Feitiços

FaceBook  Twitter  

 

 

  

 

Autora: Aprilynne Pike
Série: Wings  (Vol. 2)
Edição: Mar/2011
Páginas: 296
Editora: Contraponto

 


Seis meses após ter salvaguardado a terra onde se encontra o portal de Avalon, Laurel tem de regressar ao reino das fadas para passar o Verão, a fim de aperfeiçoar as suas habilidades como fada do Outono. Contudo, a família e os amigos ainda se encontram em risco – e a entrada para Avalon está em perigo, agora mais do que nunca.
No momento em que impreterivelmente tem de proteger aqueles que ama, Laurel tem de aliar os seus dotes feéricos ao que há de humano em si para conseguir combater o inimigo.

Nesta batalha, irá Laurel pedir ajuda a David, o seu namorado humano? Ou recorrerá ao magnetizante Tamani, por quem sente uma atracção irresistível? E será o coração de Laurel feérico, ou já demasiado humano?

 Volume anterior:
O Beijo dos Elfos

Consulte também a entrevista com a autora

Mais informação no blogue obeijodoselfos.blogspot.com

Autora:

Dotada de uma imaginação fértil, Aprilynne Pike escreve histórias de fadas desde criança. Aos vinte anos fez uma especialização em Escrita Criativa na Faculdade Lewis-Clark, em Lewiston, Idaho.
Recentemente, regressou ao Arizona com o marido e os três filhos para aproveitar o sol.
Com esta série de estreia a autora conquistou leitores e a crítica internacional, chegando ao primeiro lugar da lista dos mais vendidos do New York Times.
Saiba mais em www.aprilynnepike.com

Comentários  

 
#4 Maria João 2011-07-27 13:43
Neste livro, tive sentimentos muito contraditórios. Se, por um lado, adorei a descrição que a autora faz de Avalon, com a sua hierarquia das fadas, a descrição da árvore está simplesmente um sonho. Por outro lado, não sei porque a escrita não me prendeu tanto e o triângulo amoroso começa a não ter piada. Compreendo que, provavelmente, prenderá muitas pessoas ao enredo, eu pessoalmente acho que já estava na hora dela escolher se quer o seu elfo magico ou o namorado humano maravilhoso.
Contudo, continua a prender e cá esperamos o próximo volume para matar a curiosidade.
 
 
#3 Sandra Nunes 2011-07-03 21:39
Quando Laurell tem conhecimento da notícia de que tem de passar dois meses a estudar em Avelon, é confrontada por sentimentos contraditórios, entre a expectativa de conhecer o mundo de que é originária e a vontade de passar o verão ao lado de David.
Cerca de metade da história deste segundo livro da saga Wings passa-se em Avalon, lar das fadas, um reino absolutamente mágico que a autora descreve com mestria. Em Avalon, Laurell é confrontada com um mundo mágico, exuberante e cativante, repleto de cor, sons e novidades. Começa a compreender um pouco melhor a sua própria natureza e o seu papel enquanto fada de Outono.
Achei muito interessante e criativa a hierarquia das fadas, os seus valores e tradições. Confesso que me deixei enfeitiçar por este mundo encantado, adorei a descrição de Avalon. Senti-me literalmente no mercado das fadas de verão, na casa da mãe de Tamani ou no teatro. Mas o lugar de que mais gostei foi, sem dúvida, a misteriosa árvore dos antepassados das fadas, adorei o simbolismo inerente à árvore e toda aquela ideia de sacrifício, entrega, passagem de conhecimento. Transmitiu-me uma sensação de paz e pertença, difíceis de explicar.
Um dos outros pontos positivos do livro é a notória pesquisa da autora sobre plantas, flores e as suas aplicações. A autora soube interligar com inteligência e desenvoltura esses conhecimentos com a história, envolvendo-os intimamente.
A segunda parte do livro passa-se no nosso mundo. Enquanto a primeira parte prende o leitor pela criatividade na descrição do reino das fadas, a segunda prende pelo desenvolvimento na acção. Conhecemos os trolls e assistimos à luta de Laurel para manter todos os que ama em segurança.
Não o posso comparar com o livro anterior, pois não o li, apenas posso dizer que a narrativa de Pike revelou-se criativa, fluída e agradável.
Por fim, os meus parabéns à equipa responsável pelo grafismo da capa, adorei o relevo das asas e o discreto brilho que contribui para aquela sensação de magia. No entanto, não posso deixar de notar que neste livro, as fadas desenvolvem flores nas suas costas, não asas, um pormenor a ter em consideração se o que se pretende é reflectir a essência do livro e não apenas perpetuar determinados estereótipos.
 
 
#2 Margarida Cruz 2011-05-19 23:36
Depois da estreia da autora com O Beijo dos Elfos, ficou a curiosidade para conhecer o desenvolvimento da história de Laurel. No entanto, talvez por ser uma narrativa em tudo diferente daquela com que nos deparamos no primeiro volume da série, não tive um desfrutar de leitura tão acolhedor e refrescante como no anterior.

Em Feitiços, temos uma primeira parte passada única e exclusivamente no mundo das fadas e dos elfos, Avalon. Vários meses depois do ataque de Barnes que quase tirou a vida a Tamani, o elfo por quem Laurel sente uma profunda amizade e uma atracção inexplicável, Laurel decide dar os primeiros passos no mundo de onde veio, formando-se academicamente.

Dois meses depois de pura devoção aos estudos de uma Fada do Outono, intercalada com alguns encontros com Tamani, eis que Laurel regressa a casa e para junto do namorado, David.
Exceptuando a distância da mãe desde que Laurel revelou a sua verdadeira identidade e o novo namorado de Chelsea, tudo parece normal. Mas Laurel sabe que corre perigo eminente. A sede de vingança ainda não se fez notar, mas sabe que ao mínimo descuido, poderá sofrer as consequências.

Além disso, pensar em Tamani começa a tornar-se demasiado frequente. Depois dos bons momentos passados na sua companhia em Avalon, Laurel não consegue evitar o crescente afecto que nutre pelo amigo elfo. Apesar de amar incondicionalme nte o seu namorado humano, há algo em Tamani ao qual Laurel não consegue ficar indiferente.

É, pois, assim, que, mais uma vez, temos um novo romance de Aprilynne Pike, baseado no triângulo amoroso que se formou entre Laurel, David e Tamani. No entanto, o seu desenvolvimento pecou pela ausência da mesma empolgância que sentíamos com a leitura de "O Beijo dos Elfos". Confesso que me custou entrar devidamente na história e que só no fim é que senti uma certa empatia com a mesma. Isto porque é precisamente no fim que assistimos ao culminar de todas as incertezas de Laurel. Até lá, temos uma história baseada na descrição do quotidiano da protagonista (ao início em Avalon e depois na escola, em Crescent City). Fiquei com a sensação de que a autora não tinha uma história propriamente definida para este novo livro da série Wings. A presença de diálogos desnecessários, que nada acrescentam à história, chegam-nos como meros elementos para encher as páginas deste novo livro. E outras demais situações descritas pela autora acabaram também por ser vistas como "palha" no texto de Pike. É o caso de alguns encontros entre Laurel e a amiga Chelsea e as suas conversas sobre rapazes e namorados ou então alguns dos episódios passados entre Laurel e David.

Tendo isto em conta, o balanço geral deste livro é o de que se trata de uma leitura bastante leve e fácil, mas que poderia ganhar com uma outra dosagem de acção e mistério. Enquanto leitora, como já disse, não senti aquela ligação com a história que era suposto sentir, aquela curiosidade e interesse em continuar a ler para descobrir o que aconteceria a seguir.

De qualquer das formas, e apesar de serem já as circunstâncias finais desta nova aventura de Laurel, fica uma nota bastante positiva para os mixed feelings da protagonista relativamente aos seus dois pretendentes. Enquanto devoradora de romances, não resisto a situações como esta, onde os triângulos amorosos estão mais acesos que nunca, ameaçando culminar numa reviravolta total da história. E Pike conseguiu trabalhar muito bem esta parte da história, tal como já tinha podido verificar no volume anterior. A pena está no facto de esta ansiedade não poder ser vivida ao longo de todo o livro e só apenas no final do mesmo.

Não posso também deixar passar o visível trabalho de pesquisa da autora, não só relativamente a plantas e a toda a área da herbologia envolvida nesta série, mas também relativamente às lendas e mitos criados ao longo do tempo relativamente aos seres feéricos. Confesso que não conhecia algumas que nos são apresentadas por Pike numa adaptação muito bem pensada na história de Avalon.

No fim de tudo, apesar do encanto conseguido não ter igualado o do primeiro volume, Feitiços continua a ser, sem dúvida, uma lufada de ar fresco no seio do género fantástico em Portugal, chegando-nos através de uma escrita leve, objectiva, fluída e incrivelmente esclarecedora. A curiosidade para continuar com a série já não é tão afinca, mas ainda assim, continua a existir. E se a Contraponto continuar a apostar em capas tão irresistíveis como esta, como podemos escapar?

Aliás, depois de mais uma demanda entre dois mundos, qual será, afinal, a escolha de Laurel? A aparente perfeição de Avalon ou o mundano mundo dos Homens? A inestimável compreensão e rebeldia de Tamani ou o encantador charme e cavalheirismo de David?
 
 
#1 Vanessa Montês 2011-03-20 11:04
Já se passaram seis meses desde que Laurel ajudou a salvar o portal de Avalon... seis meses desde que viu Tamani pela última vez. É então que, quando tudo parece estar a correr às mil maravilhas e finalmente as férias do Verão chegam, chega também uma carta de Avalon a pedir (melhor a ordenar) a Laurel para ir ter a educação que qualquer fada do Outono, na sua idade, já deveria ter.

Embora, por um lado, Laurel não estivesse com muita vontade de ir, por outro o simples facto de saber que iria encontrar-se com Tamani e descobrir finalmente como era Avalon, fá-la ir ao encontro do portal de livre vontade e com entusiasmo. Mas nem tudo é como ela esperava. O estudo constante faz com que ela mal consiga ver Avalon, as regras da sociedade entre elfos e fadas das diferentes estações são estranhas e, para Laurel, idiotas e a frustração nas aulas aumenta a um ritmo perturbador. A isto junta-se uma nova ameaça que, desta vez, ameaça de forma directa amigos e pessoas que lhe são próximas no mundo humano.

Este livro é diferente do anterior. Enquanto que o anterior se centra não só na descoberta da verdadeira natureza de Laurel, mas também no triângulo romântico entre ela, David e Tamani, este livro centra-se no mundo de Avalon, na natureza de Laurel, na apresentação das outras fadas e elfos e das suas habilidades, etc. Ou seja, este livro centra-se especialmente no mundo criado por Aprilynne Pike, dando-nos diversas informações úteis e muito interessantes sobre as várias classes sociais em Avalon, sobre a formação de Avalon e até há informações muito engraçadas relativas a, por exemplo, Eva e Shakespeare.

Relativamente à forma de escrever da autora, não há muita alteração em relação ao primeiro livro. O livro continua a ser fluído, com uma escrita muito simples, mas que nos consegue envolver facilmente e fazer-nos imaginar tudo o que estamos a ler, desde o grande mundo que a escritora imaginou às suas personagens.

Posso dizer, sem reservas, que este segundo volume da saga Wings é, tal como o primeiro, um bom livro de fantasia, que irá agradar de certeza absoluta a quem gostou do livro anterior! Aliás, até é capaz de agradar mais do que o anterior. :P
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Limões na Madrugada
    Carla M. Soares fez uma pausa nos romances históricos (que espero não passe de uma breve pausa) para ...
  • 02.12.2017 13:57
  • Ramalho Eanes: O Último General
    Para comentar este livro, tenho de distinguir o tema e a fidelidade à realidade histórica, da forma como ...
  • 28.11.2017 22:57
  • Bala Santa
    A nova edição foi o pretexto para, finalmente, conseguir arranjar tempo para ler este livro do saudoso ...
  • 24.11.2017 17:01

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

Descobri que a leitura é uma forma servil de sonhar. Se tenho de sonhar, porque não sonhar os meus próprios sonhos?"
Fernando Pessoa