Ligeiramente Indecente

FaceBook  Twitter  

 

 

Autora: Mary Balogh
Série: A Família Bedwyn (Vol. 5)
Edição: Mar/2016
Páginas: 336
ISBN: 9789892334530
Editora: ASA

 

 


É no campo da Batalha de Waterloo, entre os soldados feridos, que Rachel York espera encontrar a salvação para si e para as suas amigas. Ludibriadas por um falso pretendente, as quatro encontram-se agora longe de casa, na penúria e obrigadas a viver num bordel. Mas Rachel é uma jovem cheia de recursos e não se dá por vencida. A solução para todos os seus problemas - pensa - está num belo soldado moreno que perdeu a memória.

Pois para poder receber uma avultada herança, Rachel precisa de um marido. Basta convencer o soldado desconhecido a alinhar no jogo. O que ninguém sabe é que o jovem é nada menos que Lord Alleyne, o benjamim da família Bedwyn. Mas, por muita boa vontade que ele tenha, nada corre como planeado ao chegarem a Inglaterra. E a situação complica-se - quanto mais não seja pela crescente atração entre os falsos noivos, numa farsa que parece ser ligeiramente... indecente.

Volumes anteriores desta série (com indicação do membro da família Bedwin protagonista):
Ligeiramente Casados - Aidan
Ligeiramente Perverso - Rannulf
Ligeiramente Escandalosa - Freyja
Ligeiramente Tentador - Morgan

Autora:

Autora premiada e presença constante nas listas de bestsellers do New York Times, Mary Balogh cresceu em Gales, terra de mar e montanhas, músicas e lendas. Ela levou consigo a música e uma imaginação vívida quando se mudou para o Canadá. Aí desenvolveu uma segunda carreira como autora de livros com finais felizes e que celebram o poder do amor. Os seus romances históricos venderam já mais de 4 milhões de exemplares em todo o mundo.
Na ASA estão publicados Uma Noite de Amor e Um Verão Inesquecível.

Saiba mais em www.marybalogh.com

Comentários  

 
#1 carla duque 2017-03-01 14:13
Mais um livro da saga “Bedwyn”. Neste livro, é contada a história de Lord Alleyne, o qual tem um acidente a cavalo e, devido a um traumatismo craniano, perde a memória. É resgatado e posteriormente cuidado por cinco mulheres, todas elas de reputação duvidosa, à exceção de uma. E, a partir daqui, começa uma história hilariante, que só apetece parar de ler quando chegamos ao fim, pois é uma história com momentos muito divertidos e outros em que temos vontade de chorar.
Neste livro, Alleyne passa por um momento complicado na sua vida, um momento que o faz ir à procura de quem é... Assim como a protagonista, que também se encontra numa situação peculiar.
Gostei particularmente do facto das personagens serem de diferentes classes sociais e conseguirem conviver entre si.
Mary Balogh cria personagens femininas muito fortes e um conceito histórico muito bem alicerçado.
Um livro sobre a descoberta de si próprio, da sua identidade, família e amor.
Recomendo a sua leitura.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • A Profecia de João XXIII
    O mito da Atlântida tem apaixonado a humanidade desde o tempo de Platão, um filósofo grego que viveu ...
  • 18.06.2017 09:45
  • O Homem Domesticado
    E se os papéis se invertessem e passasse a ser a mulher a mandar? Se o homem fosse inferior à mulher ...
  • 06.06.2017 09:33
  • Convergente
    Convergente foi, até agora, um dos melhores livros que jamais li. O enredo é viciante e nada do ...
  • 26.05.2017 21:01

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Era uma vez uma mulher cujo ofício era contar histórias. Andava por todo o lado oferecendo a sua mercadoria, relatos de aventuras, de suspense, de horror ou de luxúria, tudo a um preço justo. Num meio dia de agosto encontrava-se no centro de uma praça quando viu avançar na sua direção um homem (...) És tu a que conta histórias?, perguntou o estrangeiro. (...) Então vende-me um passado, porque o meu está cheio de sangue e de lamentos e não me serve para percorrer a vida."
Isabel Allende
in Eva Luna