A Tentação de D. Fernando

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: Jorge Sousa Correia
Género: Romance Histórico
Edição: Fev/2017
Páginas: 432
ISBN: 9789897243448
Editora: Clube do Autor

 

 


Uma história que desvenda os cenários políticos de um reino à beira de perder a independência.
Quais os vícios de D. Fernando e da sua época? Como governou o reino e permitiu a devassa da Corte? De que forma ascendeu ao poder D. Leonor Teles? Que alianças ameaçaram Portugal? Porque razão o povo saiu à rua para se revoltar?
Neste livro, Jorge Sousa Correia partilha com os leitores as intrigas e os escândalos que levaram D. Fernando a cair em tentação.

No registo que já conhecemos, o autor apresenta um novo romance pleno de ritmo, e emoção, e uma escrita verdadeiramente empolgante. Ao longo das suas páginas acompanhamos o fim da 1ª Dinastia, resultado, em boa parte, da ambição e grande predileção do Rei pelos prazeres amorosos (e pouco gosto pelas batalhas) e a ascensão do Mestre de Avis.

Deste autor no Segredo dos Livros:
A Traição de D. Manuel I

Autor:

Jorge de Sousa Correia é licenciado em História pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Serviu na Força Aérea entre 1965 e 1969, tendo sido destacado para Angola nos dois últimos anos. Foi professor de História na Escola Secundária do Pinhal Novo e trabalhou numa empresa metalúrgica.
Estreou-se no romance em 2013 com O Mistério do Infante Santo.

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Tudo Vale no Amor
    Foi o primeiro livro que li desta autora e o que posso dizer é que é um livro que tem de tudo, isto é ...
  • 06.03.2017 15:23
  • O Último Paraíso
    Antes de mais, um pouco de História, para nos situarmos e compreendermos aquilo de que fala este ...
  • 04.03.2017 22:10
  • Ligeiramente Indecente
    Mais um livro da saga “Bedwyn”. Neste livro, é contada a história de Lord Alleyne, o qual tem um ...
  • 01.03.2017 14:13

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Como um dia alguém me ensinou, os bons amigos são como os livros, nunca partem de vez. Sempre ficam no nosso coração."
Alberto S. Santos, in Para lá de Bagdad