Em Teu Ventre

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: José Luís Peixoto
Edição: Out/2015
Páginas: 168
ISBN: 9789897222573
Editora: Quetzal

 

 

 

«Mãe, atravessas a vida e a morte como a verdade atravessa o tempo, como os nomes atravessam aquilo que nomeiam.»
Numa perspetiva inteiramente nova, Em Teu Ventre apresenta o retrato de um dos episódios mais marcantes do século XX português: as aparições de Nossa Senhora a três crianças, entre maio e outubro de 1917.
Através de uma narrativa que cruza a rigorosa dimensão histórica com a riqueza de personagens surpreendentes, esta é também uma reflexão acerca de Portugal e de alguns dos seus traços mais subtis e profundos.

A partir das mães presentes nesta história, a questão da maternidade é apresentada em múltiplas dimensões, nomeadamente na constatação da importância única que estas ocupam na vida dos filhos.
O sereno prodígio destas páginas, atravessado por inúmeros instantes de assombro e de milagre, confere a Em Teu Ventre um lugar que permanecerá na memória dos leitores por muito tempo.

Deste autor no Segredo dos Livros:
Livro
Nenhum Olhar

Autor:

José Luís Peixoto nasceu em 1974, em Galveias, concelho de Ponte de Sôr.
É um dos autores de maior destaque da literatura portuguesa contemporânea. A sua obra ficcional e poética figura em dezenas de antologias, traduzidas num vasto número de idiomas, e é estudada em diversas universidades nacionais e estrangeiras.
Em 2001, acompanhando um imenso reconhecimento da crítica e do público, foi atribuído o Prémio Literário José Saramago ao romance Nenhum Olhar. Em 2007, Cemitério de Pianos recebeu o Prémio Cálamo Otra Mirada, destinado ao melhor romance estrangeiro publicado em Espanha. Com Livro, venceu o prémio Libro d'Europa, atribuído em Itália ao melhor romance europeu publicado no ano anterior. As suas obras foram ainda finalistas de prémios internacionais como o Femina (França), Impac Dublin (Irlanda) ou o Portugal Telecom (Brasil). Na poesia, o livro Gaveta de Papéis recebeu o Prémio Daniel Faria e A Criança em Ruínas recebeu o Prémio da Sociedade Portuguesa de Autores. Em 2012, publicou Dentro do Segredo, Uma viagem na Coreia do Norte, a sua primeira incursão na literatura de viagens. Galveias, o romance mais recente do autor, foi publicado em 2014.

Comentários  

 
#1 Sebastião Barata 2016-01-12 12:59
De José Luís Peixoto, só tinha lido até agora "Nenhum Olhar" e, por isso, só com este posso fazer paralelismo. Apesar de serem dois livros muito separados no tempo, nota-se o mesmo estilo, o mesmo olhar sobre os simples e deserdados da vida, o papel do sobrenatural no desenrolar da vida concreta das pessoas.

O que me levou a querer ler este livro, deixando na estante outros que aguardam pacientemente a oportunidade de serem lidos, foi ter como tema de base as Aparições de Fátima. É um dos temas que me apaixonam e sobre o qual desejo sempre saber mais, porque a verdade é que, à beira do centenário das Aparições, tenho a noção de que continuamos a saber muito pouco acerca deste fenómeno que atrai multidões, determinou gestos marcantes de diversos Papas e continua a gerar controvérsia.

Embora tenha lido muita coisa sobre Fátima, confesso que não li nada igual a este livro. José Luís Peixoto aborda o tema de uma maneira absolutamente original. Partindo do pressuposto de que o leitor conhece os acontecimentos que ocorreram entre maio e outubro de 1917 na Cova da Iria, pelo menos como são do conhecimento público, o autor realça aqui o papel da mãe de Lúcia, a vidente mais velha e aquela com quem a Virgem Maria falava. De facto, deve ter sido difícil de gerir o seu amor de mãe de uma menina simples de 10 anos que se vê, de uma hora para a outra, centro da atenções de uma multidão de pessoas que a procuravam por uma multiplicidade de motivos, desde a curiosidade, à fé profunda na verdade das aparições, passando por pedido de milagres, interesses comerciais, críticas, descrenças e tudo o mais que se possa imaginar. Procurar ser a moderadora entre a defesa da privacidade da sua família e da sua menina, os ataques das autoridades civis e religiosas e a agressividade positiva e negativa das multidões, deve ter sido um fator de permanente angústia para o coração desta mulher.

São estes dilemas que José Luís Peixoto dirime ao longo deste livro. É curto, mas profundo e deve ler-se com calma, para saborear cada frase, cada palavra. O autor põe em confronto diversas 'Marias' todas mães e todas preocupadas com os seus filhos: Maria a mãe de Jesus, a aparecida; Maria a mãe de Lúcia, a vidente; Maria, a mãe de qualquer um de nós, a mãe do próprio escritor.

Mais um excelente trabalho de um excelente autor, cuja leitura não posso deixar de recomendar.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • O Ano da Dançarina
    Antes de entrar na análise do livro, desejo fazer a ressalva de que, em minha opinião, este não é um ...
  • 17.04.2017 22:59
  • Uma Questão de Fé
    Uma Questão de Fé é um livro poderoso pela mensagem que nos transmite, que deve ser lido com tempo ...
  • 16.04.2017 22:37
  • Pensar como Stephen Hawking
    A primeira pergunta que se pode pôr quando se fala de Stephen Hawking é: - se não fosse a pessoa ...
  • 27.03.2017 21:45

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"É preciso ter chorado para imortalizar o riso no livro, na estrofe, na sentença, na palavra."
Camilo Castelo Branco in A mulher fatal