Ambições

FaceBook  Twitter  

 

 

Autora: Ana de Castro Osório
Género: Romance
Edição: Jun/2019
Páginas: 256
ISBN: 9789899994690
Editora: Sibila

 

 


Toldados pela ideia de ascensão social, uma bela mulher de origem humilde e um médico arrivista estabelecem uma aliança nefasta. Pelo caminho, terão de se confrontar com outros interesses afectivos, sociais ou políticos. Entre Lisboa e uma vila do interior, as vidas das diferentes personagens cruzam-se numa teia de sonhos e ambições.

O leitor delicia-se com o olhar crítico da autora sobre a realidade portuguesa, ao encontrar aqui retratados os seus diferentes extractos sociais.
Um romance de costumes sobre a condição da mulher, o matrimónio, a educação e o progresso no início do século XX, que em muitos aspectos se mantém actual.

Desta autora no Segredo dos Livros:
Mundo Novo

Autora:

Ana de Castro Osório (1872-1935) é escritora, pedagoga, jornalista, editora, ativista e feminista. Cedo começou a escrever artigos para jornais, contos infantis, novelas e textos didáticos. Pela intensa atividade literária, educativa, cívica e política a que sempre se dedicou, é uma figura ímpar do nosso panorama cultural.
Pioneira da literatura infantil em Portugal, além da importante recolha de contos da nossa tradição oral, traduziu contos dos irmãos Grimm e de outros grandes autores de literatura infantil, incluídos na sua coleção «Para as Crianças», iniciada em 1897 e publicada em fascículos vendidos por assinatura, a qual totalizou 18 volumes.

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Pão de Açúcar
    Faz agora em fevereiro catorze anos que se deu um acontecimento que apaixonou o País e deixou os ...
  • 02.02.2020 22:44
  • Budapeste
    Este livro fala de uma profissão que muitos podem considerar ficção, mas é muito real e mais vulgar do ...
  • 18.01.2020 23:22
  • A Luz de Pequim
    Apesar de ter vários livros do autor na estante, ainda não tinha tido a oportunidade de ler qualquer ...
  • 15.01.2020 13:56

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

“E desde então decidi que a POESIA é a forma mais curta, mais doce, mais explosiva. Para que escrever um romance se é possível dizer o mesmo em dez linhas?”
Charles Bukowski