a filha, dera-lhe para adoção, e um manto de silêncio caiu sobre o seu passado. Mas esse livro devolveu-lhe tudo, de uma só vez, sem filtros, nem avisos. A Monika Göth era mesmo a sua mãe. E Amon, o tenebroso comandante do campo de concentração de Cracóvia, o seu avô. Para quem estudou em Israel, tem imensos amigos judeus, foi um choque. «O meu avô poderia ter-me matado», foi uma das suas primeiras conclusões. Mas foi também um encontro consigo mesma, com as depressões constantes da mãe, com as suas próprias recaídas. Foi, ao fim e ao cabo, uma redenção pessoal, que teve como última etapa a publicação deste poderoso relato, escrito a meias com a jornalista Nikola Sellmair.
Tudo bem aí em baixo? As respostas de um urologista às perguntas que não temos coragem de fazer, de Oliver Gralla
Enquanto para as mulheres uma ida ao ginecologista já se tornou uma rotina, os homens ainda sentem alguma vergonha em consultar um especialista quando precisam de uma vistoria ao «andar de baixo». De modo a combater a ignorância, prevenir experiências de autocura e esquecer inibições, o Dr.Gralla aborda, num tom descontraído, assuntos como a infertilidade, a disfunção erétil, a ejaculação precoce, os níveis de testosterona e a contraceção, explicando-os de forma clara e com bases científicas. Tudo Bem aí em Baixo? não é o típico guia médico com receitas, mas sim um manual explicativo e divertido, apelando a curiosos e a todos os que ainda têm vergonha de consultar um especialista. Além de conselhos médicos, o Dr. Gralla oferece uma grande dose de humor, ao relatar uma série de episódios anedóticos passados no seu consultório. E este livro não é só para homens. Também as mulheres poderão aprender muito. Afinal, o que se passa na cabeça deles nem sempre é tão simples quanto parece.

MARÇO
Em Busca da Memória: A Luta Contra a Doença de Alzheimer, de Joseph Jebelli
A Organização Mundial de Saúde estima que em todo o mundo existam 47,5 milhões de pessoas com demência, número que pode atingir os 75,6 milhões em 2030 e quase triplicar em 2050 para os 135,5 milhões. Em Busca da Memória, da autoria do neurocientista britânico de 31 anos Joseph Jebelli, é sobre o passado, o presente e o futuro da doença de Alzheimer. Desde o primeiro caso registado há mais de cem anos até à inovadora investigação que está em curso, numa história capaz de rivalizar com qualquer romance policial, onde os heróis são os cientistas do mundo inteiro e os corajosos pacientes e as suas famílias. Um relato em que o autor dá rostos à doença para revelar uma pandemia que demorou séculos a detetar, lembrando a todos de que nunca devemos tomar a memória — o nosso bem mais precioso — como garantida.

MAIO
O Carisma de Hitler, de Laurence Rees
Movido pelo ódio e incapaz de estabelecer relacionamentos humanos normais, Adolf Hitler foi um líder improvável. Neste novo livro, o aclamado historiador Laurence Rees explica como foi possível Hitler tornar-se uma figura tão atraente e mobilizadora, traçando então um retrato revelando a importância que o “carisma” desempenhou no seu sucesso enquanto mobilizador de multidões e egos. O Carisma de Hitler sucede à recente obra editada pela Vogais, Holocausto (2017).

JUNHO
The Good Mothers, Alex Perry
Já ouviu falar da 'Ndrangheta? E da Cosa Nostra? Pois, é natural. As duas são associações mafiosas, mas a primeira, a 'Ndrangheta, tem um código de silêncio quase impenetrável e de lealdade absoluta. «Kill or go to your grave before betraying The Family». Com atuação no sul de Itália, na região da Calábria, nos últimos anos tornou-se uma das mais poderosas organizações criminosas. Dominada por homens, a intolerância da 'Ndrangheta, sobretudo face ao papel das mulheres, virou-se contra ela e abriu uma brecha de informação que pode ser determinante para levar os seus responsáveis a tribunal. Em The Good Mother’s, Alex Perry, jornalista com colaborações na TIME e agora na Newsweek, revela a demanda por Liberdade de três mulheres. Apoiadas pela procuradora Alessandra Cerreti, elas fugiram, falaram, denunciaram. Nem todas sobreviveram.

NASCENTE

DESTAQUE:
Cozinha Verde, de Filipa Range (Prefácio de André Silva, deputado e porta-voz do PAN)
Mais do que uma moda, a alimentação vegetariana tem vindo a tornar-se, para milhares de portugueses, num estilo de vida. São já mais de 120 mil os vegetarianos em portugal, e muitos mais são os curiosos que tem adaptado ideias do vegetarianismo para disfrutar de uma alimentação mais saudável. Filipa Range, autora do blogue, agora título do seu primeiro livro, A Cozinha Verde, é uma das responsáveis por este crescimento. Ser vegan não significa comer apenas couves e quinoa, ou gastar todo o dinheiro em ingredientes caros e extravagantes com nomes que nem consegue pronunciar. E, sobretudo, não significa comer menos ou pior. Com 60 receitas deliciosas e simples, A Cozinha Verde é também um guia prático para descobrir todos os conceitos da alimentação vegan, quais os seus benefícios, segredos e curiosidades.

FÁBULA (Infantojuvenil literária)

FEVEREIRO
Civilização e Outros Contos, de Eça de Queirós
Também na coleção Tesouros da Literatura, uma seleção dos melhores contos de Eça de Queirós. São eles: Civilização, A Aia, O Tesouro, O Suave Milagre, Outro Amável Milagre, Singularidades de Uma Rapariga Loura, Frei Genebro, A Perfeição e José Matias. Prefácio de Maria do Rosário Pedreira.
Começa numa Semente, de Laura Knowles
Uma delicada e visualmente deslumbrante viagem pelas estações que mostra aos mais pequenos como uma única semente se transforma numa árvore grandiosa, sem esquecer todas as criaturas que fazem dela a sua casa.

MARÇO
Sem Rede, de Margarida Fonseca Santos
Novo volume da coleção A Escolha é Minha, na qual Margarida Fonseca Santos, uma das mais destacadas escritoras da Literatura infantojuvenil, aborda os desafios que todos os jovens têm de enfrentar. O tema, agora, é como enfrentar uma situação de urgência e perigo iminente, como um grande incêndio.
Vinte Fábulas de La Fontaine
O maravilhoso mundo das fábulas de La Fontaine, com seleção e reescrita de José Jorge Letria. Volume integrado na coleção Pé de Pato.
Franklin e a Livraria Voadora, de Jen Campbell
Ele é um dragão, ela gosta muito de ler. Ele assusta toda a gente, ela não tem medo de ninguém. Ele surge em muitas histórias, ela anda sempre à procura de novas. Assim são as personagens, amigos improváveis e inseparáveis, deste deslumbrante álbum ilustrado de Jean Campbell.
Matilde: Mas Que Grande Constipação!, de Mary Katherine Martins e Silva
Novo volume da série Matilde, personagem criada por Mary Katherine Martins e Silva. A Matilde é uma menina que gosta muito da família, dos amigos, de brincar e de já conseguir fazer várias coisas sozinha! Está a descobrir o mundo e tem muitas histórias para contar.

ABRIL
Malvina, A Bruxa Malvada, de Miguel Borges
Uma Bruxa Malvada, mas muito animada, com vassoura mágica e vida pouco trágica, em busca da aventura e da alegria que perdura. Assim é Malvina, figura central do álbum ilustrado de Miguel Borges.
Matilde: Vasco Este É o Bacio!, de Mary Katherine Martins e Silva
Novo volume da série Matilde, que terá agora de ensinar o irmão a usar o bacio.

MAIO
As Aventuras de Huckleberry Finn, de Mark Twain (Tesouros da Literatura)
O clássico de Mark Twain em mais um volume da coleção Tesouros da Literatura.
O Jardim Secreto, de Frances Hodgson Burnett (Tesouros da Literatura)
Um dos romances mais conhecidos de Frances Hodgson Burnett, um dos nomes centrais da literatura infantojuvenil da língua inglesa do final do século XIX e inícios do XX. Um clássico intemporal inserido na coleção Tesouros da Literatura.

JUNHO
Lendas de Portugal, de José Viale Moutinho
Algumas das mais famosas lendas de Portugal, com seleção e reescrita de José Viale Moutinho. Volume integrado na coleção Pé de Pato.

BOOKSMILE (Infantojuvenil)

Líder no segmento infantojuvenil, a Booksmile terá em 2018 um catálogo rico em livros de qualidade a pensar no desenvolvimento dos mais pequeninos e no incentivo à leitura desde o pré-escolar. Clássicos da literatura infantojuvenil, contos de fadas que atravessam gerações e narrativas aparentemente simples para temas complexos.

FEVEREIRO
Tom Gates, coleção multipremiada da autora britânica Liz Pichon, soma mais um volume, o 9º, Tom Gates 9: No TOP da Turma (Quase) chega às livrarias em fevereiro.

MARÇO
Ultrapassados os 250 mil livros editados, a coleção O Bando das Cavernas, escrita e ilustrada pelo português Nuno Caravela, já se impôs no mercado editorial português e é já uma das favoritas das crianças entre os 6 e os 10 anos. E O Bando das Cavernas 20: O Rebelde chega às livrarias em março com uma surpresa associada: uma das personagens saltou da imaginação de uma criança, num desafio lançado nas redes sociais e escolas.
De Maria Inês de Almeida, também a coleção Simão, pensada para crianças a partir dos 4 anos, soma e segue com dois novos exemplares: Simão, o Pequeno Leão 6: O Circo Chegou!; Simão, o Pequeno Leão 7: Vamos Acampar!.

ABRIL
Abril é mês de licenças importantes entrarem em campo. Editora dos livros oficias LEGO® em Portugal, a Booksmile lança quatro livros da Série DC LEGO® DC Super Heroes, onde as estrelas são alguns dos super-heróis preferidos de miúdos e graúdos.
Série de enorme sucesso na Cartoon Network, as aventuras de Ben 10 vão saltar do ecrã para os livros (leitura e atividades) - mais livros destas duas licenças serão lançados em maio e junho.

MAIO
James Patterson, autor que dispensa apresentações, mantém as aventuras de Rafe Khatchadorian bem vivas. O 9.º volume da série Escola chega às livrarias em maio e promete divertir os jovens leitores.

A coleção Educação para a Saúde irá crescer em 2018. Depois de A Sexualidade Explicada às Crianças, do Dr. Manuel Mendes da Silva, e d’O Livro dos Dentes, do Dr. Hugo Madeira, o cardiologista João Paisana Lopes vai ensinar tudo às crianças sobre o órgão mais importante do nosso corpo, o coração. Já a Dr.ª Maria do Céu Machado foi convidada para explicar aos mais novos como funciona um hospital.

Últimas Opiniões

  • O Judeu
    Bernardo Santareno é, sem dúvida, um dos maiores, se não o maior dramaturgo português do século XX. Era ...
  • 07.12.2018 13:53
  • Os dez espelhos de Benjamin Zarco
    Este é o quarto volume de uma série de Richard Zimler sobre a família Zarco, uma família de judeus ...
  • 19.11.2018 22:23
  • Trilogia da Mão - Amadeo, Guilhermina, Rosa
    A "Trilogia da Mão" é um conjunto de três livros agora editados num volume só. Nesta trilogia, Mário ...
  • 11.10.2018 22:10

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"O Homem e o escritor são a mesma pessoa. Mas este facto constitui a maior descoberta de um escritor. Precisei de muito tempo - e de quantas páginas escritas! - para chegar a essa síntese."
V.S.Naipaul, in O Enigma da Chegada.