Lembro-me de Ti

 

  

 

Autora: Yrsa Sigurdardóttir
Edição: Ago/2012
Páginas: 400
ISBN: 9789897220432
Editora: Quetzal

 

 

 

Três jovens propõem-se recuperar uma velha casa de uma aldeia abandonada, algures nos Fiordes Ocidentais islandeses. Mas não imaginam o cataclismo que este inofensivo trabalho vai desencadear. Na outra margem do fiorde, um psiquiatra investiga o suicídio misterioso de uma mulher mais velha que poderá estar ligado ao desaparecimento do seu próprio filho.

Estas duas intrigas vão convergir para uma história de um enorme suspense que os críticos têm considerado tratar-se da melhor que até agora saiu da pena de Yrsa Sigurdardóttir – Lembro-me de Ti foi galardoado com o Prémio de Ficção Policial Nórdica de 2011, e os direitos de adaptação ao cinema comprados pelo produtor islandês radicado em Hollywood Sigurjón Sighvatsson (Wild at Heart e The Killer Elite, entre dezenas de outros).
Um thriller policial arrebatador, uma leitura saborosamente arrepiante.

Da mesma autora no Segredo dos Livros:
Cinza e Poeira

Autor – Yrsa Sigurdardóttir

Autora:

Yrsa Sigurdardóttir é a maior escritora de literatura policial da Islândia. Considerada a resposta islandesa a Stieg Larsson, Yrsa tem sido um fenómeno de sucesso. Os seus livros elevam-se aos topos das listas de best-sellers em todo o mundo. Muitos deles estão a ser adaptados ao cinema e à televisão.
Yrsa Sigurdardóttir nasceu em 1963 em Reiquejavique, na Islândia, onde vive com a família e é diretora de uma das maiores empresas de engenharia do País. 

4 comentários
0 likes
Anterior: A Porta do SolSeguinte: Anjo Sombrio

Comentários

  • Filipe Dias

    Janeiro 26, 2013 às 19:15
    Responder

    Acabei este livro ontem... Quando li o título, pensei que fosse um romance trágico, algo desse género. Mas depois li a sinopse... Um livro premiado e positivamente criticado, misturando um caso de suicídio e um enigma num local remoto.Logo cedo comecei a gostar de ler a estória. Leva-nos a um psiquiatra que se debate com o desaparecimento do seu filho, a angústia de não saber o que aconteceu, se está vivo ou não. Para intensificar a intriga, está a ajudar uma detective a solucionar uns casos estranhos que se parecem com outros ocorridos há vários anos. É incrível a semelhança, […] Ler Mais...Acabei este livro ontem... Quando li o título, pensei que fosse um romance trágico, algo desse género. Mas depois li a sinopse... Um livro premiado e positivamente criticado, misturando um caso de suicídio e um enigma num local remoto.Logo cedo comecei a gostar de ler a estória. Leva-nos a um psiquiatra que se debate com o desaparecimento do seu filho, a angústia de não saber o que aconteceu, se está vivo ou não. Para intensificar a intriga, está a ajudar uma detective a solucionar uns casos estranhos que se parecem com outros ocorridos há vários anos. É incrível a semelhança, tanto como é impossível.Por outro lado, três colegas dirigem-se a um fiorde distante, de muito fraca acessibilidade, com o intuito de recuperar uma casa. Mas a casa tem uma história antiga... Quando estão isolados na casa, começam os acontecimentos estranhos... A casa range como que por passos, enquanto eles estão completamente quietos. Há barulhos nas divisões contíguas... Pegadas são deixadas por alguém, ou algo, que não eles. Aparecem objectos onde ninguém tinha mexido, esqueletos nas fundições da casa, entre muitas outras coisas. O pânico gera-se, a sensação de "há mais alguém aqui" instala-se, o desespero ganha força. Quem será, ou o quê? Que quererá?A pouco e pouco, os acontecimentos no fiorde vão ao encontro das investigações do psiquiatra. Há pessoas desaparecidas, há um passado que os afecta e liga a todos... Há muita coisa a descobrir...Gostei muito desta estória. Deixou-me sempre na expectativa, com desejo de ler mais, para descobrir os casos. A certa altura, é fácil imaginar as ligações, o desenrolar da estória, mas nunca temos bem a certeza e é preciso continuar a ler para confirmar as suspeitas ou ser completamente surpreendido...Estava a precisar de ler um livro assim... Recomendo... Read Less

  • Sílvia

    Janeiro 4, 2013 às 13:14
    Responder

    O livro conta duas histórias distintas repletas de suspense que, a dada altura, se entrelaçam. Numa das histórias, são 3 personagens habituadas à vida mundana que decidem reabilitar uma casa comprada por um amigo, com o objetivo de obterem dinheiro e, claro, em homenagem ao amigo. Na outra, um psiquiatra “investiga” um assalto a um infantário e um suicídio e, inesperadamente, torna-se numa peça fundamental para desvendar estes dois atos, através do desaparecimento do seu filho. Mas como um assalto, um suicídio e o desaparecimento de uma criança se interligam com a recuperação de uma casa, em cidades islandesas diferentes?!Sem […] Ler Mais...O livro conta duas histórias distintas repletas de suspense que, a dada altura, se entrelaçam. Numa das histórias, são 3 personagens habituadas à vida mundana que decidem reabilitar uma casa comprada por um amigo, com o objetivo de obterem dinheiro e, claro, em homenagem ao amigo. Na outra, um psiquiatra “investiga” um assalto a um infantário e um suicídio e, inesperadamente, torna-se numa peça fundamental para desvendar estes dois atos, através do desaparecimento do seu filho. Mas como um assalto, um suicídio e o desaparecimento de uma criança se interligam com a recuperação de uma casa, em cidades islandesas diferentes?!Sem desenredar a história, o fim é surpreendente, mas sem me deslumbrar, pois, para quem gosta de thrillers, exige mais um pouco de criatividade e emoção/sentimentos. A falta de emoção foi o que mais me surpreendeu no livro e isso pode afastar o leitor da história: situações dolorosas vividas pelas personagens são contadas com bastante frieza (uma característica cultural nórdica). Read Less

  • Catia Silva

    Outubro 18, 2012 às 10:14
    Responder

    Uma história assombrosa. É verdade, houve partes do livro em que tive mesmo medo, parecia que estava a ver um filme de terror.Apesar de não ser o primeiro livro editado em Portugal por Ysra Sigurdardóttir, Lembro-me de Ti é a primeira obra que leio desta escritora e foi uma excelente estreia. Fiquei com vontade de ler mais obras desta escritora.A história em si não é uma das histórias clássicas de policiais, mas mais virada para o sobrenatural. Temos aparições, fantasmas, eventos quase inexplicáveis, mas que nos deixam em sentido de alerta constante. Este é um ponto forte da autora. A […] Ler Mais...Uma história assombrosa. É verdade, houve partes do livro em que tive mesmo medo, parecia que estava a ver um filme de terror.Apesar de não ser o primeiro livro editado em Portugal por Ysra Sigurdardóttir, Lembro-me de Ti é a primeira obra que leio desta escritora e foi uma excelente estreia. Fiquei com vontade de ler mais obras desta escritora.A história em si não é uma das histórias clássicas de policiais, mas mais virada para o sobrenatural. Temos aparições, fantasmas, eventos quase inexplicáveis, mas que nos deixam em sentido de alerta constante. Este é um ponto forte da autora. A sua escrita é bastante natural, consistente e transmite um realismo gráfico ao leitor.A componente psicológica é bastante forte e intensa. A maneira como a autora conduz as personagens ao longo do livro, deixa o leitor ansioso. Foi, sem dúvida, uma boa leitura e recomendo sem reservas. Por último, adorei a capa. Está lindíssima e completamente enquadrada com a história. Read Less

  • Helena

    Setembro 22, 2012 às 20:17
    Responder

    Ultimamente, li autores nórdicos que se distinguem por uma escrita menos emotiva e por descrições de paisagens frias com realismo. Duas estórias aparentemente distintas, alternando capítulo a capítulo, em que cada um termina em suspense, até se cruzarem e... surpreenderem-nos com o final. Uma é sobre três jovens mundanos, Katrín, Gardar e Lif (e o pequeno cão Putti) que, em difíceis circunstâncias pessoais, se lançam na aventura de recuperar uma velha casa, com o intuito de a transformar em fonte de rendimento. A outra começa com uma investigação policial de um ato de vandalismo numa escola e um suicídio, sem […] Ler Mais...Ultimamente, li autores nórdicos que se distinguem por uma escrita menos emotiva e por descrições de paisagens frias com realismo. Duas estórias aparentemente distintas, alternando capítulo a capítulo, em que cada um termina em suspense, até se cruzarem e... surpreenderem-nos com o final. Uma é sobre três jovens mundanos, Katrín, Gardar e Lif (e o pequeno cão Putti) que, em difíceis circunstâncias pessoais, se lançam na aventura de recuperar uma velha casa, com o intuito de a transformar em fonte de rendimento. A outra começa com uma investigação policial de um ato de vandalismo numa escola e um suicídio, sem suspeitarem de que o psiquiatra Freyr seria pessoalmente envolvido, através de indícios, ao inexplicável desaparecimento do seu filho três anos antes. Em cada uma delas, o narrador é simultâneamente a personagem principal, Katrín e Freyr. Ambos se apercebem dos contornos sobrenaturais ou surreais do que os rodeia (convêm alertar para esse aspeto constante de espiritismo/ocultismo na narrativa).Com este livro, saí da minha zona de conforto, principalmente porque toca num tema sensível, como o desaparecimento de crianças. Mas, de tão bem concebido e concretizado com uma escrita segura, embrenhei-me na leitura sem parar. Que outra coisa seria de esperar num thriller? Read Less

Comentar

Siga-nos no Facebook
Facebook Pagelike Widget
Últimos Livros Comentados