Annabel

 

  


Autora:
Kathleen Winter
Edição: Jul/2012
Páginas: 384
ISBN: 9789726959946
Editora: Teorema

 

 

Em 1968, na paisagem belíssima de uma remota vila costeira canadiana, nasce um bebé: um bebé que não parece ser rapaz ou rapariga, mas sim ambos. Só três pessoas partilham este segredo: os pais – Jacinta e Treadway – e a parteira, uma vizinha chamada Thomasina. Apesar de Treadway ter tomado a difícil decisão de educar a criança como rapaz, baptizando-o de Wayne, as mulheres continuaram secretamente a desenvolver o seu lado feminino.

Com Wayne a entrar na idade adulta no seio de uma hipermachista comunidade de caçadores, “Annabel”, o seu outro eu, nunca desaparece por completo.
Relato emocional e atmosférico de um tempo e um lugar perdidos, Annabel fala-nos de uma busca pessoal que é, no seu âmago, uma jornada universal. Na sua determinação em descobrir-se e descobrir o mundo, Wayne / Annabel desafia uma cultura vigente que abomina contradições e incertezas.

 Este livro foi finalista do Orange Prize 2011.

Autor – Kathleen Winter

Autora:

Kathleen Winter nasceu em Inglaterra em 1960, mas cresceu no Canadá. Foi guionista da Rua Sésamo e colunista do The Telegram. Os seus contos foram já publicados nas mais importantes revistas literárias do Canadá e Reino Unido. A sua colectânea boYs, editada em 2007, venceu o Winterset Award e o Metcalf-Rooke Award. Vive actualmente em Montreal, no Canadá.

2 comentários
0 likes
Anterior: Zonas ÍntimasSeguinte: A Porta do Sol

Comentários

  • Vanessa Montês

    Dezembro 31, 2012 às 16:18
    Responder

    Sabem, aqueles livros que, ao lerem a sinopse, ficam cheios de sentimentos contraditórios? Foi isso que me aconteceu com este. A sinopse prometia um livro sobre a vida, um livro para nos fazer pensar... A capa para mim prometia outra coisa, um livro mais negro e sombrio... Mas a verdade? Este livro não está nem numa nem noutra categoria. Acho que posso afirmar que se encontra ali no meio, a baloiçar, de uma forma muito perspicaz.A acção passa-se numa pequena vila. Um local onde todos se conhecem uns aos outros, onde não existem segredos e onde o que acontece num […] Ler Mais...Sabem, aqueles livros que, ao lerem a sinopse, ficam cheios de sentimentos contraditórios? Foi isso que me aconteceu com este. A sinopse prometia um livro sobre a vida, um livro para nos fazer pensar... A capa para mim prometia outra coisa, um livro mais negro e sombrio... Mas a verdade? Este livro não está nem numa nem noutra categoria. Acho que posso afirmar que se encontra ali no meio, a baloiçar, de uma forma muito perspicaz.A acção passa-se numa pequena vila. Um local onde todos se conhecem uns aos outros, onde não existem segredos e onde o que acontece num dia, no seguinte já está a passar pela boca de todos. É nesta pequena aldeia que nasce uma criança diferente de tudo o que os habitantes alguma vez haviam visto. Uma criança que tanto tem características femininas como masculinas. Tendo percebido tal coisa de imediato, Thomasina pede às mulheres que ajudaram no parto um momento a sós com a mãe e conta-lhe o que viu, decidindo assim manter segredo de todos, inclusive o pai da criança. Mas este último era muito perspicaz e apercebe-se do que se passa, acabando por reagir deveras bem, embora decidindo que o filho era um rapaz e que o que se iria esconder eram as suas características femininas. A criança cresceu, sob o nome de Wayne, tomando diariamente diversos comprimidos que este julgava que eram para a sua saúde, embora, na realidade, fossem hormonas que o faziam parecer um autêntico rapaz, cheio de massa muscular e pronto a seguir o pai na sua actividade profissional, a caça.Mas a verdade é que Wayne sempre se soube diferentes dos outros rapazes. Enquanto estes gostavam de brigar e de jogar à bola, Wayne maravilhava-se com a simetria de tudo o que via e com a dança e a música. Enquanto os outros rapazes estavam cheios de vontade de seguir as pegadas dos pais e de saltarem para cima das raparigas, Wayne só queria que o pai o compreendesse e ver se nenhum dos rapazes percebia como o seu interesse por raparigas era pura amizade...Wayne era diferente e sabia-o, mas só após uma ida ao médico, devido a grandes dores na zona do estômago, Wayne descobre que apenas o seu exterior é masculino e, mesmo assim, grande parte dos efeitos eram devidos aos comprimidos, pois, sem eles, começavam a crescer-lhe pequenos seios e os músculos que constituíam o seu corpo de rapaz nunca teriam existido. Nessa consulta com o médico, descobre a verdade sobre o seu corpo de um maneira cruel, acabando por aumentar a medicação mesmo contra a sua vontade. A partir daqui, Wayne começa a sonhar com o seu próprio caminho, com a sua liberdade para ser quem quisesse e onde quisesse.Este é um livro muitíssimo bem escrito, que fala de algo que embora hoje possa ser minimamente resolvido, há uns anos era impossível. A partir de técnicas quase "ancestrais", os médicos decidiram qual o sexo que o bebé deveria ter, sem testes nem algo que se parecesse sequer com testes, acabando por ser a decisão errada, o que leva Wayne a viver uma vida de solidão e dúvida. Mas Wayne mostra-se inteligente e determinado, acabando por se decidir a sair da pequena aldeia, para um lugar onde as pessoas tivessem uma mente mais aberta, sendo assim possível transformar-se naquilo que sempre sentira ser realmente.Os problemas com a sociedade, com a própria família, com os amigos e conhecidos... são algo que Wayne tem que ultrapassar diariamente, sendo uma luta difícil e exaustiva, embora acabe por valer a pena.Foi um livro que me tocou mais do que esperava. Embora tenha achado o final mais fraquinho do que o resto do livro, a aventura de descoberta de Wayne foi algo que me inspirou e que gostei imenso de ler. Read Less

  • Sílvia

    Novembro 23, 2012 às 14:58
    Responder

    No início, gostei muito da história, das personagens e da forma como o enredo se desenrolava. Contudo, ao longo do livro, a história não progride, é sempre a mesma! Só há uma personagem que “cresce” e as restantes assumem/mantêm as características iniciais descritas pela autora. Na minha opinião, tudo acaba por ser demasiado previsível. Apesar da minha opinião, deve-se ter em conta que é um livro finalista do “Orange Price 2011”. Portanto, não deixa de ser um livro com qualidade.

Comentar

Siga-nos no Facebook
Facebook Pagelike Widget
Últimos Livros Comentados