As Horas Distantes

FaceBook  Twitter  

 

 

Autora: Kate Morton
Edição: Fev/2012
Páginas: 528
ISBN: 9789720043559
Editora: Porto Editora

 

 

 


Tudo começa quando uma carta, perdida há mais de meio século, chega finalmente ao seu destino...
Evacuada de Londres, no início da II Guerra Mundial, a jovem Meredith Burchill é acolhida pela família Blythe no majestoso Castelo de Milderhurst. Aí, descobre o prazer dos livros e da fantasia, mas também os seus perigos.
Cinquenta anos depois, Edie procura decifrar os enigmas que envolvem a juventude da sua mãe e a sua relação com as excêntricas irmãs Blythe, que permaneceram no castelo desde então.

Há muito isoladas do mundo, elas sofrem as consequências de terríveis acontecimentos que modificaram os seus destinos para sempre.
No interior do decadente castelo, Edie começa a deslindar o passado de Meredith. Mas há outros segredos escondidos nas paredes do edifício. A verdade do que realmente aconteceu nas horas distantes do Castelo de Milderhurst irá por fim ser revelada...

Desta autora no Segredo dos Livros:
O Segredo da Casa Riverton
O Jardim dos Segredos

Autora:

Kate Morton, a mais velha de três irmãs, cresceu nas montanhas do Nordeste da Austrália, em Queensland. Formou-se em Arte Dramática e Literatura Inglesa e está a fazer doutoramento na Universidade de Queensland. Vive entre Londres e Brisbane com a família.
É uma das autoras mais reconhecidas mundialmente: todos os seus romances alcançaram as listas de livros mais vendidos, estão publicados em 38 países e já venderam mais de 8 milhões de exemplares.

Saiba mais em www.katemorton.com ou visite a página da autora no Facebook.

Comentários  

 
#8 sílvia 2012-10-24 18:29
Depois de ler tantos comentários positivos acerca deste livro, fiquei curiosa para o ler também!

Acredito que seja um livro viciante e muito bem estruturado, as personagens são realmente muito bem desenvolvidas, mas foi a custo que o li.

Achei a narrativa ora maçuda, ora cativante, mas não foi muito fácil acabá-lo. No último capítulo, saltei até umas palavras, pois já estava a ficar mesmo desiludida.

Acredito que, para quem goste deste género de leitura, seja um bom livro. No entanto, não consegui gostar da história.
 
 
#7 Rute 2012-07-08 11:56
Esta foi a minha estreia com a autora e tenho a dizer que fiquei fã!
Edie fica super intrigada com uma carta que a mãe recebe, 50 anos após ter sido remetida. Qual será o segredo que liga a sua mãe ao remetente?

Adorei a escrita de Kate, pois é rica e bem estruturada, interligando maravilhosament e os saltos no tempo, bem como o ponto de vista das personagens.
Com personagens cativantes e misteriosas este livro proporcionou-me magníficas horas de leitura.
Recomendo a todos os que apreciam livros um pouco históricos e misteriosos. Aventure-se neste enredo mágico!
 
 
#6 Sandra Nunes 2012-06-29 21:37
Mais uma vez, Morton não desilude, presenteando o leitor com um enredo complexo e intenso que aborda, de uma forma muito peculiar, valores como família, lealdade e sacrifício pelo outro, relembrando-nos como pequenas decisões e escolhas podem condicionar toda uma vida.
De uma forma sucinta, os pontos positivos do livro foram as referências à Verdadeira história do Homem de Lama, a harmonia com que a autora conduz o leitor numa viagem entre o passado e o futuro e o final surpreendente. O único aspeto menos positivo, a meu ver, foi o ritmo lento que caracterizou algumas passagens do livro, tornando-o um pouco insípido. Contudo, a autora soube contornar o problema, ao surpreender o leitor com várias reviravoltas e pormenores curiosos que vão reavivando o interesse pela leitura. Não me motivou uma leitura compulsiva, mas vi-me a voltar a ele religiosamente todos os dias e, por um par de horas, perder-me completamente nas suas linhas. Não é aquele tipo de livro que se lê de enfiada e, após quatro horas, pensa-se: puff, lá se foram 18 euros. É daquele tipo que vamos degustando por vários dias. Vale a pena o investimento.
 
 
+1 #5 Clarinda Cortes 2012-06-01 21:40
Com uma forma muito própria de contar histórias e com uma linguagem muito rica e bem estruturada, Kate Morton aposta na alternância passado/present e da narrativa, para nos prender do princípio ao fim do livro. Houve uma altura em que “arrefeceu” um pouco a narrativa, mas, com a continuação da leitura, apercebemo-nos de que essa parte da história é importantíssima para a sua compreensão. O enredo bem construído leva-nos a uma leitura intensa, cheia de mistérios de morte e amor, perdidos nas horas distantes do passado, mas muito presentes na vida atual das personagens. Ao longo da narrativa, passa-nos tudo pela cabeça, os nossos sentimentos vão do carinho e compaixão pelas velhas irmãs, até à revolta relativa à possibilidade de serem criminosas. As escolhas de vida das anciãs e as ligações entre todas as personagens são de tal forma complexas, que me questiono se noutro momento ou circunstância seriam possíveis!

Depois… depois vem o final, tão imprevisto que nem sei explicar. Não estava nada à espera disso, mas, após refletir sobre ele, afigurou-se-me realmente adequado. A narrativa de Kate Morton é decididamente espetacular. Vivi dias dentro daquele castelo, percorrendo aqueles espaços, como se lá tivesse estado, como se estivesse ao lado das personagens. Adoro quando um livro me transporta para dentro dele, adoro quando um livro mexe com os meus sentimentos, adoro quando me inquieta e me surpreende, e este foi o caso.

É o terceiro livro que li desta autora e não me dececionei nada mesmo. A autora dá muita importância à sabedoria dos idosos e aos mistérios que “escondem” durante as suas vidas. Os seus livros têm como base histórias “perdidas/escon didas” no tempo e a forma como lhes dá a volta e as traz até nós, é magnífica.

Uma escritora para seguir!
 
 
#4 Joana Cardoso 2012-05-18 20:32
As Horas Distantes foi o primeiro livro que li da autora Kate Morton e tenho a dizer que fiquei rendida.

Adorei a escrita da autora, conseguiu cativar-me completamente. Além disso, a sua maneira de contar uma história é excelente. Consegue interligar perfeitamente os pontos de vista das diferentes personagens e os saltos no tempo.

As personagens que nos são dadas a conhecer, são completamente cativantes e bastante diferentes entre si, principalmente as irmãs Blythe. Adorei ir descortinando o passado aos poucos e o final foi, simplesmente, surpreendente. No entanto é um livro para se ir lendo, porque é também um pouco mais "pesado" e elaborado.

A única coisa que me desagradou um pouco foi o facto de, às vezes, sentir que a história não andava, o que me deixava impaciente, pois queria descobrir o que aí vinha.

É, sem dúvida, um livro que recomendo.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Deixem Passar o Homem Invisível
    Dez anos depois de ter vencido o Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLB 2009, regressa em nova ...
  • 25.03.2020 23:36
  • O Caçador de Brinquedos
    Se gosta de ficção científica, não deixe de ler este livro! João Barreiros é considerado um dos ...
  • 12.03.2020 16:59
  • A Morte do Papa
    Depois de ter lido todos os livros anteriores de Nuno Nepomuceno, este foi o primeiro em que tive ...
  • 24.02.2020 00:22

Últimos Tópicos

    • Frecha
    • - Frecha, toda a magia tem um preço, sabes disso. Tens a certeza que queres...
    • há 6 dias 18 horas
    • Espaço para livros
    • Uma maneira simples e barata é embrulhá-los em rolo autoaderente, daquele que...
    • há 2 meses 4 dias
    • Melhores Livros De Romance
    • Obrigado pela partilha! Diversos desses livros têm nomes diferentes na edição...
    • há 2 meses 5 dias

Uma Pequena Palavra...

“E desde então decidi que a POESIA é a forma mais curta, mais doce, mais explosiva. Para que escrever um romance se é possível dizer o mesmo em dez linhas?”
Charles Bukowski