Highlander - Para Além das Brumas

FaceBook  Twitter  

 

 

  

Autora: Karen Marie Moning
Série: Highlander
Edição: Mar/2012
Páginas: 320
ISBN: 9789896374075
Editora: Saída de Emergência

 

 
UM LAIRD FASCINANTE
Ele era conhecido por todo o reino como Açor, lendário predador de campos de batalha e alcovas. Não havia mulher capaz de recusar o seu toque, mas mulher alguma lhe fizera jamais estremecer o coração - até uma vingativa fada trazer Adrienne de Simone, aos trambolhões, da Seattle dos tempos atuais para a Escócia medieval.

Cativa num século que não era o seu, ousada até mais não, sem papas na língua, ela era um desafio irresistível para o conquistador do século XVI. Coagida a casar-se com Açor, Adrienne jurou mantê-lo à distância - mas a sua doce sedução devastou tal resolução.
UMA PRISIONEIRA NO TEMPO
Ela tinha um perfeito "não" nos seus perfeitos lábios para o famigerado laird, mas Açor jurou que ela haveria de sussurrar o seu nome com desejo, implorando a paixão que ele ansiava por inflamar dentro dela. Nem mesmo as barreiras do tempo e do espaço o deteriam na conquista do seu amor. Apesar da sua incerteza quanto a seguir os impulsos do seu coração apaixonado, as reservas de Adrienne não igualavam a determinação de Açor em mantê-la ao seu lado...

 Livros da série Highlander no Segredo dos Livros:
O Beijo do Highlander
O Highlander Negro
Highlander Amante Imortal
O Feitiço do Highlander

Autora:

Karen Marie Moning nasceu em Cincinnati, Ohio, uma de quatro crianças. Graduou-se pela Universidade de Purdue com um Bacherlato em Lei e Sociedade. Depois de uma década a trabalhar no ramo da advocacia, ela deixou o seu trabalho para perseguir o sonho de ter uma carreira como escritora. Quatro manuscritos e inúmeros trabalhos em part-time mais tarde, O Beijo do Highlander foi publicado e nomeado para os prestigiados prémios RITA. As suas histórias já foram publicadas no The New York Times, USA Today e apareceram nas listas de bestseller do Publisher's Weekly.

Saiba mais em www.karenmoning.com/kmm

Comentários  

 
#4 Vanessa Montês 2012-07-14 19:32
Este livro é o meu favorito da saga Highlander desta autora, mas tem uma revisão bastante pobre e há certas zonas em que as frases não fazem sentido, não se conjugando correctamente.

Açor é um guerreiro. Sempre o foi e sempre será. Conhecido no campo de batalha pela sua força e mestria, fora do campo é conhecido pelos seus feitos entre as várias mulheres que o conhecem. Sendo belíssimo e com um físico de fazer inveja a qualquer um, adora o poder que tem sobre as mulheres, algo que tem mesmo sem sequer se esforçar! Mas este sucesso causa ciúmes a pessoas poderosas, que acabam por arranjar forma de dar com Açor em louco, transportando uma mulher do século XXI para a antiga Escócia do século XVI.

Adrienne é uma mulher belíssima, inteligente, decidida. Tem um ódio de morte aos homens e quer manter-se o mais longe deles possível! Qual não é a sua surpresa quando cai no colo de um feio brutamontes que diz que ela é uma bênção caída do céu e ainda maior quando se apercebe de que, dali a poucas horas, terá que casar com um homem que nunca viu na vida! Tentada a fugir deste estranho homem, Adrienne aprende de imediato, de forma violenta, que o melhor é obedecer-lhe. Acabando por casar contra vontade e com um homem que envia um representante no dia do casamento, o ódio que tem pelos homens ainda aumenta mais, levando-a a decidir que vai fazer tudo o que quiser na sua nova casa e ignorar totalmente o marido. Este acaba por encontrar na sua nova esposa uma mulher diferente de tudo o que esperava: decidida, irrequieta, que adora irritá-lo e que não se mostra toda derretida ao pé dele!!

Gostei muito deste volume! Dos livros que já li desta autora e desta saga, este deve ser o meu favorito. Temos um escocês muitíssimo sensual que, embora pareça um simples mulherengo, é também um homem carinhoso que adora a família e os seus, é amigo dos seus amigos e faz tudo para ajudar aqueles que ama. Adrienne é uma mulher decidida, com um ódio por homens que acaba, mais tarde, por ser explicado no livro. Luta contra o seu coração e tenta seguir o seus cérebro, não deixando lugar para a paixão, mas tudo demasiado racionalizado, devido àquele ódio invulgar. É um romance onde a chama entre as personagens aparece numa sequência lógica, onde se vê o romance e a paixão a crescer. A escrita da autora... não sei bem o que dizer sobre ela, pois achei a revisão do livro um pouco má e não achei correcto culpar a autora por isso. Sim, é verdade que há uns séculos atrás se falava de forma diferente, mas duvido que seja como no livro. Achei o léxico muitíssimo mau, as conjugações verbais arrepiavam-me. É que já li outros livros da autora e nunca me tinha feito tanta impressão. Sei que há pessoas que têm a mesma opinião que eu, daí poder dizer que o problema não é meu e, provavelmente, foi uma revisão um pouco mal cuidada. Mas gostei tanto da história que, ao fim de algum tempo, a minha cabeça começou a emendar automaticamente tais erros e li o livro rapidamente de uma ponta à outra!

Gostei imenso e já estou à espera do próximo! :)
 
 
#3 Inês Santos 2012-06-29 14:44
Este livro pareceu-me uma montanha russa, de tantos altos e baixos que encontrei.
Começou mal, melhorou, piorou, melhorou e acabou por piorar. Não sei se é da minha memória, mas não me lembro dos outros Highlanders terem uma história tão contraditória. Refiro-me ao geral e ao particular.
No geral, pois tanto temos relatos crus e maldosos, como temos discursos muito, mas mesmo muito "lamechas"! Perdi a conta aos "meu amor" e "meu coração". Sim, foi amor à primeira vista, mas é preciso começar logo com falinhas com excesso de mel?!
Do que mais gostei, foi mesmo a parte mágica, de ela aparecer e desaparecer. Gostei também do primeiro encontro entre Adrienne e o ferreiro. É curioso como notei mais faísca aí, do que quando ela se virou e encontrou o Açor!
Gostei também do romance que vai aparecendo muito subtilmente entre a mãe de Açor e o cozinheiro. Muito engraçadas as últimas cenas.
Achei o passado de Adrienne, a "sempre-dura", muito forçado e demasiado dramático, mas compreendo que Moning tenha inserido este facto para que Adrienne tivesse uma carga emocional um pouco maior e também houvesse razões para ser escolhida pelo Adam Black. Confesso que não me lembro do outro livro sobre ele.
Por fim, e um ponto muito importante, é o facto de Açor ser um laird lindo e maravilhoso, mas cair para o chão e afogarmo-nos na baba. Além disso, metem um modelo horrível (segundo os meus critérios, claro) na capa. Ou seja, acabei por imaginar um Adam muito melhor do que o personagem principal.
 
 
#2 Raquel 2012-05-24 19:51
Mais um livro excelente da Karen Marie Moning.
Devido à ordem como foi publicado, admito que, no início, me fazia confusão o Adam Black, por já ter havido um livro dele, e é completamente desagradável saber como ele era mau.
No entanto, este livro, apesar de ser bastante parecido com os anteriores, acho que é dos melhores.
Temos um homem completamente lindo de cair para o lado, que transpira sexualidade e que é deveras poderoso. E, por outro lado, uma mulher que odeia homens bonitos e que viaja contra a sua vontade no tempo, saltando tantos anos que ela própria pensa que é um sonho.
Açor tinha de casar com a filha do rei, no entanto, a Louca, como lhe chamavam, morreu. E do nada aparece Adrienne que também não faz a mínima ideia de como foi lá parar. Obrigada a casar-se com Açor, que não aparece no casamento, vive com a confusão de estar a sonhar ou estar acordada.
O que lhe passa pela cabeça, quando conhece o seu novo marido, é "Porque não disse as palavras antes?". Adrienne jurou a si própria que nunca iria deixar-se levar por homens bonitos, pois assim o fizera no passado e dera-se muito mal.
Com uma relação de amor e ódio, Açor tenta a todo o custo conquistar Adrienne, pela qual se apaixonou logo no dia que a viu, mas sem ter tal intenção. Tal como ela.

Um livro que não descansei enquanto ano larguei. Digo que é, sem dúvida, muito melhor do que os primeiros que foram publicados.
Tem diálogos e situações de puro humor que me valeram umas boas gargalhadas.
 
 
#1 Sandra Nunes 2012-04-26 15:02
Uma mistura explosiva de romance e fantástico, com uma pitada de humor. Para mim, mais uma prova do talento de Karen M. Moning. Desde que li o primeiro livro desta série, fiquei fã incondicional da autora e penso que muito pouco posso acrescentar ao que já, por diversas vezes, exprimi… simplesmente fantástico! Os seus romances são deliciosos e transportam os leitores para uma época verdadeiramente mágica, a Escócia medieval, onde o misticismo é omnipresente.
Este livro, apesar de manter a mesma linha de pensamento dos seus predecessores, não deixa de ser especial à sua maneira. Assim, temos um highander lindo de morrer, poderoso, deus sexual, como não poderia deixar de ser. Temos uma “moça” igualmente bela e inteligente que viaja no tempo e, literalmente, é oferecida a um homem que, simultaneamente , deseja e repele. O livro está repleto de diálogos divertidos e cenas peculiares que deixam um sorriso no rosto do leitor.
É uma fórmula que, apesar de não ser original, se tem revelado, livro após livro, de muito sucesso e que, na minha opinião, a autora pode manter durante muitos mais livros.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Tudo Vale no Amor
    Foi o primeiro livro que li desta autora e o que posso dizer é que é um livro que tem de tudo, isto é ...
  • 06.03.2017 15:23
  • O Último Paraíso
    Antes de mais, um pouco de História, para nos situarmos e compreendermos aquilo de que fala este ...
  • 04.03.2017 22:10
  • Ligeiramente Indecente
    Mais um livro da saga “Bedwyn”. Neste livro, é contada a história de Lord Alleyne, o qual tem um ...
  • 01.03.2017 14:13

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"A leitura é uma fonte inesgotável de prazer mas, por incrível que pareça, a quase totalidade não sente esta sede."
Carlos Drummond de Andrade