Burra Preta com uma Lágrima

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: Álamo Oliveira
Género: Romance
Edição: Jul/2018
Páginas: 136
ISBN: 9789898828491
Editora: Companhia das Ilhas

 

 

 

"Burra Preta com uma Lágrima, de Álamo Oliveira, atravessa um certo mito de peregrinação interior pelos Açores dos nossos dias. Não é uma epopeia, mas seguramente uma alegoria que capta a inocência e a fatalidade.
Sendo, como agora se diz, o romance de uma personagem - a burra -, a sua moralidade tem de ser pesquisada numa certa picaresca do homem. Romance de um realismo quase mágico, ele metaforiza tudo. Burra são os homens, as políticas, os padres, os poetas-profetas e os loucos. Temos todos de burra um pouco." João de Melo

Autor:

Álamo Oliveira nasceu na Freguesia do Raminho – Terceira, Açores –, em Maio de 1945. Fez o Curso de Filosofia no Seminário de Angra e o serviço militar na Guiné-Bissau (1967/69). Foi catalogador na Biblioteca Pública e Arquivo de Angra (1970/71); Funcionário Administrativo no Departamento Regional de Estudos e Planeamento. Em 1982, foi transferido para a Direção Regional da Cultura e, após a aposentação, foi convidado a colaborar, até 2010, na Direção Regional das Comunidades.

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Hugo Chávez, o colapso da Venezuela
    Gosto de estar bem informado e não fazer juízos sem conhecimento de causa. O governo da Venezuela tem ...
  • 02.09.2019 14:09
  • Autobiografia
    "Autobiografia" , o novo romance de José Luís Peixoto, é o 3º livro que leio deste autor. Os anteriores ...
  • 18.08.2019 17:41
  • A Dama do Quimono Branco
    Com este volume, termina a saga do Samurai Negro, constituída por uma trilogia de romances históricos ...
  • 29.07.2019 17:54

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Cada livro, cada volume que vês, tem alma. A alma de quem o escreveu e a alma dos que o leram e viveram e sonharam com ele. Cada vez que um livro muda de mãos, cada vez que alguém desliza o olhar pelas suas páginas, o seu espírito cresce e torna-se forte."
Carlos Ruiz Zafón in A sombra do vento