Linda Howard em Português: Beija-me esta Noite

FaceBook  Twitter  

Temos o prazer de anunciar que a Saída de Emergência vai trazer para Portugal Linda Howard, uma autora com mais de 50 livros publicados e consagrada em 20 países.

O primeiro romance será o "Kiss Me While I Sleep", para já com o título provisório de "Beija-me Esta Noite" e tem data de lançamento prevista para 15 de Setembro. Esta é mais uma grande aposta do Grupo Saída de Emergência.

 


Lily passou muitos anos ao serviço da CIA, e converteu-se na mais eficiente e perigosa assassina da agência. Mas agora, pela 1ª vez, decidiu quebrar as regras. A morte trágica dos seus antigos companheiros e da sua filha adoptiva, as pessoas a que mais amava no mundo, é algo que não tem perdão, nem que isso implique desafiar os seus patrões e actuar por conta própria.
Movida por um desejo de vingança irresistível, converteu-se numa máquina de matar contra os seus inimigos. Agora não só enfrenta dois criminosos a quem persegue, mas também à própria agência que pôs o seu melhor homem atrás dela. Lucas Swain compreende muito bem os motivos de Lily mas sabe que o seu dever é trazê-la de volta...viva ou morta. Começa então uma dupla perseguição cheia de suspense em que a justiça, a lealdade e o dever mantêm-se a um passo da morte dos protagonistas.

Um fantástico livro a não perder com data prevista para 15 de Setembro.

Últimas Opiniões

  • Matéria Negra
    Scot Harvath, ex-SEAL, é um eficiente agente do Carlton Group, um grupo de investigação privado ...
  • 25.10.2014 21:55
  • Os aromas do amor
    Gosto muito dos livros de Dorothy Koomson e, sempre que sai um novo romance desta autora, eu corro ...
  • 24.10.2014 08:48
  • A Mulher dos Cabelos Loiros e o Homem do Chapéu
    Gostei da capa, achei um título estranho (meio a remeter para uma história dos tempos antigos), fiquei ...
  • 23.10.2014 18:29

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Apenas se deveriam ler os livros que nos picam e que nos mordem. Se o livro que lemos não nos desperta como um murro no crânio, para quê lê-lo?"
Franz Kafka