Deixem-nos Sonhar

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: João Tomaz e Pedro Adão e Silva
Género: Memórias / Futebol
Edição: Dez/2017
Páginas: 344
ISBN: 9789896714109
Editora: Tinta da China

 

 

Tudo o que nunca se soube sobre a insurreição de jogadores do México 86, conhecida como o 25 de Abril do futebol português.
«Deixem-me sonhar», clamou José Torres, o «Bom Gigante» do futebol português, antes do jogo de apuramento decisivo entre Portugal e a República Federal Alemã. Quem viveu, não esquece: Jaime Pacheco cortou uma bola, passou-a a Carlos Manuel, que rematou para o fundo da baliza. O jogo ia no minuto 53. Daí até ao final, Bento ficou a defender e o país a sofrer, mas aconteceu.

Vinte anos depois, pela segunda vez na História, a selecção portuguesa apurou-se para um Mundial de futebol: o México 86. Só que não estava pronta para isso, e o «milagre de Estugarda» transformou-se no pesadelo do «caso Saltillo».
Com Portugal em ebulição e o futebol a ser transformado pela FIFA num negócio gigantesco, os jogadores chegaram a Saltillo, no México, para encontrar um motel degradado, um campo inclinado, uma ausência de plano de treinos e prémios de cem contos por jogo - em contraste com os 143 mil recebidos pela Federação. Estavam lançadas as condições para uma reivindicação sem precedentes, que dividiu a sociedade portuguesa e lançou os alicerces para a profissionalização do futebol nacional. Uma história que estava por contar e que é agora, finalmente, relatada por inteiro.

Autor:

João Tomaz (Lisboa, 1977) é licenciado em Informática e Gestão de Empresas (ISCTE-IUL) e é o sócio n.º 6460 do Sport Lisboa e Benfica. Cronista no jornal O Benfica e no semanário Vida Económica, colaborador ocasional da revista Volta ao Mundo, comentador na BTV, já publicou em co-autoria os livros 110 Histórias à Benfica, Plantel Glorioso, Assim se Fez Glorioso e O Livro do Tri. É autor da biografia do basquetebolista Carlos Lisboa, Cheira Bem, Cheira a Lisboa. Organizou e participou na antologia de contos A Mística em Prosa – Contos Benfiquistas.

Autor:

Pedro Adão e Silva (Lisboa, 1974) é licenciado em Sociologia (ISCTE-IUL), doutorado em Ciências Sociais e Políticas (Instituto Universitário Europeu, Florença) e professor na Escola de Sociologia e Políticas Públicas do ISCTE-IUL. Colunista no Expresso e no Record, é comentador político na RTP e na TSF, onde é também autor do programa de música Zona de Conforto. Comenta também na Sport-TV. É autor de Sal na Terra (2009) e de Tanto Mar (2012), coordenador de vários volumes de análise das políticas públicas em Portugal e, mais recentemente, dos livros E Agora? – A crise do Euro, as falsas reformas, o futuro de Portugal (2013) e Cuidar do Futuro – Os mitos do Estado social português (2015, em co-autoria com Mariana Trigo Pereira).

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Limões na Madrugada
    Carla M. Soares fez uma pausa nos romances históricos (que espero não passe de uma breve pausa) para ...
  • 02.12.2017 13:57
  • Ramalho Eanes: O Último General
    Para comentar este livro, tenho de distinguir o tema e a fidelidade à realidade histórica, da forma como ...
  • 28.11.2017 22:57
  • Bala Santa
    A nova edição foi o pretexto para, finalmente, conseguir arranjar tempo para ler este livro do saudoso ...
  • 24.11.2017 17:01

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Vivemos de palavras. Vamos até à cova com palavras. Submetem-nos, subjugam-nos. Pesam toneladas, têm a espessura de montanhas. São as palavras que nos contêm, são as palavras que nos conduzem."
Raúl Brandão