Acácia - O Povo das Crianças Divinas

FaceBook  Twitter  

 

 

 

Autor: David Anthony Durham    
Série: Acácia  (Vol. 4)
Edição: Jul/2013
Páginas: 336
ISBN: 9789896375379
Editora: Saida de Emergência

 

 

Um império com perigosos aliados e demasiados inimigos. Quatro príncipes determinados a cumprir um destino. Uma rede de intrigas que atravessa gerações. Manter o trono de Acácia poderá revelar-se uma tarefa fatal.
Corinn Akaran é a senhora suprema do Império Acaciano do Mundo Conhecido, e o poder parece suavizá-la, até mesmo fazê-la ceder aos jogos do amor.

Mas, por todo o lado fervilha a traição e multiplicam-se as conspirações para a derrubar: dos seus alegados aliados numrek até às intrigas em torno da filha de Aliver, Shen, enquanto, do outro lado do mundo, um exército gigantesco se prepara para marchar sobre o Mundo Conhecido e a Liga dos Navios continua a jogar em dois perigosos tabuleiros, disposta a jurar servir qualquer senhor, desde que esse senhor sirva os seus próprios interesses.
Corinn nem pode contar com a sua própria família: a irmã Mena esconde-lhe segredos e Dariel, prisioneiro das Crianças Divinas, vai enfrentar uma aventura - novamente contra a Liga dos Navios - que o transformará no corpo e no espírito. Mas Corinn aprendeu a lutar, e não vai hesitar em chamar a si todos os aliados que conseguir, até mesmo aqueles que ninguém imaginava que um dia pudessem voltar.

Volumes anteriores desta série:
Acácia - Ventos do Norte
Acácia - Presságios de Inverno
Acácia - Outras Terras

Autor:

David Anthony Durham nasceu em Nova Iorque no ano de 1969. Venceu inúmeros prémios com os livros Gabriel's Story, Walk Through Darkness, e Pride of Carthage. Com a publicação de Acácia, Durham ganhou protagonismo e tornou-se um autor em ascensão no mundo literário. Acolheu as melhores críticas no Publishers Weekly, Kirkus Reviews, SciFi Site and Fantasy Magazine, New York Times e Library Journal, sendo considerado a grande revelação dos últimos anos na Fantasia. A saga Acácia está a ser publicada em mais de 10 países e encontra-se em desenvolvimento para o cinema.
Atualmente, Durham vive com a mulher e os filhos na Califórnia e ensina na Universidade em Fresno.

Saiba mais em www.davidanthonydurham.com

Comentários  

 
#1 Lurdes Graça Pereira da Silva 2013-07-27 23:41
Neste 4º volume sobre a Acácia, é-nos explicado o destino das crianças negociadas pela Liga na quota.
Estas crianças, objecto de troca pela bruma, são sondadas pelos Lothan Aklun, povo com poderes de feitiçaria, que advinham os seus potenciais poderes e, como tal, as colocam ao serviço do povo Auldek.

Estes utilizam-nas quer como escravas em diversas tarefas, quer como plantadoras de bruma, quer como criadas, mas também para travarem lutas entre os diversos clãs, porque não derramam sangue entre si. A outras sugam-lhes as almas, para alimentarem os corpos de quem servem, dando-lhe mais vidas.

Mas o mais cruel é que as transformam com as características dos diversos totens, tatuando-as, mas também infligindo-lhes modificações genéticas. Estas, embora guardando recordações do passado, têm uma dependência enorme dos seus donos, não se conseguindo libertar.

As crianças que lutam e matam os seus iguais, são designadas as Crianças Divinas. Dariel é prisioneiro destas crianças, auto denominadas Povo Livre. Embora, de início, seja visto como um Akaran, logo um traidor, vai pouco a pouco representar a esperança e antevejo que venha a ter, no futuro, um papel importante.

Os Auldek decidiram empreender uma guerra contra o Reino de Acácia e desistir da sua imortalidade, com a esperança de recuperaram a sua capacidade de procriar.

A Liga, ocultando o seu envolvimento, avisa a rainha Corinn da ameaça, mas, com este aviso, vai colocá-la em risco bem como toda a sua família, incluindo o seu filho, porque a sua guarda privada, os Numrek, são o primeiro passo para esta guerra, já que são um clã expulso do povo Auldek.
Corinn consegue salvar o filho com ajuda da irmã Mena e apelando à magia. Só que, cada vez que usa a magia, há um mal que também é libertado, porque a linguagem do Doador, quando usada por outros, é distorcida.

Os Santoth conseguem convocar Shen, filha de Aliver, e alertam para o seu pressentimento de uma grande guerra sem precedentes e o perigo da magia. Conseguem obter o perdão do exílio e dizem que é urgente ir ter com a rainha.
Esta torna-se mais uma vez inflexível e fria, sobretudo para a própria família. Afasta Mena, enviando-a para uma missão quase suicida. Pressentindo o próprio perigo, tenta ressuscitar Aliver para a ajudar. Mas será que ele aceita?

No fundo, as Crianças Divinas não serão também os futuros herdeiros de Akaran? Corinn tem um filho. A companheira de Dariel também está grávida e Aliver deixou uma filha no mundo, mesmo desconhecendo-o.

Teremos que esperar pelo próximo volume para ver o desenrolar da guerra e ver se, finalmente, todos conseguem a paz. Uma série fantástica, de que não nos conseguimos separar.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Hugo Chávez, o colapso da Venezuela
    Gosto de estar bem informado e não fazer juízos sem conhecimento de causa. O governo da Venezuela tem ...
  • 02.09.2019 14:09
  • Autobiografia
    "Autobiografia" , o novo romance de José Luís Peixoto, é o 3º livro que leio deste autor. Os anteriores ...
  • 18.08.2019 17:41
  • A Dama do Quimono Branco
    Com este volume, termina a saga do Samurai Negro, constituída por uma trilogia de romances históricos ...
  • 29.07.2019 17:54

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Era uma vez uma mulher cujo ofício era contar histórias. Andava por todo o lado oferecendo a sua mercadoria, relatos de aventuras, de suspense, de horror ou de luxúria, tudo a um preço justo. Num meio dia de agosto encontrava-se no centro de uma praça quando viu avançar na sua direção um homem (...) És tu a que conta histórias?, perguntou o estrangeiro. (...) Então vende-me um passado, porque o meu está cheio de sangue e de lamentos e não me serve para percorrer a vida."
Isabel Allende
in Eva Luna