Amor de Perdição

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: Camilo Castelo Branco
Género: Romance
Edição: Jun/2019
Páginas: 208
ISBN: 9789897110443
Editora: Livros do Brasil

 

 


Escrita em quinze intensos dias de prisão e com base na sua própria experiência, a obra-prima de Camilo Castelo Branco é um exemplo maior do movimento romântico português. Esta é a história do amor de Simão Botelho e Teresa Albuquerque, ele de dezassete anos, ela de quinze; um amor singular que não esmorece face à oposição das suas famílias fidalgas, a perseguições, a condenações, ao exílio; uma paixão pungente a que se juntará a jovem Mariana, e que não poderá acabar senão tragicamente.

Alcançando grande êxito assim que foi dado à estampa, em 1862, Amor de Perdição continua a ser o mais lido romance de Camilo Castelo Branco e é uma das mais apaixonantes histórias de amor da literatura portuguesa.
Esta obra está indicada nas Metas Curriculares de Português para o Ensino Secundário (11.º ano).

Deste autor no Segredo dos Livros:
1000 Frases de Camilo Castelo Branco (com seleção de Luís Naves)

Autor:

Camilo Castelo Branco nasceu em Lisboa a 16 de Março de 1825. Foi registado como filho de mãe incógnita, porque o seu pai e a sua avó não queriam que o nome Castelo Branco estivesse envolvido com alguém de tão humilde condição. Ficou órfão de mãe aos dois anos e de pai aos nove. A morte do pai obrigou-o a ir viver em Vila Real de Trás-os-Montes com uma tia paterna. Como era uma criança sensível e muito inteligente, sofreu grandes perturbações com todos os acontecimentos da sua infância. Ao longo da sua existência revelou-se um falhado nos estudos e nos amores. Casou aos 16 anos, mas enviuvou aos 22. Em 1856, iniciou o relacionamento amoroso com Ana Plácido, uma mulher casada, situação pela qual chegou a estar preso. Em 1864, a sua produção literária já era enorme e decidiu fixar-se na quinta de S. Miguel de Ceide, que Ana Plácido herdou do seu marido, entretanto falecido. A partir de 1881, começou a ficar cada vez mais doente, acabando por cegar. Impossibilitado de escrever (a escrita foi, no fim de contas, a sua grande paixão), suicidou-se com um tiro de revólver a 1 de Junho de 1890, na sua casa de Ceide, Vila Nova de Famalicão.
Camilo foi um escritor muito prolífico, escrevendo muitas vezes por necessidades económicas, sendo considerado o primeiro escritor profissional português. As suas obras principais são: "A Filha do Arcediago" (1855); "Onde está a Felicidade?" (1856); "Vingança" (1858); "O Romance dum Homem Rico" (1861); "Amor de Perdição" (1862); "Memórias do Cárcere" (1862); "O Bem e o Mal" (1863); "Vinte Horas de Liteira" (1864); "A Queda dum Anjo" (1865); "O Retrato de Ricardina" (1868); "A Mulher Fatal" (1870); "O Regicida" (1874); "Novelas do Minho" (1875-1877); "Eusébio Macário" (1879); "A Brasileira de Prazins" (1882). Além das obras em prosa narrativa, Camilo escreveu poesia, teatro, de que se deve destacar "O Morgado de Fafe em Lisboa" (1861) e "O Morgado de Fafe Amoroso" (1865), dezenas de traduções (do francês e do inglês), polémica, prefácios, biografia, história, crítica literária, jornalismo e epistolografia (compreendendo mais de duas mil cartas).

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Hugo Chávez, o colapso da Venezuela
    Gosto de estar bem informado e não fazer juízos sem conhecimento de causa. O governo da Venezuela tem ...
  • 02.09.2019 14:09
  • Autobiografia
    "Autobiografia" , o novo romance de José Luís Peixoto, é o 3º livro que leio deste autor. Os anteriores ...
  • 18.08.2019 17:41
  • A Dama do Quimono Branco
    Com este volume, termina a saga do Samurai Negro, constituída por uma trilogia de romances históricos ...
  • 29.07.2019 17:54

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"O Homem e o escritor são a mesma pessoa. Mas este facto constitui a maior descoberta de um escritor. Precisei de muito tempo - e de quantas páginas escritas! - para chegar a essa síntese."
V.S.Naipaul, in O Enigma da Chegada.