O Homem Que Matou o Diabo

 

 

Autor: Aquilino Ribeiro
Género: Romance
Edição: Out/2018
Páginas: 256
ISBN: 9789722536974
Editora: Bertrand

 

 

 

Numa visita fortuita à Serra, em busca de inspiração, Macário conhece Máxima, atriz, que o encanta e o desafia a visitá-la em Paris para esculpir o seu busto. Para surpresa de Máxima, Macário consegue atravessar a fronteira deixando em Portugal uma esperança, quiçá, em Isabel, mulher casada. A viagem é repleta de peripécias, uma aguarela de Portugal e Espanha como só Aquilino Ribeiro, força telúrica posta ao serviço da literatura, poderia recriar.

Continuar...

Direitos Humanos - O que está por fazer no século XXI

 

 

Autora: Teresa Pina
Género: Direito / Política / Sociologia
Edição: Out/2018
Páginas: 324
ISBN: 9789896445317
Editora: Temas e Debates

 

 

 

No 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948-2018), Portugal deve adotar uma Agenda Nacional de Direitos Humanos para o novo século.
«Os primeiros anos do século XXI mostram que os direitos humanos não são nada de garantido e definitivo. Por todo o lado assistimos a retrocessos. Vemo-lo, por exemplo, nos Estados Unidos e em França, onde muitos dos grandes e inegáveis progressos das últimas décadas estão agora em risco. Em numerosos países, os direitos humanos são há muito comprimidos ou sacrificados em nome de outros valores tomados por superiores; noutros casos, são abusivamente instrumentalizados por agentes não estatais, como as grandes empresas digitais.

Continuar...

Vida Moderna

 

 

Autora: Maria Filomena Mónica
Género: Crónicas / Sociologia
Edição: Out/2018
Páginas: 496
ISBN: 9789897225345
Editora: Quetzal

 

 

 

Ao longo de pouco mais de uma década (1985-1996), Maria Filomena Mónica escreveu sobre as mudanças que se verificavam em Portugal - e deixou perguntas sobre elas. Sobre a vida moderna dos portugueses e do Estado, a política e a sexualidade, a burocracia e a universidade, as escolas públicas e as televisões privadas, a polícia e os partidos, as cirurgias estéticas e a televisão por cabo, os heterónimos de Marcelo Rebelo de Sousa e a força da inveja no nosso país, a importância do Natal e a banalização da cirurgia estética.

Continuar...

Júlio de Melo Fogaça

 

 

Autor: Adelino Cunha
Género: História de Portugal
Edição: Out/2018
Páginas: 320
ISBN: 9789898892218
Editora: Desassossego

 

 


O líder de origem burguesa que desafiou Álvaro Cunhal e foi apagado da história do PCP

A Revolução Russa de 1917 foi um dos acontecimentos mais importantes do século xx. O comunismo alterou a correlação de forças mundiais e é nesta torrente de mudança que em 1921 nasce o Partido Comunista Português, que irá atrair centenas de jovens dispostos a lutar por uma nova sociedade. Júlio Fogaça aderiu ao PCP na mesma altura que Álvaro Cunhal e durante várias décadas defenderam orientações políticas opostas.

Continuar...

D. Maria I

 

 

Autora: Isabel Stilwell
Género: Romance Histórico
Edição: Out/2018
Páginas: 564
ISBN: 9789898871626
Editora: Manuscrito

 

 

 

Num tempo extraordinário, este romance, feito de personagens apaixonantes, leva-nos a um cenário de conspiração e intriga na Lisboa do século XVIII. Assistimos pelos olhos de D. Maria ao terramoto que abalou a capital, ao fim do poder do Marquês de Pombal que tanto a perturbava, aos conflitos com Espanha, ao longo processo dos Távora que marcou o seu reinado. Uma época onde lá fora despertava a Revolução Francesa e a independência dos Estados Unidos.

Continuar...

Últimas Opiniões

  • Trilogia da Mão - Amadeo, Guilhermina, Rosa
    A "Trilogia da Mão" é um conjunto de três livros agora editados num volume só. Nesta trilogia, Mário ...
  • 11.10.2018 22:10
  • O Bibliotecário
    Trabalho numa biblioteca, e talvez por isso ofereceram-me esse livro. Tem um nome aliciante e uma ...
  • 14.09.2018 11:06
  • A Terra de Naumãn
    Quem disse que em Portugal não se faz boa ficção científica? Este novo romance de H. G. Cancela ...
  • 01.09.2018 10:34

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"O livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive."
Padre António Vieira