2012: O Segredo das Profecias Maias

FaceBook  Twitter  

 

 

  

 

 

Autor: Gerald Benedict
Edição: Out/2011
Páginas: 256
ISBN: 978-989-668-132-6
Editora: Vogais

Os Maias previram a emergência do Cristianismo, a ascensão de Hitler ao poder... e o fim do Mundo como o conhecemos em 2012. Confirmar-se-á, a 21 de Dezembro, a previsão indicada pelos sofisticados calendários maias? Será essa a data do apocalipse, ou o princípio de uma nova era de ouro para o ser humano?  
Inclui os Calendários Maias decifrados e as 21 profecias explicadas com base nos textos originais.
O que 2012 significa para o destino do Homem, e como podemos preparar-nos para as mudanças previstas para essa data.
Como os Maias anteviram a evolução  da Humanidade e a decadência  da sociedade moderna.

 

Autor:
Gerald Benedict  é um dos mais reconhecidos especialistas mundiais em teologia comparada e textos sagrados. Com mais de uma dezena de livros publicados, Gerald Benedict foi também premiado por trabalhos realizados na área de ficção, pelo conjunto de contos, romances e novelas que escreveu para o BBC World Service.

Comentários  

 
+1 #1 Helena 2012-01-18 23:57
Diferente do que eu esperava, mas ainda assim muito interessante.

No início, uma breve introdução sobre o que significa profecia e uma apresentação da história e cultura dos Maias.

Os Maias são famosos pelos seus vastos conhecimentos, nomeadamente de matemática e astronomia, representados nos seus calendários - Calendário de contagem longa e do período de precessão de 26 mil anos, marcando o seu termo com o Solstício de Inverno de 21 de Dezembro de 2012.
No fim, como anexos, os calendários.

Contrariamente às profecias da desgraça, as 21 profecias dos Maias assinalam o ponto de viragem da Humanidade, como uma mudança radical, mas optimista, de evolução, em ruptura com vários obstáculos. Mas, apesar disso, temos que ser nós a engrenar esses processos e, para tal, é necessária liderança espiritual.
Sincronização galáctica é o contexto para outras fundamentais mudanças que permitirão resolver problemas ecológicos.

Um livro de esperança!
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • A Ilustre Casa de Ramires
    NOTA: Este comentário contém spoilers (*** não leia se pretender ainda ler o livro ***) Após 2 ou ...
  • 28.06.2020 09:42
  • Imortal (José Rodrigues dos Santos)
    Acabei (finalmente) de ler o mais recente livro de José Rodrigues dos Santos - Imortal que trata de um ...
  • 01.06.2020 23:30
  • O Túmulo do Mestre
    Ótimo livro para se ler num fim de semana! Li-o em duas tardes. Os capítulos não são grandes, pelo ...
  • 19.04.2020 19:03

Últimos Tópicos

    • Navia
    • Navia, nascida no ano 410 D.C, época em que a Lusitânia encontra-se instável...
    • há 1 dia 17 horas
    • Navia
    • Navia Navia, nascida no ano 410 D.C, época em que a Lusitânia encontra-se...
    • há 1 dia 17 horas

Uma Pequena Palavra...

"Algumas obras morrem porque nada valem; estas, por morrerem logo, são natimortas. Outras têm o dia breve que lhes confere a sua expressão de um estado de espírito passageiro ou de uma moda da sociedade; morrem na infância. Outras, de maior escopo, coexistem com uma época inteira do país, em cuja língua foram escritas, e, passada essa época, elas também passam; morrem na puberdade da fama e não alcançam mais do que a adolescência na vida perene da glória. Outras ainda, como exprimem coisas fundamentais da mentalidade do seu país, ou da civilização, a que ele pertence, duram tanto quanto dura aquela civilização; essas alcançam a idade adulta da glória universal. Mas outras duram além da civilização, cujos sentimentos expressam. Essas atingem aquela maturidade de vida que é tão mortal como os Deuses, que começam mas não acabam, como acontece com o Tempo."
Fernando Pessoa, in Heróstrato