Histórias Falsas

Autor: Gonçalo M. Tavares
Género: Contos
Edição: Jul/2019
Páginas: 88
ISBN: 9789896419479
Editora: Relógio D’Água

 

 

«É usual no Japão os espectadores de teatro agradecerem no final aos actores com a palavra otsukaresama que significa: “Vocês cansaram-se por mim.” O mesmo podia, então, dizer Faustina às mulheres e aos homens que a rodeavam, já que ela observava e não agia.» Breves narrativas; desvios ficcionais na história da filosofia antiga.
«… direccionar a flecha primeiro para o próprio coração — defendem os mestres — para depois, sim, a poder projectar de modo certeiro, infalível, na direcção do alvo.»

 Deste autor no Segredo dos Livros:
Cinco Meninos, Cinco Ratos
O Reino
A Mulher-Sem-Cabeça e o Homem-do-Mau-Olhado
Uma Dor Tão Desigual (coautor)
A Máquina de Joseph Walser
Princesas, Príncipes, Fadas e Piratas com Problemas (coautor)

Autor – Gonçalo M. Tavares

Autor:

Gonçalo M. Tavares nasceu em 1970. Publicou o primeiro livro em 2001. É já um dos escritores mais traduzidos da literatura portuguesa. Estão em curso traduções e edições internacionais de todos os seus livros, em mais de 50 países, em algumas das mais prestigiadas editoras. Recebeu importantes prémios em Portugal e no estrangeiro, nos mais diversos géneros literários. Com Aprender a Rezar na Era da Técnica recebeu o Prix du Meilleur Livre Étranger 2010 (França), prémio atribuído antes a Robert Musil, Philip Roth, Gabriel García Marquez, Elias Canetti, entre outros. Alguns prémios internacionais: Prémio Portugal Telecom 2007 e 2011 (Brasil), Prémio Internazionale Trieste 2008 (Itália), Prémio Belgrado 2009 (Sérvia), Grand Prix Littéraire Culture 2010 (França), Prix Littéraire Européen 2011 (França). Foi por diversas vezes finalista do Prix Médicis e Prix Femina. Em Portugal recebeu, entre outros, O Grande Prémio do Romance e Novela da APE, Prémio José Saramago, Prémio Fernando Namora. Jerusalém foi o livro mais escolhido pelos críticos do jornal Público para romance da década e Uma Viagem à Índia foi escolhido pelo jornal DN, por diferentes críticos, como uma das 25 obras essenciais da história da literatura portuguesa. O seu recente romance Uma Menina Está Perdida no Seu Século à Procura do Pai venceu o Prémio Tabula 2015, foi finalista do Prémio Oceanos (Brasil) 2016 e do Prémio Pen Ficção. Sobre o livro, Alberto Manguel escreveu, no suplemento Babelia, que ele era «uma memorável epifania». Matteo Perdeu o Emprego, que já havia sido finalista, no Brasil, do Prémio PT, foi, em Novembro de 2016, um dos cinco finalistas do Prix Femina para melhor romance estrangeiro publicado em França.

Veja aqui o blogue do autor.

0 comentários
0 likes
Anterior: Amélia de Orleães – A rainha mal-amadaSeguinte: A Balada do Medo

Comentar

Siga-nos no Facebook
Facebook Pagelike Widget
Últimos Livros Comentados
Tópicos recentes