Lovesenda ou o Enigma das Oito Portas de Cristal

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: António de Macedo
Género: Romance fantástico
Edição: Fev/2017
Páginas: 507
ISBN: 9789899899643
Editora: Divergência

 

 


Altos Príncipes, Senhores de mim, sacerdotisas minhas irmãs — impacientais-vos? Quereis ouvir sem delongas a história abominável da arrebatada paixão da donzela Lovesenda, filha do conde Diogo Enheguiz, por um espectro? A história que está na raiz da sacrílega situação em que me despenhei? Aguardai porém um momento, suplico-vos: toda a alma tem paragens desconhecidas que somos obrigados a percorrer, por mais obscuras, e a alma da donzela Lovesenda e as inconfessáveis impaciências que nela desde cedo se alojaram exibem feias chagas que lhe foram abertas por uma fieira de medonhas investidas do outro mundo, tão feias como as dos secretos e despudorados procederes do conde Diogo, seu pai, e da condessa Châmoa Telles, sua mãe — cada um com sua traição para com o outro, e qual delas a pior.

Deste autor no Segredo dos Livros:
Cristianismo Iniciático

Autor:

António de Macedo nasceu em Lisboa em 1931. Escritor, cineasta e professor universitário, inclui na sua extensa filmografia dezenas de documentários, programas televisivos e filmes de intervenção sociopolítica, bem como onze longas-metragens de ficção. Tem publicados mais de uma dezena de livros, entre romances de ficção fantástica e ensaios temáticos. Recebeu diversas homenagens e prémios pelas suas importantes contribuições no cinema e na literatura.

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • A Caminho do Altar
    Mais um livro da saga Bridgerton, desta vez a contar história do último dos 8 irmãos da família. O ...
  • 27.02.2017 11:11
  • Sempre o Diabo
    Extraordinário! Tanto na crueza, como na capacidade de tocar o ser humano. Um final absolutamente ...
  • 23.02.2017 15:31
  • A Viúva
    Uma estória absolutamente plausível ou não fosse ela demasiado colada ao caso Maddie. Uma uma vez ...
  • 23.02.2017 15:28

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"É preciso ter chorado para imortalizar o riso no livro, na estrofe, na sentença, na palavra."
Camilo Castelo Branco in A mulher fatal