História de Portugal em Disparates

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: Luís Mascarenhas Gaivão
Género: Humor / História de Portugal
Edição: Mar/2018
Páginas: 232
ISBN: 9789897023699
Editora: Guerra & Paz

 

 


Esqueça tudo o que aprendeu sobre a História de Portugal. O melhor da nossa História está na sabedoria e na imaginação louca dos nossos estudantes. Afinal, dizem eles, «a Pré-História é a evolução do macaco até ao homem» e «as pessoas eram macacos e, a partir de então, foram-se desenvolvendo, dando origem a novos macacos».
É com citações como estas, rigorosamente recolhidas nos testes de História dos alunos, que se faz esta novíssima História de Portugal em Disparates.

Autor:

Luís Mascarenhas Gaivão é escritor, investigador, agente cultural, humorista. Nasceu em Luanda, Angola, em 1948, onde viveu até 1960. É licenciado em Filosofia e Humanidades, mestre em Lusofonia e Relações Internacionais e doutorado em Sociologia. Foi professor de Língua Portuguesa e História de Portugal e assessor pedagógico no gabinete do ministro da Educação. Foi adido cultural nas embaixadas de Portugal em Luanda, Luxemburgo e Bruxelas.

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • A Ilustre Casa de Ramires
    NOTA: Este comentário contém spoilers (*** não leia se pretender ainda ler o livro ***) Após 2 ou ...
  • 28.06.2020 09:42
  • Imortal (José Rodrigues dos Santos)
    Acabei (finalmente) de ler o mais recente livro de José Rodrigues dos Santos - Imortal que trata de um ...
  • 01.06.2020 23:30
  • O Túmulo do Mestre
    Ótimo livro para se ler num fim de semana! Li-o em duas tardes. Os capítulos não são grandes, pelo ...
  • 19.04.2020 19:03

Últimos Tópicos

    • Navia
    • Navia, nascida no ano 410 D.C, época em que a Lusitânia encontra-se instável...
    • há 6 dias 14 horas
    • Navia
    • Navia Navia, nascida no ano 410 D.C, época em que a Lusitânia encontra-se...
    • há 6 dias 14 horas

Uma Pequena Palavra...

"Começada um dia a leitura, impõe-se levá-la até ao fim. Assim me educaram e nessa pertinência me reconheço. Propus-me um livro? Há que lê-lo!"
Mário de Carvalho in Um deus passeando pela brisa da tarde