Estrada da Noite

FaceBook  Twitter  

 

 

  

 

 

Autora: Kristin Hannah
Edição: Jul/2012
Páginas: 400
ISBN: 9789724248004
Edição: Círculo de Leitores

Durante dezoito anos Jude Farraday colocou as necessidades dos filhos antes das suas. Os gémeos Mia e Zach são adolescentes inteligentes e felizes. Quando Lexi Baill chega àquela fechada comunidade, ninguém se mostra mais amistosa que Jude. Porém, numa noite de Verão, os seus piores receios concretizam-se. De um momento para o outro a família Farraday será desfeita e Lexi perderá tudo.

Nos anos seguintes, cada um deles terá de enfrentar as consequências daquela noite e arranjar maneira de esquecer... ou, coragem para perdoar os que se amam.

 

Nota: Esta edição é exclusiva, pelo que só pode ser adquirida pelos sócios do Círculo de Leitores. Faça-se sócio!

Autora:
Kristin Hannah nasceu em 1960 no Sul da Califórnia, cresceu a brincar na praia e a fazer surf. Trabalhou primeiro em publicidade e, depois de se licenciar em Direito, exerceu advocacia em Seattle. Quando a gravidez a obrigou a ficar de cama durante vários meses, Kristin retomou uns textos antigos que escrevera em parceria com a falecida mãe.
O marido encorajou-a, e Kristin dedicou-se à escrita a tempo inteiro. Já publicou cerca de duas dezenas de romances e ganhou prestigiados prémios, como o Rita Award (Romance Writers of America) e o National Reader's Choice. A sua obra está traduzida em várias línguas.
Consulte o blog da autora em blog.kristinhannah.com

Comentários  

 
+1 #1 Vera Mouta 2012-08-09 20:11
Este é o primeiro livro que leio desta autora e posso dizer que adorei!
Sinceramente, nem posso dizer que seja uma história original, mas o que me agradou foi ter-me sentido completamente envolvida por ela, conseguir sentir o que as personagens sentiam. A escrita da autora é muito envolvente e consegue transmitir imenso.

A sinopse não revela muita coisa e, por isso, nem sabia bem o que o livro iria retratar, mas posso dizer que ainda bem, pois o bom é ir lendo e tentando descobrir qual o mal que irá acontecer para, de um momento para o outro, tudo mudar.
E realmente há momentos na vida, frações de segundo que mudam radicalmente a nossa vida e a dos outros à nossa volta.

Em relação às personagens, de uma forma geral gostei de todas, no entanto há duas que se destacam: Lexi e Jude.
Quanto à Lexi, gostei da forma de ela ser; de, apesar das amarguras da vida, ter dado a volta por cima e conseguido vencer; de abdicar de algo muito importante pela felicidade de outrem e de nunca ter sucumbido ao pior.
No que toca à Jude, já foi outra história, pois foi uma personagem que me inspirou sentimentos contraditórios. No início, achei-a muito obsessiva com os filhos, demasiado mãe-galinha. Todo o seu tempo era absorvido por eles e para eles, mas, ao mesmo tempo, gostei dela e, tendo em conta o que ela passou, são compreensíveis determinadas atitudes que tomou...

Um excelente livro sobre amizade, amor e perdão.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • O Despertar do Mundo
    No pós-guerra, com a intervenção dos ingleses, franceses e ingleses numa Alemanha arrasada, em que ...
  • 25.01.2015 23:13
  • Ao Serviço de Sua Majestade
    Um excelente livro para os amantes da cultura inglesa e da sua monarquia, na qual me incluo. Através ...
  • 25.01.2015 20:50
  • As Crianças Francesas Não Fazem Birra
    Um texto simples e engraçado que se lê muito bem e rapidamente. Apesar de, inicialmente, pensar ...
  • 25.01.2015 20:26

Últimos Tópicos

    • Invisível
    • Vai seguir caminho para casa na 2ªfeira :)
    • há 2 dias 12 horas
    • Fraturado
    • Já está lido e comentado. Segue 2ªfeira para a próxima leitora.
    • há 2 dias 12 horas
    • Ao Encontro do Destino
    • Recebido. Tem o canto interior esquerdo um pouco rasgado, da volta do correio,...
    • há 4 dias 22 horas

Uma Pequena Palavra...

"Algumas obras morrem porque nada valem; estas, por morrerem logo, são natimortas. Outras têm o dia breve que lhes confere a sua expressão de um estado de espírito passageiro ou de uma moda da sociedade; morrem na infância. Outras, de maior escopo, coexistem com uma época inteira do país, em cuja língua foram escritas, e, passada essa época, elas também passam; morrem na puberdade da fama e não alcançam mais do que a adolescência na vida perene da glória. Outras ainda, como exprimem coisas fundamentais da mentalidade do seu país, ou da civilização, a que ele pertence, duram tanto quanto dura aquela civilização; essas alcançam a idade adulta da glória universal. Mas outras duram além da civilização, cujos sentimentos expressam. Essas atingem aquela maturidade de vida que é tão mortal como os Deuses, que começam mas não acabam, como acontece com o Tempo."
Fernando Pessoa, in Heróstrato