Amor em Lume Brando

FaceBook  Twitter  


Autor: Anna Casanovas
Edição: Fev/2010
Páginas: 304
Editora: QuidNovi

Guillermo, um reputado consultor financeiro, está farto de aviões, hotéis e diferenças horárias. Quer fazer mudanças drásticas na sua vida para se poder dedicar mais aos amigos e talvez até ao amor; mas de momento vê-se obrigado a passar uma temporada em Nova Iorque por causa da carreira. Emma sacrificou demasiados sonhos para se tornar uma boa médica, mas agora sente que chegou o momento de os concretizar, pelo que decide abandonar o hospital onde trabalha e matricular- se na escola de cozinha mais prestigiada de Nova Iorque.

Ambos se encontram no avião e, apesar de algumas embirrações iniciais, partilham uma história de amor inesquecível. Mas há segredos e receios que acabam por minar a relação e Guillermo regressa a Barcelona para começar sozinho a sua nova vida. Conseguirá o tempo unir o que o medo separou?

Autora:
Nasci em 1975 en Calella, uma povoação da costa de Barcelona, e sou a mais velha de seis irmãos; quatro raparigas e dois rapazes. Estou na dúvida se os meus pais são muito valentes ou uns inconscientes.
Há alguns anos, licenciei-se em Direito e depois de desfrutar do «maravilhoso» mundo dos estágios, decidi procurar outro trabalho; um em que me pagassem. Assim, comecei a trabalhar numa entidade financeira e confesso que fiz ali grandes amigas e aprendi muito sobre «o significado da vida». Só posso dizer que a realidade supera sempre a ficção.
No que se refere ao amor, temo que não tenha sido muito original, casei-me com o meu primeiro noivo, o amor da minha vida. Um homem que está convencido de que não é romântico, mas que com os seus beijos me derrete toda e que é a prova viva de que os heróis das nossas novelas existem. Talvez tenha exagerado um pouco, mas como ele sempre me animou a escrever, creio que o merece.
Com a publicação da minha primeira novela, «Ninguém como tu», começou uma nova etapa, que espero dure muitos anos.
Anna Casanovas
(Traduzido do site da autora)

Comentários  

 
+1 #7 Ana 2010-07-26 21:11
A minha estreia com esta autora não podia ser melhor.
O livro centra-se nas 2 personagens principais: Guillermo e Emma, quando, após um voo atribulado para Nova Iorque, se começam a conhecer. Guillermo é um assessor financeiro muito bem sucedido que, após uma introspecção sobre a sua vida, decide que quer algo mais.
Emma é uma médica conceituada que, após a morte de um paciente, quer alterar o percurso da sua vida, indo para Nova Iorque fazer um curso de culinária.
Enquanto que Guillermo quer a todo o custo mostrar a Emma que eles são perfeitos um para o outro, Emma tem as suas dúvidas, devido à sua infância e aos seus medos.
O livro está muito bem escrito, prende-nos logo desde o início.
Do que gostei mais no livro foi que é muito parecido com a vida real, ou seja não é aquele típico romance que, após uma discussão, o casal fica logo junto. Aqui somos confrontados com os sentimentos de dor, perda, mentira.
Muito bom livro! Foi, sem dúvida nenhuma, uma excelente descoberta.
 
 
#6 Margarida Cruz 2010-07-08 23:51
A simplicidade da escrita, a envolvência da história, a paixão vividas na história fazem deste livro a escolha perfeita para quem, como eu, ansiava desesperadament e por um romance leve e doce.
Anna Casanovas não poderia ter estado melhor. O pretendido foi, sem dúvida alguma, atingido: eis que se conseguiu um romance hipnotizante, leve e, ao mesmo tempo, tão relaxante. Há muito tempo que não lia algo tão maravilhoso e suave como esta história e quando andamos mais ocupadas com trabalho, com a cabeça fixa noutras coisas, não há nada melhor que um livro como este: fluente, bonito.
Foi o primeiro livro de Anna Casanovas que li e certamente que não será o último. Adorei e ficará para sempre como referência para os momentos mais complicados das nossas vidas. Mal posso esperar por ler o outro volume já traduzido para português desta autora: "Ninguém como tu". Se for tão bom ou melhor que este, não me irei arrepender, de todo.
 
 
#5 Helena 2010-06-05 21:26
Um romance tão envolvente e verosímil que me fez abstrair de tudo e perder a noção do tempo. Perfeito para ler numa viagem de avião. De preferência, uma viagem não tão desconfortável como a que juntou as personagens Emma e Guillermo - ele, em mais uma deslocação de trabalho e ela, em conflito existencial depois da morte de um paciente que a marcou. Determinado, ele decidiu conquistá-la e ela resistiu e procurou manter as distâncias e os objectivos da lista.
No fim, apenas o medo de investir na relação e confiar um no outro os impedia.
Recordou-me os livros com continuação de Nora Roberts. O primeiro começou com a irmã Ágata e Gabriel este, e certamente que haverá outro com a história de Helena e Antony.
Romances que nos fazem sonhar.
 
 
+1 #4 Catia Silva 2010-05-16 15:36
Simples, leve e doce. São as três palavras com que caracterizo esta obra. Por vezes, a vida não nos dá aquilo que nós queremos, mas aquilo que nós precisamos. Considero-a como uma boa leitura de fim de tarde. É uma leitura fácil e que apaixona qualquer um.
É uma obra que recomendo, sem reservas, a qualquer apreciador de leitura romântica.
 
 
#3 Tanea Lopes Costa 2010-04-04 23:24
Um livro leve e romântico que se lê muito bem.

As personagens são interessantes, com diferentes pontos de vista sobre a vida que viveram e querem viver e no fim tudo acaba bem.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Eça de Queiroz segundo Fradique Mendes
    Depois de ler várias obras de Sónia Louro, concluo que a sua escrita está cada vez melhor. Este livro ...
  • 14.01.2019 00:06
  • Cinco Meninos, Cinco Ratos
    Este livro é o segundo volume da série "Mitologias" e pouco mais poderei acrescentar à minha apreciação ...
  • 26.12.2018 21:37
  • O Judeu
    Bernardo Santareno é, sem dúvida, um dos maiores, se não o maior dramaturgo português do século XX. Era ...
  • 07.12.2018 13:53

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Vivemos de palavras. Vamos até à cova com palavras. Submetem-nos, subjugam-nos. Pesam toneladas, têm a espessura de montanhas. São as palavras que nos contêm, são as palavras que nos conduzem."
Raúl Brandão