As Índias Espirituais - Fernando Pessoa e o Orientalismo Português

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: Duarte Drumond Braga
Género: Ensaios
Edição: Fev/2019
Páginas: 330
ISBN: 9789896714741
Editora: Tinta da China

 

 

Uma análise inédita ao contributo poético de Fernando Pessoa na construção de orientes simbólicos que abrem novos caminhos ao orientalismo português.
«Opiário» não foi apenas o poema que inaugurou, em 1915, nas páginas da Orpheu, a voz de Álvaro de Campos. Foi o poema que atribuiu a Campos, dentro da encenação heteronímica, a missão de ir ao Oriente para com ele se desiludir e o transformar numa «realidade interior».

Num panorama em que o orientalismo português continua pouco estudado no campo literário, as «Índias espirituais» referidas por Fernando Pessoa apresentam-se neste livro como uma nova viagem de descoberta, agora mais estética do que geográfica, mais poética do que concreta, a esse «Oriente ao oriente do Oriente» do famoso verso, que se assume enquanto símbolo de um horizonte comum de referências.

Autor:

Duarte Drumond Braga (Lisboa, 1981), termina o seu doutoramento em Estudos Comparatistas na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde também atuou como docente. É investigador do Centro de Estudos Comparatistas e tem trabalhado sobre orientalismo nas literaturas de língua portuguesa, sobretudo na poesia. Co-organizou o volume Buda e o Budismo no Ocidente e na Cultura Portuguesa (2007). Tem poesia dispersa por algumas revistas em papel e em linha.

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • O Último Cabalista de Lisboa
    Consegui, finalmente, ler este livro que foi o primeiro romance de Richard Zimler. Publicado em 1996 ...
  • 07.04.2019 23:56
  • A Última Ceia
    Islamismo, Judaísmo, Cristianismo... O que se segue? Depois da trilogia "O Espião Português", Nuno ...
  • 03.03.2019 20:18
  • Seja Feita a Tua Vontade
    Seja feita a tua vontade é um romance, mas, ao mesmo tempo, uma reflexão sobre a nossa sociedade atual ...
  • 21.02.2019 18:05

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"É fácil que prefiras não escrever, mas sabes quantos olhos estão à espera que continues? É tarde para esses escrúpulos."
José Luís Peixoto, in Em Teu ventre