As Revelações do Livro do Apocalipse

FaceBook  Twitter  

 

 

 

Autor: Haziel
Edição: Fev/2011
Páginas: 224
Editora: Nascente

 

 

 

O Livro do Apocalipse é o mais detalhado e relevante de todos os escritos proféticos. Este famoso texto resume e explica o processo cósmico que indica a chegada de um Tempo Novo, ensinando-nos os passos necessários para alcançar o Novo Paraíso.

"Não são os conhecimentos que tiramos dos livros que nos permitem avançar no caminho da vida, mas sim as transformações que se produzem na nossa personalidade, nos nossos comportamentos, na nossa Vida. O Livro do Apocalipse revela-nos o meio para ultrapassar os obstáculos e as provações do nosso itinerário humano, com o intuito de que em nós floresça o Novo Paraíso, para lá podermos entrar e viver uma vida de plenitude e de Felicidade."
Haziel, internacionalmente conhecido como a maior autoridade em Angelologia e Cabala, interpretou o Livro do Apocalipse à luz dos ensinamentos cabalísticos. A sua leitura apresenta em termos claros, pela primeira vez, a verdadeira mensagem deste texto místico, desta forma, o leitor encontrará neste livro uma espécie de elixir da vida feliz.

Autor:

Haziel, pseudónimo cabalístico usado pelo autor F. Bernad-Termés, é a maior autoridade mundial em temas relacionados com Anjos e a Cabala.
Nascido na Catalunha, no seio de uma família dedicada ao estudo da Cabala, Haziel foi oficial da marinha mercante e professor até que resolveu dedicar-se por completo ao aprofundamento do estudo esotérico, particularmente aos Anjos-da-Guarda e à Cabala.
As suas obras, originalmente em francês, contêm as reflexões e o seu saber na matéria da Cabala, Astrologia e Angelologia e estão publicadas em vários países.

Comentários  

 
#2 Sebastião Barata 2011-04-26 15:06
Confesso que não li o livro todo. Li atentamente diversas partes, mas passei os olhos por cima do restante. Deu, no entanto, para compreender o livro e o seu propósito.
Esta obra reproduz todo o livro do Apocalipse e faz a sua interpretação, à luz das ciências esotéricas, nomeadamente a Cabala, a Mitologia Greco-romana, o Tarot, a Astrologia, a Angelologia, a Maçonaria, Rosacruz e outras sociedades iniciáticas. Cada capítulo do livro corresponde ao capítulo do livro profético com o mesmo número e os versículos são reproduzidos por ordem cronológica, individualmente , ou por grupos temáticos, seguidos da sua explicação.
Como já disse, este livro exige do leitor, para além de algum conhecimento da Bíblia, um entrosamento com as doutrinas citadas, caso contrário, a maior parte da mensagem passa-lhe ao lado.
O autor procura tornar a mensagem o mais inteligível possível para os não iniciados, recorrendo, frequentemente, a exemplos da nossa vida física, actual; mas vai avisando que não passam de imagens muito vagas daquilo que pretendem significar.
Talvez seja um livro excelente para quem está por dentro das vias iniciáticas invocadas, o que não é o meu caso.
 
 
+1 #1 Susana 2011-04-02 23:03
Um livro bastante curioso e interessante, mas que implica algum conhecimento da Bíblia, mais precisamente do último livro Apocalipse e da Cabala Judaica. Uma leitura que exige concentração e análise cuidadosa, devido à utilização de uma linguagem nada simples.
Basicamente, diz-nos que, para atingir a verdadeira felicidade (O reino dos Céus), temos que mudar a nossa forma de viver e pensar. Afinal, este existe dentro de nós.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • A que Sabe o Amor
    Livro de receitas muito peculiar. Com títulos verdadeiramente convidativos ao amor e subtítulos ...
  • 28.08.2014 19:56
  • Proposta Indecente
    Já li alguns livros da Patricia Cabot e não me encantaram de forma alguma. Resolvi insistir e, para mim ...
  • 28.08.2014 15:06
  • Divina
    Digam o que disserem desta autora, eu gosto muito dos livros dela e, depois dos livros que li ...
  • 27.08.2014 07:08

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

“Receio dizer que não gosto do trabalho de Paulo Coelho. Também não gosto de 'O Código Da Vinci', mas parece que o livro vende muito bem. Ou tenho mau gosto ou as outras pessoas têm. Há livros facilmente consumíveis e que dão um conforto simples às pessoas. Não é o meu negócio.”
Salman Rushdie