A Confissão da Leoa

Autor: Mia Couto
Edição:
Abr/2012
Páginas: 272
ISBN: 9789722125673
Editora: Caminho

 

 

 

Um acontecimento real – as sucessivas mortes de pessoas provocadas por ataques de leões numa remota região do norte de Moçambique – é pretexto para Mia Couto escrever um surpreendente romance. Não tanto sobre leões e caçadas, mas sobre homens e mulheres vivendo em condições extremas. Como afirma um dos personagens, «aqui não há polícia, não há governo, e mesmo Deus só há às vezes».

E a Confissão da Leoa, através da versão de Mariamar, habitante da aldeia de Kulumani, e do diário de Gustavo Baleiro, o caçador contratado para matar os leões – os dois narradores desta história – vai expondo diante dos nossos olhos como a guerra, a fome, a superstição, podem transformar os homens em animais selvagens: «foi a vida que a desumanizou. Tanto a trataram como um bicho que você se pensou um animal». Sobre e contra este pano de fundo ergue-se uma extraordinária figura de mulher – Mariamar.
A Confissão da Leoa
é bem um romance à altura de Terra Sonâmbula e Jesusalém, já conhecidos do leitor português.

Autor – Mia Couto

Autor:

Mia Couto nasceu na Beira, Moçambique, em 1955. Foi jornalista e professor, e é, atualmente, biólogo e escritor. Os seus livros estão traduzidos em diversas línguas. Entre outros prémios e distinções foi galardoado com o Prémio Vergílio Ferreira 1999 e o Prémio União Latina de Literaturas Românicas 2007. Ainda em 2007 Mia foi distinguido com o Prémio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura pelo seu romance O Outro Pé da Sereia. Jesusalém foi considerado um dos 20 livros de ficção mais importantes da rentrée literária francesa por um júri da estação radiofónica France Culture e da revista Télérama. Em 2011 venceu o Prémio Eduardo Lourenço. Em 2013 foi galardoado com o Prémio Camões e com o prémio norte-americano Neustadt.

2 comentários
0 likes
Anterior: TrocadaSeguinte: A Vida Sabe o que Faz

Comments

  • Cristina Delgado

    Junho 25, 2012 at 16:50
    Reply

    Nunca tinha lido Mia Couto. Para ser sincera, este livro não captou a minha atenção. Custou-me a entrar na história, povoada de crenças e de realidades, ambientada numa aldeia no interior do mato. Pequeno mas não de leitura fácil, pelo menos para mim, é necessário estar aberta e receptiva ao estilo muito pessoal de Mia Couto, para conseguir tirar prazer desta leitura.

  • Joana Cardoso

    Junho 9, 2012 at 14:34
    Reply

    A Confissão da Leoa é um livro que mistura a realidade com as crenças típicas de uma aldeia que ainda se rege pelos antigos costumes.É-nos dado a conhecer o ponto de vista de duas personagens bastante diferentes, mas ao mesmo tempo bastante semelhantes nos seus medos e angústias. Apesar de ser um livro relativamente pequeno e de fácil leitura, não é por isso que o desenvolvimento das personagens e da história é marginalizado. Vamos vendo o passado e o presente a serem entrelaçados e um desenvolvimento alucinante da personalidade de ambas as personagens que culminam num final surpreendente.O que mais […] Ler Mais...A Confissão da Leoa é um livro que mistura a realidade com as crenças típicas de uma aldeia que ainda se rege pelos antigos costumes.É-nos dado a conhecer o ponto de vista de duas personagens bastante diferentes, mas ao mesmo tempo bastante semelhantes nos seus medos e angústias. Apesar de ser um livro relativamente pequeno e de fácil leitura, não é por isso que o desenvolvimento das personagens e da história é marginalizado. Vamos vendo o passado e o presente a serem entrelaçados e um desenvolvimento alucinante da personalidade de ambas as personagens que culminam num final surpreendente.O que mais me agradou no livro, foi a escrita do autor e a maneira como ele coloca questões e fala acerca da condição humana, porque, para mim, mais que uma história, este é um livro que pretende levar-nos para lá daquilo que os olhos conseguem ver. Read Less

Comentar