Bala Santa

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: Luís Miguel Rocha
Género: Romance
Edição: Out/2017
Páginas: 456
ISBN: 9789720030252
Editora: Porto Editora

 

 


Que acontecimentos estiveram por detrás da tentativa de assassinato do Papa na praça do Vaticano em 1981? Quem é, e o que sabia verdadeiramente Ali Agca, o turco que disparou contra João Paulo II? Que forças ocultas gerem os destinos da igreja católica e conseguem nomear e destronar Papas, ocultando impunemente as suas acções?

Uma jornalista internacional, um ex-militar português, um muçulmano que vê a Virgem Maria, um padre muito pouco ortodoxo que trabalha directamente sob as ordens do sumo-pontífice, vários agentes dos serviços secretos mais influentes do mundo e muitos outros personagens dos quatro cantos do globo, envolvem-se numa busca pela verdade e descobrem que ela nem sempre é útil. Pelo menos não o foi para João Paulo II.

Deste autor no Segredo dos Livros:
Curiosidades do Vaticano
A Filha do Papa
A Mentira Sagrada

Autor:

Luís Miguel Rocha nasceu na cidade do Porto, em 1976. Foi técnico de imagem, tradutor, editor e guionista, até se dedicar em exclusivo à escrita. Publicou seis títulos: Um País Encantado, O Último Papa, Bala Santa, A Virgem, A Mentira Sagrada e A Filha do Papa. A título póstumo foi publicada a sua obra de não ficção Curiosidades do Vaticano. As suas obras estão traduzidas em mais de 30 países. O Último Papa marcou presença no top do The New York Times e vendeu meio milhão de exemplares em todo o mundo. Luís Miguel Rocha morreu a 26 de março de 2015, em Viana do Castelo.

Comentários  

 
#1 Sebastião Barata 2017-11-24 17:01
A nova edição foi o pretexto para, finalmente, conseguir arranjar tempo para ler este livro do saudoso Luís Miguel Rocha, há muito tempo na minha estante.

Antes de mais, faço notar que, apesar dos anos passados, de irmos no 2º Papa depois de João Paulo II e do Papa Francisco ter tido a coragem de afrontar diversas Instituições e pessoas que detinham o verdadeiro poder no Vaticano, este livro continua a ser muito atual. Muito do que nele se conta está ultrapassado pelos acontecimentos posteriores a 2007 (ano em que foi publicado), mas a Igreja Católica continua a precisar de mais reformas, continua a haver setores agarrados ao passado e a haver muitos adversários das reformas introduzidas pelo Concílio Vaticano II, pelo que a sua leitura se impõe.

Por outro lado, há outro aspeto que não se desatualiza: a sua qualidade literária. É um thriller cheio de movimento e ação que prende o leitor do início ao fim. As suas personagens ficcionadas estão bem construídas, os cenários e as pessoas reais são bem reproduzidos.

Só dois aspetos dificultaram (mas não exageradamente) a minha leitura deste livro. O primeiro é não ter lido previamente o livro "O Último Papa", cuja ação se passa um ano antes deste. São duas histórias independentes, uma sobre a morte misteriosa do Papa João Paulo I e a outra sobre o atentado à vida de João Paulo II, mas diversos intervenientes são os de "Bala Santa" e confrontam-se aqui novamente, por vezes em novos e inesperados lugares da barricada, pois, no que toca à Igreja Católica, quase sempre nada é o que parece. Por isso, aconselho a leitura prévia de "O Último Papa".

O segundo aspeto que dificulta a leitura e exige uma maior concentração é a grande diversidade de cenários. A ação passa-se nos mais variados lugares, desde Itália (Roma, Vaticano), a Inglaterra, Estados Unidos (Washington, Chicago), Portugal (Fátima, Alentejo, Lisboa), Turquia, Israel, Arménia, Espanha, Holanda, Rússia e talvez outros que agora não recordo. Diversas personagens movimentam-se em diversos desses cenários, pelo que o leitor não se pode queixar de falta de variedade, movimento, ação e aventura.

Além disso, cruzam-se quase todas as mais conhecidas polícias de informações do mundo (CIA, FBI, NSA, MI6, SVR, SIS, ...) , e organismos mais ou menos secretos ou, no mínimo, com funções ambíguas, como a Opus Dei, o IOS, o P2, etc. e nunca se sabe quem é agente de quem ou agente duplo.

Enfim, motivos para agarrar este livro e só parar no fim não faltam...
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Limões na Madrugada
    Carla M. Soares fez uma pausa nos romances históricos (que espero não passe de uma breve pausa) para ...
  • 02.12.2017 13:57
  • Ramalho Eanes: O Último General
    Para comentar este livro, tenho de distinguir o tema e a fidelidade à realidade histórica, da forma como ...
  • 28.11.2017 22:57
  • Bala Santa
    A nova edição foi o pretexto para, finalmente, conseguir arranjar tempo para ler este livro do saudoso ...
  • 24.11.2017 17:01

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Para um autêntico escritor, cada livro deverá ser um novo começo com o qual tenta algo que está além do seu alcance."
Ernest Hemingway