Desamor

FaceBook  Twitter  

 

 

 

Autor: O Arrumadinho (Ricardo Martins Pereira)
Edição: Jun/2013
Páginas: 176
ISBN: 9789897410581
Editora: Oficina do Livro

 

 


Nove histórias reais de corações partidos para que compreenda melhor a sua relação

Numa altura em que as relações amorosas parecem cada vez mais vulneráveis, e em que as razões para as terminar são cada vez mais triviais, importa olhar para histórias verdadeiras e tentar compreendê- las. Para construir Desamor, o autor analisou centenas de relatos enviados por leitores do seu blogue, O Arrumadinho, e escolheu aqueles que, no conjunto, melhor conseguem espelhar os vários tipos de relações dos dias de hoje.

Desamor revela-nos nove casos contados ao pormenor por mulheres que, a dada altura, acreditaram estar a viver um amor verdadeiro e recíproco, mas acabaram com o coração partido. Nestas páginas, há histórias de amores que começam ou acabam por influência das redes sociais, de dificuldades que nascem dos filhos, de relações à distância, de traições, equívocos fatais e paixões antigas. Estas narrativas encaixam em vivências experienciadas por muitos de nós e reflectem a fragilidade de uma grande parte das relações amorosas nos nossos dias.

Autor:

O Arrumadinho, autor do blogue com o mesmo nome, é uma espécie de alter-ego de Ricardo Martins Pereira, um homem de 36 anos, pai, marido, jornalista, que utiliza esta personagem para poder falar abertamente sobre os problemas que enfrentamos no dia-a-dia, tanto no trabalho como na família e, sobretudo, nas relações sociais e amorosas.
Há dois anos que o seu blogue se mantém um dos mais lidos em Portugal, com um número total de visitas que já ultrapassa os 6 milhões e que hoje ronda as 20 mil por dia.
Em 2012, O Arrumadinho escreveu o livro “Solteiros, Casados e Divorciados” e "Desamor" em 2013.

Visite o blogue oarrumadinho.sapo.pt

Comentários  

 
#4 Sónia 2013-09-26 21:41
Há estórias que mexem connosco, porque permitem algum paralelo com a realidade. Seja nossa ou a de alguém que conhecemos. Este livro mexeu comigo, na medida em que consegui fazer uma análise do que vai sucedendo com algumas pessoas adultas, mas que, por um motivo ou por outro, não partilham com quem lhes é próximo.

Dá que pensar no sentido em que, numa sociedade cada vez mais evoluída a nível tecnológico, a forma como lidamos com as emoções quase que sofreu um retrocesso. Estórias, no feminino, reais, sofridas, nalguns casos passíveis de serem evitadas. Contudo, o desejo imenso de encontrar uma relação estável faz, por vezes, com que não se consiga ver aquilo que é perfeitamente visível, quer aos olhos quer ao coração.

Como já disse atrás, o livro é praticamente escrito no feminino. No entanto, estou em crer que, embora possam ser menos casos, também os há no masculino. Porque não uma versão deste livro, mas em que as situações fossem passadas com homens? Fica a dica a Ricardo Martins Pereira...
 
 
#3 sílvia 2013-08-13 11:15
Um livro real, de histórias que não acabam com finais felizes. Relatos de nove pessoas sobre o amor, as suas paixões, dúvidas, medos, desilusões!

Gostei de o ler, ver que as coisas nem sempre são um conto de fadas, que há muitas pessoas que sofrem tanto como eu, você, todos nós... Que ninguém é de ferro, que não devemos julgar nada nem ninguém, pois só quem passou por aquele momento sabe o que sentiu!

Um livro bastante sincero que aconselho. Exemplos e mais exemplos, que podem ajudá-lo a repensar a sua relação.

Estava a faltar um livro assim. Muito bom.
 
 
#2 Helena 2013-07-28 19:23
Histórias de desilusão e desencanto no feminino, de um amor que poderia ser o tal, contadas na primeira pessoa... Uma perspectiva dos amores que, atualmente, se constroem assentes em bases diferentes do antigamente, com conversas online e não em encontros presenciais. São ilusões com expectativas muito elevadas que se revelam depois grandes fiascos, porque negligenciam os sinais de desrespeito e as mentiras.

Neste livro, são postas em destaque as mulheres, mais passionais e vulneráveis e se expõem mais. Revelam o que realmente sentiram nessas desventuras, em que tudo apostaram e tudo perderam. Numa das histórias, a autora perdeu a paz e o equilíbrio. Noutras, a adrenalina e o mistério exerceram um fascínio tal que as levou a seguirem a sorte (aliás, azar) e a destruírem as suas organizadas e consolidadas existências. Todas espelham a entrega e a dor da perda.
Dá que pensar.
 
 
#1 Joana Cardoso 2013-07-06 21:07
O que é que define se uma pessoa é forte ou fraca? Uma pessoa pode ser fraca e, por isso, ter medo de abandonar uma relação que lhe faz mal e arriscar algo de novo; por outro lado, uma pessoa pode ser forte e perseverante e continuar a lutar por aquilo que pensa que vale a pena, como o amor e a família. No entanto, que regras e alíneas podemos utilizar para em determinada situação caracterizarmos alguém e dizermos que é forte ou fraco? Estas guide lines não existem. Depende tudo do ponto de vista de quem vê. Depende do que acontecer depois de se ter tomado a decisão. Se as coisas correm bem, foi a decisão certa, se não, foi a errada - e o forte e fraco, certo e errado ganham toda uma nova dimensão, pois não são características imutáveis e definidas.

Para mim, é isso que me mostram estas nove histórias de desamor. Há ainda outras pequenas situações que nos fazem pensar, como o facto de imaginarmos que na vida real as coisas se hão de passar como nos filmes e, muitas vezes, ficamos a sonhar com uma realidade que já não existe. É um livro que nos ensina que talvez não devêssemos julgar as pessoas tão levianamente como às vezes fazemos. Uma relação amorosa ou pseudo-amorosa é sempre complicada. O que por um ângulo pode parecer errado, por outro pode parecer certo. Achei que é um livro que nos mostra, de uma perspectiva mais realista, como são feitos os desamores de hoje em dia.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • A Fórmula da Saudade
    "Nós estamos permanentemente a conhecer o que acontece e a definir essas imagens por comparação com o ...
  • 20.10.2014 21:29
  • ABC da Poupança
    Um livro interessante sobre como poupar nesta conjectura actual. Gostei de ler, apesar de achar que não ...
  • 20.10.2014 17:23
  • Ao Encontro do Destino
    Este é o segundo livro que leio da autora e, uma vez mais, não me desiludiu. Tem uma história intensa ...
  • 19.10.2014 20:14

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Os filmes dizem-nos o que pensar. Um bom livro deixa-nos escolher alguns pensamentos por nós próprios."
Karen Marie Moning in "Anoitecer"