Alex Cross

 

 

  

 

Autor: James Patterson
Edição: Nov/2012
Páginas: 384
ISBN: 9789898626011
Editora: Topseller

 

Alex Cross era uma estrela em ascensão na Polícia de Washington DC quando um desconhecido assassinou a sua mulher, Maria, à sua frente.
Anos mais tarde, Alex deixou as forças de segurança e regressou à carreira de psicólogo, revelando-se um bem-sucedido escritor de livros policiais. A vida com a sua avó, Nana Mama, e os filhos Damon, Jannie e o pequeno Alex parece correr na perfeição, e o detetive admite mesmo viver um novo amor.

É nesta fase que John Sampson, o seu antigo parceiro na Polícia, lhe pede ajuda para capturar um perigoso criminoso. Cross regressa então à ação, sem saber que se prepara para enfrentar o assassino da sua própria mulher.
Tem início a busca pelo homicida mais astuto e psicótico que jamais enfrentou, que o vai empurrar perigosamente para o ponto de rutura.

Deste autor no Segredo dos Livros:
Diário de Uma Mãe
Abre o Teu Coração
Segunda Oportunidade
Escola: Os Piores Anos da Minha Vida
Escola: O Rebelde Está de Volta

Autor – James Patterson

Autor:

James Patterson já criou mais personagens inesquecíveis do que qualquer outro escritor da atualidade. É o autor dos policiais Alex Cross, os mais populares dos últimos vinte e cinco anos dentro do seu género. Entre os seus maiores bestsellers estão também as coleções Private: Agência Internacional de Investigação, The Women’s Murder Club (O Clube das Investigadoras), A Amante, Zoo e Primeiro Amor.
James Patterson é o autor que mais livros teve até hoje no topo da lista de bestsellers do New York Times, segundo o Guinness World Records. Desde que o seu primeiro romance venceu o Edgar Award, em 1977, os seus livros já venderam mais de 325 milhões de exemplares.
Patterson escreveu também diversos livros para leitores jovens e jovens adultos, entre os quais estão as séries Confissões, Maximum Ride, Escola e Eu Cómico.

Visite o site de James Patterson www.jamespatterson.com e a página dos fãs de James Patterson Infantojuvenil Portugal no Facebook.

Veja o anúncio publicitário a este lançamento editorial:

6 comentários
0 likes
Anterior: Cada dia, cada horaSeguinte: Maximum Ride – O Resgate de Angel

Comentários

  • Sebastião Barata

    Agosto 4, 2013 às 23:36
    Responder

    O que mais posso dizer que ainda não foi dito? É um livro que se lê rapidamente, apesar das 380 páginas, não só por ter capítulos curtos e uma paginação generosa, mas também porque a história cativa o leitor que não é capaz de se apartar dela voluntariamente. Os acontecimentos sucedem-se a uma velocidade vertiginosa e não há pormenores desnecessários que só iam "desgrudar" o leitor e baixar o nível de adrenalina.Na verdade, o Carniceiro é louco, só pode ser. Ninguém no seu perfeito juízo consegue ser assim tão mau, mesmo tendo em conta a sua infância de tal modo […] Ler Mais...O que mais posso dizer que ainda não foi dito? É um livro que se lê rapidamente, apesar das 380 páginas, não só por ter capítulos curtos e uma paginação generosa, mas também porque a história cativa o leitor que não é capaz de se apartar dela voluntariamente. Os acontecimentos sucedem-se a uma velocidade vertiginosa e não há pormenores desnecessários que só iam "desgrudar" o leitor e baixar o nível de adrenalina.Na verdade, o Carniceiro é louco, só pode ser. Ninguém no seu perfeito juízo consegue ser assim tão mau, mesmo tendo em conta a sua infância de tal modo traumatizante, que até chegamos a ter pena dele e a entender as suas atitudes. Mas os momentos de fraqueza do leitor são curtos, porque, de imediato, ele pratica algo de tão repugnante que é impossível não o odiar! Assassino profissional a soldo, não se limita a executar os seus contratos e receber o pagamento. A sua raiva é tal que, nos intervalos, se dedica a assaltos, violações, assassínios, desmembramentos e nunca se esquece de fazer umas fotos, como simples recordação...Quanto ao facto de este ser o 12º volume da série original, não achei qualquer inconveniente ou necessidade de ler os anteriores. As referências ao passado são suficientes para entender o que levou Alex Cross a desejar tanto a morte deste facínora. Penso que a editora fez bem, para aproveitar a "boleia" do filme com o mesmo nome.Também gostei do lado humano deste polícia e do amor de família entre ele, os filhos, a sua falecida esposa e a avó. Esta Nana centenária (ou quase), mas cheia de vida e de espírito prático que já o tinha criado e educado e o tem ajudado a criar os filhos depois do brutal assassinato da sua adorada Maria, é uma personagem motivadora que nos enternece.Mais uma obra de James Patterson para ser lida e apreciada por leitores de todas as idades. Read Less

  • Ana

    Maio 25, 2013 às 14:13
    Responder

    Geralmente, é a leitura de um bom livro que me faz procurar ver o filme que de lá "saiu". Aqui, aconteceu precisamente o contrário. Vi primeiro o filme, que achei medíocre, mas as tão boas opiniões acerca do livro fizeram-me querer lê-lo. Sem dúvida, melhor que o filme - se fosse pior seria o descalabro - mas não muito mais do que isso. Adorei o caráter humano de que a personagem principal é revestida: viúvo, com filhos, a conciliar a carreira profissional com a educação da sua prole. Todavia, em certos momentos, senti falta de certos pormenores que são desvendados […] Ler Mais...Geralmente, é a leitura de um bom livro que me faz procurar ver o filme que de lá "saiu". Aqui, aconteceu precisamente o contrário. Vi primeiro o filme, que achei medíocre, mas as tão boas opiniões acerca do livro fizeram-me querer lê-lo. Sem dúvida, melhor que o filme - se fosse pior seria o descalabro - mas não muito mais do que isso. Adorei o caráter humano de que a personagem principal é revestida: viúvo, com filhos, a conciliar a carreira profissional com a educação da sua prole. Todavia, em certos momentos, senti falta de certos pormenores que são desvendados em livros que ainda não saíram cá, principalmente em relação a aspectos pessoais da falecida Maria. Lê-se bastante bem, com bastante avidez mesmo, mas, como policial, é um pouco [i]light[/i]. Diria que é um policial num registo bastante comercial, leve, mas que desperta bastantes motivos de interesse. Livros destes também são necessários, não é? :) Estou à espera que saia o seguinte da série, para ver se faço a coleção. Read Less

  • Maria João

    Fevereiro 10, 2013 às 22:35
    Responder

    Gostei deste policial como há muito não gostava de nenhum.Temos a história de um polícia, de um agente do FBI e de um psicólogo, todos a mesma pessoa, Alex Cross. Este persegue o carniceiro, um assassino impiedoso, através do país. Tem como ajuda um antigo parceiro e a sua família imparável. Houve alguns pormenores que não foram explicados, tendo só aparecido como factos. Mas, tirando isso, foi emocionante até ao fim. A acompanhar.

  • Helena

    Janeiro 1, 2013 às 15:35
    Responder

    James Patterson é um autor que dispensa apresentações e tanto os seus romances como os policiais proporcionam uma [b]leitura viciante e compulsiva[/b]. Prefiro o seu género de romance do que um policial, com crimes de um psicopata que mata e viola em série, apesar de serem ambos muito bons.Alex Cross, aliás a família Cross é tão verossímil e calorosa, que ficamos imediatamente arrebatados por aquela família modelo de afeto. E que escrever sobre o amor que Alex Cross dedicava à falecida Maria? Um sonho...Bem, como afirmei no inicio do meu comentário, se se trata de uma leitura compulsiva e viciante […] Ler Mais...James Patterson é um autor que dispensa apresentações e tanto os seus romances como os policiais proporcionam uma [b]leitura viciante e compulsiva[/b]. Prefiro o seu género de romance do que um policial, com crimes de um psicopata que mata e viola em série, apesar de serem ambos muito bons.Alex Cross, aliás a família Cross é tão verossímil e calorosa, que ficamos imediatamente arrebatados por aquela família modelo de afeto. E que escrever sobre o amor que Alex Cross dedicava à falecida Maria? Um sonho...Bem, como afirmei no inicio do meu comentário, se se trata de uma leitura compulsiva e viciante (nunca é demais repetir para quem não conhece a escrita de JP), em que cada situação de suspense e ação é um pequeno capítulo e são 122 em 384 páginas, este livro lê-se num ápice. Até sentimos empatia por Michael Sullivan, o assassino em série, o que é inimaginável, e, ainda assim, torcemos pela sua morte desde que começamos a lê-lo. Muito, muito bom. Tenho de assistir ao filme, para perceber se o grau de envolvimento é próximo ao que consegui com o livro. Não irei perder outra leitura que se me depare desta personagem (porque este autor é um dado adquirido para mim e milhares de leitores em todo o mundo). Read Less

  • Catia Silva

    Dezembro 3, 2012 às 10:32
    Responder

    Apesar de ser o décimo segundo volume da série Alex Cross, lê-se bastante bem e depressa se entra na história do protagonista. Alex vê-se confrontado com a morte da esposa, Maria, que é assassinada junto a ele e a vê morrer nos seus braços. Desolado e influenciado pela família que não vê com bons olhos o seu trabalho na polícia, Cross decide retirar-se das investigações e levar uma vida mais pacata como psicólogo forense por conta própria. Mas o passado continua muito presente na sua vida e o desejo de vingar a morte da mulher acaba por ser mais forte. […] Ler Mais...Apesar de ser o décimo segundo volume da série Alex Cross, lê-se bastante bem e depressa se entra na história do protagonista. Alex vê-se confrontado com a morte da esposa, Maria, que é assassinada junto a ele e a vê morrer nos seus braços. Desolado e influenciado pela família que não vê com bons olhos o seu trabalho na polícia, Cross decide retirar-se das investigações e levar uma vida mais pacata como psicólogo forense por conta própria. Mas o passado continua muito presente na sua vida e o desejo de vingar a morte da mulher acaba por ser mais forte. Depressa estabelece uma relação entre as violações bárbaras que estão em investigação com os assassinatos cruéis que já tinha investigado no passado, chegando ao Carniceiro, um homem sem quaisquer escrúpulos que, depois de retalhar as vítimas, ainda tira fotografias da sua morte como se de um portefólio se tratasse. Patterson junta ainda a máfia italiana para criar um ambiente perfeito. Com capítulos pequenos e bastante ritmados, Alex Cross é um livro de fácil e rápida leitura que leva o leitor a querer ler mais e mais. Também gostava de manifestar o meu desagrado pelas editoras que pegam nas séries a meio e depois não publicam os volumes seguintes por ordem, pois o enredo nestas coleções tem uma sequência de livro para livro. Mas pode ser que esta editora possa continuar a publicar os restantes livros desta coleção. Read Less

  • Filipe Dias

    Novembro 21, 2012 às 17:37
    Responder

    Quando vi o anúncio da publicação do livro, fiquei curioso. Contudo, verifiquei que já era o 12º da série Alex Cross. Continuo a manifestar o meu total desagrado pelas editoras pegarem nas séries a meio e não publicarem depois por ordem. Mas vamos ao livro. Conta-nos o percurso de opostos. Dum lado, temos o próprio Alex Cross e a sua vida normal, com a mulher que ama e os seus filhos. No lado oposto, temos um assassino impiedoso que mata de uma forma agoniante, com um bisturi.A vida dos dois está interligada, uma vez que Cross investiga os crimes do […] Ler Mais...Quando vi o anúncio da publicação do livro, fiquei curioso. Contudo, verifiquei que já era o 12º da série Alex Cross. Continuo a manifestar o meu total desagrado pelas editoras pegarem nas séries a meio e não publicarem depois por ordem. Mas vamos ao livro. Conta-nos o percurso de opostos. Dum lado, temos o próprio Alex Cross e a sua vida normal, com a mulher que ama e os seus filhos. No lado oposto, temos um assassino impiedoso que mata de uma forma agoniante, com um bisturi.A vida dos dois está interligada, uma vez que Cross investiga os crimes do assassino. Até que, certo dia, Cross está em casa e o assassino entra sem explicação, fala e sai. Dias depois, a mulher de Cross é assassinada, enquanto está nos seus braços. Quem terá sido? É a dúvida. Passam uns anos, o assassino volta a causar vítimas e Cross volta a investigar os casos, um após outro, sendo eles frequentes. Há um assassino para apanhar, um mistério para resolver, e talvez esteja tudo interligado. É desta forma que a estória se desenrola.O autor confere a este conto muita acção, muita movimentação de personagens, poucas descrições. Parece que estamos quase a ver o filme do que lemos, o que torna a leitura muito mais atractiva e acessível.Gostei e gostaria também de poder continuar a seguir esta série. Fica o pedido à editora... Read Less

Comentar

Siga-nos no Facebook
Facebook Pagelike Widget
Últimos Livros Comentados
Tópicos recentes