A Ilha da Paixão

FaceBook  Twitter  


Autor: Eileen Goudge
Edição: 2009
Páginas: 344
Editora: Contraponto

Leia aqui um excerto do livro.

Alice Kessler passou nove anos na prisão por tentativa de assassinato do condutor alcoolizado que matou o seu filho mais velho. Agora, regressa a casa para reconquistar o tempo perdido com o filho que deixou para trás. O seu pequeno rapaz, Jeremy, um adolescente revoltado, é injustamente acusado de violação. Assim mãe e filho tentam em conjunto provar a sua inocência. Ao mesmo tempo, Alice tem de enfrentar o homem responsável por colocá-la atrás das barras, entretanto nomeado Presidente da Câmara. Ela é auxiliada por Colin McGinty, um alcoólatra em recuperação e um viúvo do 11 de Setembro. Colin também regressa à ilha depois da morte do avô, um famoso artista conhecido pela pintura intitulada A Mulher de Vermelho, e cuja mulher retratada é, na realidade, a avó de Alice.

Uma história poderosa de amor e redenção, e do que uma mulher é capaz de fazer para ultrapassar os segredos escondidos no seu passado.

Comentários  

 
#4 Roberta Gonçalves 2009-12-10 22:23
Gostei bastante!

Uma história de esperança, de vontade de retomar a vida mesmo depois de grandes tristezas e desgostos, os erros dos antepassados que continuam a prejudicar o presente e acima de tudo a dor e o amor de uma Mãe.

À semelhança do outro livro que li da autora (Irmãs tão Queridas), a autora escreve de uma forma bastante simples, sem grandes floreados mas mantendo sempre o leitor "agarrado" e na expectativa do desenrolar do acontecimentos.

Uma Autora que pretendo seguir e este é sem duvida um livro a não perder ;-)
 
 
#3 Lígia Teixeira 2009-10-22 23:55
Apesar de não ter acabado de ler o livro, gostei muito do que li. Uma escrita sem grandes floreados, muito humana e directa e personagens bem construídas.
 
 
#2 fernanda carvalho 2009-07-23 14:40
Gostei muito desta história. Achei que está muito bem elaborada e a mistura das situações do passado com o presente são interessantíssimas.
As personagens também estão bem conseguidas, e a forma como a autora nos apresenta a história é clara e fluída, não havendo lugar para confusões.
Acho sinceramente que era uma boa história para ver transposta para o grande écran.

P.S. O título em inglês (The Woman in Red) é sem dúvida mais cativante e fidedigno que o utilizado em Portugal, mas compreendo a escolha da editora.
 
 
#1 Joana Caires 2009-06-30 22:53
É uma obra cativante que se lê num abrir e fechar de olhos...
Colin perdeu a mulher no 11 de Setembro e entrou na espiral destrutiva do álcool. Alice perdeu o filho mais velho, David, em consequência de um acidente provocado por Owen White. Após o julgamento, White é ilibado de qualquer culpa e Alice, desesperada, comete uma loucura. Tenta matar Owen White. Depois de cumprir pena por tentativa de homicídio, regressa à sua terra para tentar reconquistar o coração do seu filho mais novo, Jeremy. Aí, conhece Colin. Ambos lidam com passados dolorosos e futuros incertos o que os aproxima... Depois descobrem que têm outro elo insólito que os une. Na casa herdada por Colin existe um quadro pintada por William, seu avô, de uma mulher belíssima vestida de vermelho. Essa mulher é nem mais nem menos que a avó de Alice, Eleanor.
A autora leva-nos então numa viagem ao passado para conhecer William e Eleanor e pelo caminho faz revelações extraordinárias ... No presente, Alice demonstra ser uma mulher de força quando o seu filho é acusado de violar uma jovem e quando luta contra a descriminação que sente na pele.
Eleanor, William, Colin e Alice e as outras personagens cativam-nos por serem imperfeitas. Por terem falhas e cometerem erros como os demais mortais. Embora tome por vezes uma direcção previsível, não é uma leitura aborrecida e dei por mim a querer ler mais e mais...
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Hugo Chávez, o colapso da Venezuela
    Gosto de estar bem informado e não fazer juízos sem conhecimento de causa. O governo da Venezuela tem ...
  • 02.09.2019 14:09
  • Autobiografia
    "Autobiografia" , o novo romance de José Luís Peixoto, é o 3º livro que leio deste autor. Os anteriores ...
  • 18.08.2019 17:41
  • A Dama do Quimono Branco
    Com este volume, termina a saga do Samurai Negro, constituída por uma trilogia de romances históricos ...
  • 29.07.2019 17:54

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Como um dia alguém me ensinou, os bons amigos são como os livros, nunca partem de vez. Sempre ficam no nosso coração."
Alberto S. Santos, in Para lá de Bagdad