Asas Sobre a América - Wings Over America

FaceBook  Twitter  

 

 

Coordenação: Filipa Melo
Edição: Dez/2011
Páginas: 215
ISBN: 9789724047201
Editora: Almedina

 

 

 
Este livro é o resultado do ciclo de conferências “Asas sobre a América”, programa realizado ao longo do ano de 2008 pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento. Trata-se de um documento importante sobre a relação entre a literatura portuguesa e a literatura norte-americana e um testemunho singular do vigor criativo e crítico de alguns dos maiores escritores portugueses contemporâneos.
Com introdução de Eduardo Lourenço, encontramos como autores convidados Ana Luísa Amaral, Francisco José Viegas, Gonçalo M. Tavares, Inês Pedrosa, Lídia Jorge, Manuel António Pina, Pedro Mexia e Rui Zink representando várias gerações e expressões distintas da prosa e da poesia contemporâneas.

São todos autores de reconhecida qualidade, com diferentes estilos e sensibilidades e cada um deles apresenta, de forma muito própria, o universo do seu autor americano de eleição, proporcionando um retrato importante sobre a história da literatura nos EUA.
Os autores analisados são nomes incontornáveis, como Philip Roth, Carson McCullers, William Faulkner, Flannery O’Connor, Emily Dickinson, Saul Bellow, Ezra Pound e Raymond Chandler. A relação entre Fernando Pessoa e Walt Whitman encontra-se aqui brilhantemente analisada por Richard Zenith, tradutor e ensaísta norte-americano e importante investigador pessoano, há vários anos a residir em Portugal.

 Coordenadora:

Autora:

Filipa Melo nasceu em abril de 1972 na cidade de Silva Porto (actual Cuito), em Angola. É jornalista, editora e autora em diversos projetos na imprensa e na televisão. Orientou a mais antiga comunidade de leitores portuguesa durante nove anos. O seu primeiro romance, Este É o Meu Corpo, lançado em 2001, foi publicado em dez países. Os seus contos podem ser lidos em diversas antologias nacionais e internacionais (a última delas, Granta Portugal nº7/Junho 2016). Em 2012, coordenou a antologia Asas sobre a América (Almedina) e, em 2016, publicou o livro de reportagem Os Últimos Marinheiros (FMSS). Atualmente, assina crítica literária nos jornais Sol e «i» e na revista Ler e ensina escrita criativa (a partir da história da literatura).

Consulte o seu blogue www.coracaoduplo.blogspot.pt

Comentários  

 
#1 Sebastião Barata 2011-12-26 23:53
Estamos em presença de um livro muito interessante, tanto para os estudiosos de literatura americana e literatura comparada, como para o público em geral.
Na verdade, qualquer leitor que se preze deve, para além de se deleitar com os livros que escolhe para ler, procurar saber um pouco mais sobre o que está por detrás do livro. E o mais importante desse "um pouco mais" é, sem dúvida, o autor: a sua biografia, convicções políticas, religiosas e ideológicas; o meio em que vive (ou viveu) e as influências que o marcaram; as opiniões e críticas de que a sua obra tem sido alvo; os prémios que auferiu.
Vêm estas observações a propósito deste livro. Aqui são feitas considerações muito interessantes sobre alguns dos autores mais conceituados da literatura americana. E o mais importante é que são feitas por alguns dos autores portugueses mais lidos e apreciados, alguns deles tradutores para a nossa língua de obras dos autores americanos sobre os quais dissertam. É, na verdade, uma obra com muito interesse para bibliófilos, para além de ser o memorial de uma série de conferências que seria uma pena caírem no esquecimento.
Apesar de não ser muito amante de poesia, também gostei de ler o que é dito sobre poetas que conhecia quase só de nome. No que toca aos romancistas, nem vale a pena falar: fiquei ainda com mais vontade de ler as obras que ainda não li de Philip Roth, William Faulkner e Saul Bellow, para além do mago da literatura policial Raymond Chandler. Não gostaria de destacar ninguém, mas não posso deixar de salientar o prazer que deu ler os textos de Gonçalo M. Tavares e Francisco José Viegas, para não falar de Rui Zink que, de uma forma bem disposta, como é seu timbre, nos disse coisas belas sobre o seu autor de eleição.
Se algo tiver de salientar de menos positivo, é o texto de Ana Luísa Amaral sobre Emily Dickinson. Refiro-me à sua extensão e demasiado academismo, o que o torna um pouco fastidioso para o leitor comum. No entanto, adorei ficar a conhecer a vida e a obra desta poeta que, pelo que li, me pareceu ter muito em comum com a nossa Florbela Espanca.
Outro aspecto que não quero deixar de salientar é a conferência inicial de Eduardo Lourenço que ajuda o leitor menos erudito a conhecer a génese da literatura americana e a situar-se na importância que ela adquiriu, aliás de uma forma paralela a outros contributos que o Novo Mundo tem prestado ao Velho Mundo que lhe deu origem.

Cabe aqui referir o cuidado que o Segredo dos Livros tem, ao incluir sempre algo sobre o autor, nos livros que publicita.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Crash
    Depois de ter lido "Arranha-Céus" de J. G. Ballard, um romance que me deixou a pensar seriamente nos ...
  • 10.07.2019 22:32
  • Amantes de Buenos Aires
    Amantes de Buenos Aires, o novo romance de Alberto S. Santos, baseia-se numa história real e segue a ...
  • 08.07.2019 16:24
  • 25 de Abril, Corte e Costura
    Este livro é exatamente o que eu esperava dele: uma sucessão de quadros em que se ridiculariza a ...
  • 28.04.2019 21:03

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Começada um dia a leitura, impõe-se levá-la até ao fim. Assim me educaram e nessa pertinência me reconheço. Propus-me um livro? Há que lê-lo!"
Mário de Carvalho in Um deus passeando pela brisa da tarde