Breakfast at Tiffany’s (Boneca de Luxo)


Autor:
Truman Capote
Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 120
Editor: Dom Quixote
Colecção: Ficção Universal

Holly Golighly é mais do que uma boneca de luxo. Deslumbrante, espirituosa e ternamente vulnerável, inquietando as vidas dos que com ela se cruzam, é retratada por Truman Capote em Breakfast at Tiffany’s (Boneca de Luxo), um romance tocante e singelo sobre a amizade, que constitui uma autêntica história de sedução.

Verdadeiro clássico da literatura americana contemporânea, nele se inspirou Blake Edwards para o filme homónimo protagonizado por Audrey Hepburn.

Sobre o autor:

Escritor norte-americano nascido em 1924, em Nova Orleães, e falecido em 1984. Oriundo de uma família de origem espanhola, viveu no Alabama e concluiu os seus estudos médios em Nova Iorque. Após ter iniciado colaboração em revistas, publicou o seu primeiro romance, Other Voices, Other Rooms, em 1948.
Membro do Instituto Nacional das Artes e Letras, recebeu diversas distinções, entre as quais o Prémio Memorial O. Henry de 1946, 1948 e 1951, e o Prémio de Escrita Criativa do Instituto Nacional de Artes e Letras, em 1959.
Publicou uma vasta obra, destacando-se Local Color (ensaio, 1950), The Grass Harp (romance, 1951), Breakfast at Tiffany’s (contos, 1958) e Then It All Came Down (romance, 1976). Sobre o seu romance publicado em 1964, In Cold Blood (A Sangue Frio), Bennett Miller realizou Capote, um filme que valeu a Philip Seymour Hoffman, actor que vestiu a pele do escritor, vários prémios, nomeadamente o Óscar de Melhor Actor Principal.

2 comentários
0 likes
Anterior: BelovedSeguinte: Ser Bom Não Chega

Comentários

  • Alexandra Silva

    Agosto 23, 2009 às 16:51
    Responder

    Terminei de ler “Breakfast at Tiffany’s” À algum tempo mas só agora pude fazer JE. Agora entendo por que este filme fez tanto furor, tendo em conta a época em que se desenvolve.Truman Capote consegue retratar de forma detalhada, uma época conturbada por excessos e devaneios, tão característicos dos tempos de guerra.O narrador, um dos amigos mais próximos da personagem principal, retrata-a de diversas formas. A narração funciona como um regresso ao passado, recordando os inúmeros episódios, que fortaleceram a amizade entre o narrador e a personagem principal.Holly é descrita com: uma mulher elegante, extrovertida sem qualquer traço que caracterize […] Ler Mais...Terminei de ler “Breakfast at Tiffany’s” À algum tempo mas só agora pude fazer JE. Agora entendo por que este filme fez tanto furor, tendo em conta a época em que se desenvolve.Truman Capote consegue retratar de forma detalhada, uma época conturbada por excessos e devaneios, tão característicos dos tempos de guerra.O narrador, um dos amigos mais próximos da personagem principal, retrata-a de diversas formas. A narração funciona como um regresso ao passado, recordando os inúmeros episódios, que fortaleceram a amizade entre o narrador e a personagem principal.Holly é descrita com: uma mulher elegante, extrovertida sem qualquer traço que caracterize o seu passado. Ninguém sabe a sua origem, nem o seu futuro, pois a mesma vive para a aparência do dia seguinte. É um livro diferente dos habituais, que recomendo vivamente. Read Less

  • Sandra

    Julho 24, 2009 às 19:26
    Responder

    As linhas mestras desta história já eu conhecia através do filme, mas que a leitura deste livro me surpreendeu, isso foi.Existem diferenças entre o que é retratado no livro e o que aparece no filme. O filme é infinitamente mais idealista, mais romântico. O livro é directo ao assunto, com poucos romantismos e sem qualquer ideais sobre o amor, a sinceridade na relação, o materialismo, a ganância ou algo belo e etéreo.Esta leitura valeu pela surpresa e pelo meu enriquecimento pessoal, mas admito que gosto muito mais da adaptação feita no filme com a incomparável Audrey Hepburn.

Comentar

Siga-nos no Facebook
Facebook Pagelike Widget
Últimos Livros Comentados
Tópicos recentes