Anoitecer

 

 

 

Autora: Karen Marie Moning
Edição: 2009
Série: Blood Fever (Vol. 1)
Páginas: 263
ISBN: 9789896661311
Editora: Contraponto

 

 
Quando a irmã de MacKayla foi assassinada, deixou uma única pista sobre a sua morte — uma mensagem enigmática no telemóvel de Mac. Numa viagem à Irlanda, em busca de respostas, Mac vê-se rapidamente perante um desafio ainda maior: manter-se viva tempo suficiente para dominar um poder que não fazia ideia possuir — um dom que lhe permite ver para lá do mundo do Homem, para o perigoso reino dos Fae…

Enquanto Mac mergulha cada vez mais fundo no mistério da morte da irmã, todos os seus movimentos são seguidos pelo sombrio e misterioso Jericho… enquanto, ao mesmo tempo, o implacável V’lane — um Fae-alfa que transforma o sexo num vício para as mulheres humanas — se aproxima dela. À medida que as fronteiras entre os dois mundos começam a desmoronar-se, a verdadeira missão de Mac torna-se clara: encontrar o misterioso Sinsar Dubh antes que mais alguém reclame o poderoso Livro Negro — pois quem conseguir chegar até ele primeiro terá nas mãos o controlo completo sobre ambos os mundos…

“O meu nome é MacKayla, Mac, para simplificar. Sou uma vidente de sidhe, uma das que vê os Fae, um facto que aceitei apenas há pouco tempo e com grande relutância. A minha filosofia é muito simples — qualquer dia em que ninguém tente matar-me é um dia bom, na minha maneira de ver. Não tenho tido muitos dias bons, ultimamente, desde que as paredes entre o Homem e os Fae se desmoronaram. Mas, na verdade, não existe um único vidente de sidhe vivo que tenha tido um dia bom desde então. “

Leia aqui um excerto do livro.

A série “Fever” conta já com 4 volumes, estando o quinto previsto para breve.

Entrevista a Karen Marie Moning:

O que a inspirou a lançar uma série nova? E que surpresas é que os fãs da série Fever poderão esperar?
 Inspiração é uma palavra simpática. Eu não tive escolha. Foi a ideia para uma história que veio e nunca mais se foi embora. Acho que aquilo que os fãs podem esperar desta história é que a Mac é uma heroína numa missão crítica, apanhada num perigoso triângulo amoroso com dois dos homens mais sedutores que alguma vez escrevi.

Se tivesse de fazer um casting da série Fever para a televisão, qual seria a actriz que escolheria para interpretar o papel de Mac? E porquê?
Essa é dificíl. Eu não vejo muita televisão e o que vejo é já depois de os DVDs terem saído, por isso estou um pouco ultrapassada. Mas se fosse obrigada a escolher eu diria que a Mac é em parte como a George, de Dead Like Me, em parte como a Sara Pezzini, de Witchblade, e em parte uma doce sulista que é forçada a descobrir que afinal não é nenhuma flor de estufa.

Escreve cenas sexy muito intensas. Escreve também enredos com um suspense arrebatador. Qual é a parte que considera mais desafiadora no desenvolvimento deste tipo de romances?
Eu acho ambos igualmente desafiadores. Os enredos dos cinco livros da série Fever têm de ser construídos em conjunto e as suas histórias têm de estar entrelaçadas, o que se torna uma tarefa gigantesca, saber o que revelar, o que não revelar, como e quando. As cenas sexy são muito íntimas e eu não me faço rogada nos detalhes, o que exige total imersão nas cenas e uma separação de mim própria enquando estou a escrever. Há cenas nesta série que são muito mais perturbadoras do que sexys e essas são as mais difíceis de escrever. Eu espero que se num momento estiver a contorcer-me a querer salvar a Mac, o leitor também estará.

Ficou surpreendida em algum momento durante a escrita de Bloodfever em que algo novo surgiu no processo criativo que não tinha antecipado em Darkfever, o primeiro volume da série?
Em Faefever, o terceiro livro da série, a Mac diz: «Às vezes os meus sonhos parecem tão reais que é difícil acreditar que são apenas um passeio no mapa do subconsciente, sem um verdadeiro norte. Às vezes Sonhar parece ser uma terra que existe de verdade algures, numa latitude e longitude concretas, com as suas próprias regras, leis, terrenos traiçoeiros e perigosos habitantes.»
Sinto o mesmo em relação ao mundo de Fever. É tão completo para mim, tão vivo e detalhado que eu fico a pensar que existe mesmo algures. Desde que a história veio até mim, tem havido algumas, muito poucas, surpresas.

Se pudesse estar num quarto com os seus heróis, os homens de quaisquer dos seus romances, não só da série Fever – quem gostaria mais de entrevistar? E porquê? E as mulheres?
Homens: o Rei Unseelie. Correm rumores de que ele tem um milhão de anos. Gostaria de saber se ele o lamenta.
Mulheres: a Rainha Aoibheal. Queria saber se ela realmente esqueceu ou está só a fingir.

Descreva a sua rotina durante a escrita da série Fever.
O local varia, mas o horário é sempre o mesmo. Eu escrevo melhor de manhã quando o meu subconsciente ainda está a fervilhar com as imagens e as metáforas dos meus sonhos. Eu escrevi o Darkfever na Georgia e o Bloodfever em Key West; todo aquele sol era um óptimo contraste com a escuridão da história. Eu começo cedo, normalmente por volta das 4:30h ou 5h e escrevo até às 11h da manhã, faço uma pausa de duas horas para o almoço e depois regresso à escrita a partir das 13h. Normalmente uso as tardes para editar um pouco e trabalhar noutros aspectos do meu negócio. Antes de ir para a cama, bloqueio as cenas que estava a planear escrever no dia seguinte para que o meu subconsciente possa remoer nelas enquanto durmo.

Quando não está a escrever, o que faz para se divertir? E que tipo de livros prefere ou quais são os seus autores favoritos?
 Ultimamente, tenho passado muito tempo deitada ao sol. Ainda estou em Key West e acho que a Mac contagiou-me, ou então é por causa de tanto Jimmy Buffet que passam na rádio aqui. Não costumo ser sedentária. Gosto de fazer exercício, caminhadas, andar de bicicleta, de patins, ir às compras com as minhas irmãs e viajar com o meu marido e o nosso gato, Moonshadow. Não tenho muito tempo para ler. Os livros que li recentemente foram os últimos do Dean Koontz, Stephen King, Charlaine Harris e um mais antigo do Dan Simmons.

Pode partilhar connosco um pouco daquilo que podemos esperar depois de Bloodfever?
 Está sempre mais escuro antes do amanhecer. Ainda não é o amanhecer.

Autor – Karen Marie Moning

Autora:

Karen Marie Moning nasceu em Cincinnati, Ohio, uma de quatro crianças. Graduou-se pela Universidade de Purdue com um Bacherlato em Lei e Sociedade. Depois de uma década a trabalhar no ramo da advocacia, ela deixou o seu trabalho para perseguir o sonho de ter uma carreira como escritora. Quatro manuscritos e inúmeros trabalhos em part-time mais tarde, O Beijo do Highlander foi publicado e nomeado para os prestigiados prémios RITA. As suas histórias já foram publicadas no The New York Times, USA Today e apareceram nas listas de bestseller do Publisher’s Weekly.

Saiba mais em www.karenmoning.com/kmm

11 comentários
0 likes
Anterior: O Highlander NegroSeguinte: O dia em que o meu bairro ficou de pantanas

Comentários

  • Vera Mouta

    Abril 22, 2011 às 10:58
    Responder

    Já tinha tido contacto com a escrita desta autora na série dos Highlanders e agora li o primeiro volume da série Fever. Gostei do livro, das personagens, da interacção entre a Mac e o Barrons. Sendo um primeiro livro de uma série, somos apresentados aos vários personagens do mundo Fae e como eles vivem, quem são os bons e os maus.Como não podia deixar de ser, o final do livro ainda deixa muita coisa em aberto para os próximos volumes.Só tenho pena de que ainda só tenha saído o 2º volume - Vingança – e que me pareça, pelos comentários […] Ler Mais...Já tinha tido contacto com a escrita desta autora na série dos Highlanders e agora li o primeiro volume da série Fever. Gostei do livro, das personagens, da interacção entre a Mac e o Barrons. Sendo um primeiro livro de uma série, somos apresentados aos vários personagens do mundo Fae e como eles vivem, quem são os bons e os maus.Como não podia deixar de ser, o final do livro ainda deixa muita coisa em aberto para os próximos volumes.Só tenho pena de que ainda só tenha saído o 2º volume - Vingança – e que me pareça, pelos comentários que tenho lido em diversos sites, que a editora não vai continuar a apostar nesta série. Read Less

  • Andreia Teixeira

    Setembro 8, 2010 às 17:01
    Responder

    Um livro ao meu jeitoAnoitecer, o primeiro livro da série Fever, é um livro cheio de mitologia, acção, mistério e suspense. Para quem gosta de mitologia e lendas celtas, este livro torna-se um mistério ainda maior.Tuatha Dé Danann é um dos povos primordiais, segundo as lendas, que habitaram a Irlanda, e é sobre estes seres míticos que a história ronda.Mac é uma personagem divertidíssima! Num dia não passa de uma empregada de um bar na Geórgia, EUA, no outro descobre que é uma vidente. E ela não vai descansar enquanto não descobrir quem matou a sua irmã. Quando conhece Barrons, […] Ler Mais...Um livro ao meu jeitoAnoitecer, o primeiro livro da série Fever, é um livro cheio de mitologia, acção, mistério e suspense. Para quem gosta de mitologia e lendas celtas, este livro torna-se um mistério ainda maior.Tuatha Dé Danann é um dos povos primordiais, segundo as lendas, que habitaram a Irlanda, e é sobre estes seres míticos que a história ronda.Mac é uma personagem divertidíssima! Num dia não passa de uma empregada de um bar na Geórgia, EUA, no outro descobre que é uma vidente. E ela não vai descansar enquanto não descobrir quem matou a sua irmã. Quando conhece Barrons, um homem elegante, de aparência intemporal, a sua vida, em muito pouco tempo, é virada do avesso. A história é recheada de acção. Conhecemos imensas personagens de carácter muito forte e todas elas procuram o Sinsar Dubh.Narrado na primeira pessoa, por Mac, a autora vai-nos dando pistas do que vai acontecer mais à frente. Vai-nos lançando enigmas que fazem com que a curiosidade cresça em nós e que seja difícil largar a leitura. Um ponto forte do livro é a relação entre Mac e Barrons. Ao contrário do que várias autoras nos têm habituado, com histórias escaldantes e sempre à flor da pele, aqui é bastante diferente. Barrons é uma personagem completamente misteriosa. Tanto parece bem disposto como de repente não passa de alguém autoritário e arrogante. Como tal, por nunca deixar a Mac penetrar bem no seu mundo, aguça-nos o apetite para ver se a relação vai evoluir.Seres que sugam a essência humana até deixar apenas uma carapaça, outros que provocam uma luxúria impossível de resistir só de estar na sua presença, outros que roubam a beleza das pessoas, são apenas alguns dos que conhecemos neste livro. Um bom início de série que deixa o final em aberto, pronto para o segundo volume. Uma boa leitura. Gostei. Read Less

  • Vanessa Montês

    Setembro 7, 2010 às 20:04
    Responder

    Já conhecia esta autora dos romances Highlander publicados pela Saída de Emergência e, quando vi que a Editora Contraponto iria publicar este livro, não resisti! Tinha que o ler! Desta autora estava habituada a histórias mais romanceadas, mas tenho que confessar que adorei esta outra "versão" da autora. Mac é uma rapariga normal. Gosta de se arranjar, de sair, de apanhar banhos de sol e nadar na piscina... A sua vida corria perfeitamente bem, sem nenhum contratempo, tirando o terrível azar de ter deixado o telemóvel cair na piscina. Mas tudo muda com uma chamada... A sua irmã mais velha […] Ler Mais...Já conhecia esta autora dos romances Highlander publicados pela Saída de Emergência e, quando vi que a Editora Contraponto iria publicar este livro, não resisti! Tinha que o ler! Desta autora estava habituada a histórias mais romanceadas, mas tenho que confessar que adorei esta outra "versão" da autora. Mac é uma rapariga normal. Gosta de se arranjar, de sair, de apanhar banhos de sol e nadar na piscina... A sua vida corria perfeitamente bem, sem nenhum contratempo, tirando o terrível azar de ter deixado o telemóvel cair na piscina. Mas tudo muda com uma chamada... A sua irmã mais velha foi morta! E por sinal de uma maneira nada bonita. A juntar a isso, visto os pais estarem de viagem, teve de ser ela a ir identificar o corpo da irmã. Um corpo que, embora ela percebesse que era da sua maninha mais velha, não se parecia em nada com ela, pela forma como fora atacada. Decidida, Mac viaja até à Irlanda, na esperança de descobrir o que aconteceu à irmã... Cansada, moribunda, com umas saudades enormes da irmã, a vida de Mac fica ainda mais complicada quando descobre que é uma vidente de sidhe, alguém que consegue ver os Fae, umas criatura sobrenaturais que se dividem na corte da luz (os Seelie) e na corte das trevas (os Unseelie). Estas duas cortes lutam uma contra a outra há séculos, desde que a rainha dos Seelie desapareceu e os Unseelie andam nas ruas a sugar de diversas formas vidas humanas.Com a ajuda de uma mensagem que a irmã lhe tinha enviado antes de morrer, Mac começa a procurar o Livro Negro Sinsar Dubh, mas cedo descobre que não é a única atrás dele. Avisada para o parar de procurar, pois este livro será a sua morte, Mac junta-se (embora não de livre vontade) a Jericho, um homem da noite e dono de uma livraria, que procura as relíquias dos Fae, especialmente o Livro Negro. Querendo inicialmente despachar Mac, ao descobrir o poder desta tenta mantê-la ao máximo perto de si, por muitos problemas que isso lhe cause.Adorei este livro! Um mundo fantástico e diferente de outros que já tenha lido. As personagens são bem exploradas e são deixadas umas pontas soltas prontas para serem faladas nos próximos volumes desta saga. Mac é uma rapariga lutadora. Com look de "barbie", é muitas vezes olhada de lado e a sua inteligência posta em causa, mas quando precisa de a usar, mostra que é mais do que se vê no exterior. Por outro lado, temos Jericho. É uma personagem que só começa a ser mais desenvolvida no final do livro, mas é alguém envolto em mistério e uma personagem que me chamou imenso a atenção e ainda estou para saber mais sobre ele.A autora, para não variar, surpreendeu-me pela positiva com a sua escrita fluída e articulada. Um livro excelente para os amantes do género fantástico urbano e espero ansiosamente para pôr as mãos no próximo livro que já saiu em português, "Vingança". Read Less

  • Catrina

    Janeiro 24, 2010 às 21:17
    Responder

    Uma Fantasia diferenteEste livro é bastante diferente, das fantasias que tenho lido.Dá-nos a conhecer o misterioso mundo das sombras.É interessante ver o desenvolvimento da relação entre Mac e Barrons, e a descoberta de Mac sobre os seus poderes.Fiquei curiosa em saber como se vai desenrolar esta relação, será que vai haver romance? E que figura mítica será Barrons? Mal posso esperar pelo próximo livro desta série.

  • Patrícia Cálão

    Dezembro 18, 2009 às 22:15
    Responder

    Estes são alguns excertos da opinião que escrevi no meu blog Chá da Meia Noite. Mas quero dizer já que aconselho a leitura deste livro! Gostei imenso!!Li este livro num só fôlego! A capa do livro atrai o leitor, a sinopse é cativante e deixa-nos com a pulga atrás da orelha... E o resto do livro? Fantástico. Intrigante. Misterioso. Viciante.É um virar de página consecutivo e compulsivo, onde encontramos personagens enigmáticas, monstros terríveis, criaturas encantadas, promessas de batalhas catastróficas, vampiros, clãs de mafiosos, druidas, sombras que sugam um ser humano sem dó nem piedade... E temos Mac, que descobre e […] Ler Mais...Estes são alguns excertos da opinião que escrevi no meu blog Chá da Meia Noite. Mas quero dizer já que aconselho a leitura deste livro! Gostei imenso!!Li este livro num só fôlego! A capa do livro atrai o leitor, a sinopse é cativante e deixa-nos com a pulga atrás da orelha... E o resto do livro? Fantástico. Intrigante. Misterioso. Viciante.É um virar de página consecutivo e compulsivo, onde encontramos personagens enigmáticas, monstros terríveis, criaturas encantadas, promessas de batalhas catastróficas, vampiros, clãs de mafiosos, druidas, sombras que sugam um ser humano sem dó nem piedade... E temos Mac, que descobre e aceita com toda relutância que é uma vidente de sidhe, uma das raríssimas humanas que consegue ver estes monstros e tem por missão destruí-los. Com a ajuda de Jericho Barrons, Mac aprende a lidar com a sua natureza e começa a sobreviver neste mundo de monstros camuflados de homens belos e magníficos aos olhos humanos. Aprende a defender-se, a lutar, a aceitar aquilo que é, e juntos empreendem na buscar do Livro Negro - Sinsar Dubh. O mais engraçado nestes dois é que parecem odiar-se...e daí os traços de humor neste livro marcados nas fanfarronices entre estes dois personagens e na própria relutância da Mac.O que é certo é que chegamos ao fim e nada é o que parece. Tudo no livro é um enigma e um mistério. Chegamos a um ponto em que não sabemos em quem confiar. E terminamos o livro com uma mão cheia de questões sem resposta. Por isso... estou desejosa que saia o próximo livro!!! Read Less

  • Lígia Teixeira

    Setembro 15, 2009 às 16:11
    Responder

    Posso começar já por dizer que este livro me surpreendeu pela positiva. Não sou grande fã de literatura paranormal, mas esta sinopse atraíu-me precisamente por envolver a parte de mistério e investigação da morte da irmã de Mac. Fiquei foi com receio de não conseguir entrar nesse universo surreal de seres estranhos, relíquias e livros das trevas vindos de outro mundo. Mas enganei-me e ainda bem. Apreciei muito esta leitura e como começamos logo a acompanhar Mac desde a altura em que não sabe nada e vai aprendendo, também nós vamos aprendendo e percebendo ao mesmo ritmo que ela. A […] Ler Mais...Posso começar já por dizer que este livro me surpreendeu pela positiva. Não sou grande fã de literatura paranormal, mas esta sinopse atraíu-me precisamente por envolver a parte de mistério e investigação da morte da irmã de Mac. Fiquei foi com receio de não conseguir entrar nesse universo surreal de seres estranhos, relíquias e livros das trevas vindos de outro mundo. Mas enganei-me e ainda bem. Apreciei muito esta leitura e como começamos logo a acompanhar Mac desde a altura em que não sabe nada e vai aprendendo, também nós vamos aprendendo e percebendo ao mesmo ritmo que ela. A escritora consegue colocar-nos habilmente dentro da cabeça de Mac.Gostei das personagens centrais, Mac, com o seu estilo completamente desenquadrado, que se vai encaixando e descobrindo a si mesma, e o misterioso Barrons, que tanto pode ser uma ajuda como um perigo, com o seu lado oculto. A química entre estes dois acaba por ser divertida e ao mesmo tempo tensa, numa mistura que nos mantém agarrados à leitura.A autora consegue também envolver-nos no universo sombrio do submundo de Dublin e, finalmente, para mim, a Irlanda deixou de ser apenas tão verdejante como surge nos livros de Nora Roberts :DUm livro com tensão, emoção, romance, humor, numa mistura muito bem conseguida. Resumindo, fui totalmente convencida por esta saga e agora quero maissssssss! Read Less

  • Patrícia Matos

    Agosto 28, 2009 às 16:25
    Responder

    Estou apaixonada por esta escritora."Anoitecer" é mais um livro muito bem escrito, que me viciou desde que Mac chega à Irlanda. Que imaginação!:-) Vivi todos os momentos que relatou tão intensamente. Mágico!Só posso acrescentar que: Adorei! (mais um de KMM). Estou com pena não poder ler logo o próximo, custa-me ter de esperar. Mas tenho de ver pela positiva: pelo menos sabemos a data do lançamento do próximo volume. :-)

  • Cláudia

    Agosto 24, 2009 às 0:12
    Responder

    Simplemente adorei...Ontem acabei Anoitecer... Quando cheguei ao fim fiquei em shock: Acabou??? Como acabou??? E o resto??? Ainda fiquei a pensar que me faltavam páginas. Mas é claro que não faltava... Agora fico em pulgas até ao próximo livro para saber mais um bocadito do desenrolar da história. Como já tinha dito, achei surreal a reacção da Mac cada vez que via o V'Lane, fartei-me de rir... Mas gostava que ela e o Jericho tivessem alguma coisita... Era giro, até porque acho que há um "clima" entre eles... Agora, que venha o próximo... E depressa...

  • Ana

    Agosto 23, 2009 às 9:40
    Responder

    Gostei bastante, adoro a Mac e os seus pensamentos, adoro aquela picardia entre ela e o Jericho. Confesso que contava com um pouco mais de romance entre eles, mas nos próximos talvez. O Jericho é daquelas personagens que acho que no fundo nos vão surpreender pela positiva, espero eu.É uma vertente diferente da autora mas gostei bastante. Já gostava da série Highlander mas nesta a autora também dá provas que é mesmo uma escritora multifacetada.

  • Maria João

    Agosto 18, 2009 às 13:41
    Responder

    Gostei bastante mas fiquei muito danada quando compreendi que lá vinha mais uma saga, bolas e ainda por cima deve demorar imenso tempo para sair.Já tinha gostado desta autora com a saga Highlander e agora fiquei a adorar. Era mesmo aquilo que eu queria ler, um livro com sobrenatural à mistura mas sem que se torne muito chato. Continuo muito intrigada quanto ao Barrows.Qual será o seu objectivo e de que lado afinal é que ele está. Espero ansiosamente pelo próximo volume.

  • Fátima Rodrigues

    Agosto 5, 2009 às 1:19
    Responder

    Fantástico! Adorei! Mal posso esperar pela continuação!Este livro é completamente diferente dos livros de fantasia que têm saído. Mistura vampiros com seres de outro mundo, com uma espécie de bruxas e bruxos, enfim, tem imensa imaginação e está bem escrito, tão bem escrito que por vezes quase nos assusta.A Mac consegue ver estes seres que se "mascaram" de belissimos homens humanos e que se dedicam a matar e estropiar pessoas. Há-os para todos os gostos, sugadores de beleza, assimiladores de corpos, até os que matam pelo sexo. Para além dos ver, como acontece com todos os videntes, ela consegue detectar […] Ler Mais...Fantástico! Adorei! Mal posso esperar pela continuação!Este livro é completamente diferente dos livros de fantasia que têm saído. Mistura vampiros com seres de outro mundo, com uma espécie de bruxas e bruxos, enfim, tem imensa imaginação e está bem escrito, tão bem escrito que por vezes quase nos assusta.A Mac consegue ver estes seres que se "mascaram" de belissimos homens humanos e que se dedicam a matar e estropiar pessoas. Há-os para todos os gostos, sugadores de beleza, assimiladores de corpos, até os que matam pelo sexo. Para além dos ver, como acontece com todos os videntes, ela consegue detectar reliquias dos Fae, os tais seres de outro mundo, o que a irá ajudar na busca do livro que pode salvar os humanos, mas também consegue imobilizá-los temporariamente, o que lhe dará um grande jeito!Mac vive na Geórgia mas muda-se para Dublin quando a irmã, que aí estava como estudante de intercâmbio, aparece morta. É então que a acção começa! Pouco depois surge Barrons, um outro vidente que a ajudará e que deixa muitas dúvidas no final do livro. Este vidente é lindo e extremamente forte e rico e parece que sabe de tudo o que acontece na sua cidade.Também conheceremos V’lane, um princípe dos Seelie, a casta dos "teoricamente" bons "aliens". Este vicia sexualmente qualquer humana com que se envolva e só de estar perto de uma que o consiga ver, esta fica louca, tornando-se quase impossível resistir-lhe. Digamos que a Mac vai ter muito que fazer com ele e, pelo que fica no ar, muito mais haverános próximos livros da saga! Quem é verdadeiramente o V’lane e o que pretende? Pois, não sei, mas quero saber!Este livro está muito giro e mesmo muito original. Para todos os que gostam de fantasia, de dar umas boas gargalhadas e de um livro que nos prende terrivelmente, este é um livro a não perder!E agora espero que a Contraponto não demore muito tempo a editar o volume seguinte ou morro de curiosidade! Read Less

Comentar

Siga-nos no Facebook
Facebook Pagelike Widget
Últimos Livros Comentados
Tópicos recentes